Bruno Fialho sucede a Marinho e Pinto na liderança do PDR

António Cotrim / Lusa

O presidente do PDR, Marinho e Pinto

Bruno Fialho é o novo presidente do Partido Democrático Republicano (PDR), ao obter 75% dos votos na eleição deste sábado para escolher o sucessor de António Marinho e Pinto, que anunciou o abandono do cargo após as últimas Legislativas.

“Sou o novo presidente do PDR, com 75% dos votos. Venci esta eleição e espero agora corresponder à vontade dos militantes e às suas expectativas”, disse à Lusa o sucessor de Marinho e Pinto, Bruno Fialho, de 43 anos, advogado, empresário e chefe de cabine na companhia aérea açoriana SATA.

O responsável foi incapaz de esclarecer a quantos votos correspondeu a sua vitória eleitoral ou qual o universo de votantes.

“Já estava planeado que o dr. Marinho e Pinto abandonasse a vida partidária. Agora, porque os militantes consideraram que eu deveria concorrer, aceitei o repto, concorri e neste momento venci a eleição por números expressivos. Quero agradecer o apoio que o dr. Marinho e Pinto me deu desde o início da candidatura até hoje”, disse.

A intenção do novo líder do PDR é “tentar recolocar o PDR num lugar que já foi seu por direito”, pelo que se propõe “dinamizar o partido” e esperar pelo seu bom desempenho já nas próximas autárquicas.

“Veremos o que vamos conseguir agora fazer, já que considero que Portugal precisa de um partido que pense primeiro nas pessoas e só depois em ideologias”, disse.

“Não considero admissível que um partido mais à esquerda ou mais à direita vote imediatamente contra uma solução ou uma ideia de um partido de outro quadrante político apenas porque existe uma diferença ideológica”, explicou.

“É muito mais saudável para uma sociedade se pudermos aceitar as nossas diferenças e pugnar pelas melhores soluções. As pessoas estão fartas desta discussão esquerda-direita, em que não são apresentadas as melhores soluções para o país”, concluiu.

“O PDR é um partido centro-progressista”, esclareceu, porém, quando instado a dizer então em que quadrante político se situa o partido cuja responsabilidade pelo destino próximo acaba de receber em mãos.

Quanto às causas a que se compromete dar voz, Bruno Fialho assumiu que as maiores foram ambas bandeiras amplamente agitadas nas últimas Legislativas.

“A nossa primeira causa é a do aeroporto do Montijo. Somos contra essa solução e a favor de um aeroporto construído de raiz em Alcochete”. Já a “primeira causa nacional” que o partido defende, também proveniente das legislativas, é a da “criação de um salário digno, que não é o salário mínimo nacional”.

“Cada região deve ter o seu salário digno porque viver em Lisboa não tem o mesmo custo do que viver em Bragança”, disse. Interrogado sobre o montante do “salário digno” em Lisboa e em Bragança, o político escusou-se a apresentar os números.

“Iremos apresentar os números baseados em factos, porque queremos apresentar o custo de vida em Lisboa, onde, penso que todos concordamos, o salário mínimo não permite viver com dignidade”, disse.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Asia Bibi quer obter asilo político em França

A cristã paquistanesa Asia Bibi, condenada à morte por blasfémia em 2010 e absolvida oito anos depois, antes de se refugiar no Canadá, referiu esta segunda-feira pretender obter asilo político em França. Asia Bibi disse à …

Covid-19. Itália com 50 novos casos e Portugal com novo suspeito

Em Portugal, a DGS confirmou um novo caso suspeito de infeção. Por sua vez, as autoridades italianas anunciaram a existência de 50 novos casos de infetados com Covid-19. A Direção-Geral de Saúde confirmou, esta terça-feira, …

Benfica também está interessado em Rúben Amorim

O Benfica junta-se ao Sporting na corrida pela contratação do treinador do Sporting de Braga, Rúben Amorim. O jovem técnico tem impressionado ao serviço dos bracarenses. Depois de se falar do interesse do Sporting CP em …

15 anos após gravação sem autorização, Estado condenado a indemnizar Sá Fernandes

O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem condenou o Estado português a pagar uma indemnização de 3 mil euros ao advogado Ricardo Sá Fernandes. Em causa está um acórdão assinado pelo juiz Rui Rangel em …

Contribuintes têm até esta terça-feira para validar faturas (e podem valer até 2.500 euros no IRS)

Os contribuintes que, no ano passado, colocaram o seu NIF em faturas devem verificar se todas estão corretamente associadas à tipologia de despesas a que correspondem para efeitos de IRS, terminando esta terça-feira o prazo …

Plácido Domingo diz "assumir toda a responsabilidade dos seus erros"

O tenor também desistiu de se apresentar na Ópera Metropolitana de Nova Iorque, enquanto outras óperas americanas cancelaram as suas atuações, que no entanto continuam na Europa. O tenor espanhol Plácido Domingo, acusado nos Estados Unidos …

Até as "couves ficam pretas". Aterro em Valongo que recebe lixo do estrangeiro gera indignação

Os moradores de Sobrado, em Valongo, realizaram mais um protesto contra o aterro local que recebe lixo de todo o país e de países estrangeiros também. Queixam-se do cheiro nauseabundo, das pragas de mosquitos e …

Evolução "muito positiva". Atribuição de pensões de velhice está a demorar 134 dias

Em média, a Segurança Social está a demorar 134 dias (cerca de quatro meses e 15 dias) a atribuir pensões de velhice, avança o jornal Eco. Em entrevista ao diário de economia, o secretário de …

Ninguém quer ser professor? Mestrados em Ensino sem candidatos

Os mestrados em Ensino, que preparam futuros docentes para o terceiro ciclo e Ensino Secundário, têm cada vez menos inscritos e alguns até já fecharam por falta de candidatos, revela uma reportagem da Rádio Renascença. …

Após apoiar Trump em 2016, Clint Eastwood "troca-o" por Bloomberg

O ator e realizador Clint Eastwood, que em 2016 apoiou Donald Trump na corrida à Casa Branca, declarou agora o seu apoio ao democrata Michael Bloomberg para as eleições presidenciais norte-americanas de 2020. Em entrevista …