Bruno de Carvalho suspenso por um ano (mas garante que vai a votos)

Nuno Fox / Lusa

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho

O único presidente destituído da história do Sporting, Bruno de Carvalho, foi suspenso por um ano pela Comissão de Fiscalização, ficando impedido de concorrer às eleições de 08 de setembro, afirmou à Lusa fonte ligada ao processo.

A suspensão decorre do processo disciplinar instaurado a Bruno de Carvalho e restantes membros do anterior conselho diretivo que não se demitiram, dos quais Carlos Vieira, igualmente impedido de concorrer às eleições, Rui Caeiro, José Quintela, Luís Gestas e Alexandre Godinho foram suspensos por 10 meses, enquanto Luís Roque foi alvo de repreensão.

A Comissão de Fiscalização do Sporting justificou a suspensão por um ano de Bruno de Carvalho com a circunstância de o ex-presidente ter sido “o principal artífice e responsável da situação grave e antiestatutária criada” no clube.

Em comunicado, a Comissão de Fiscalização (CF) adianta ainda que existia “matéria suficiente” para aplicar a Bruno de Carvalho a “sanção mais grave prevista” no Sporting – a expulsão de sócio -, mas que, atendendo a “atenuantes” e por respeito ao “passado do clube”, optou por não o fazer.

A segunda sanção mais grave, à data em que correram os factos (anteriores à Assembleia Geral de 23 de junho), era, pelos estatutos então em vigor, um ano de suspensão. Por ter sido, inegavelmente, o principal artífice e responsável da situação grave e antiestatutária criada, foi esta a pena que o CF aplicou ao ex-presidente Bruno de Carvalho”, pode ler-se.

Entre as razões apontadas pela CF está a “oposição continuada e acirrada” de Bruno de Carvalho “à realização da Assembleia Geral de dia 23 de junho”, “legalmente convocada pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral, e que tinha entre os pontos da ordem de trabalhos a possibilidade de destituição do mesmo Conselho Diretivo”.

Esta AG apenas se realizou depois de intervenção judicial e dela resultou o afastamento, por 71% dos votos a favor, deste Conselho Diretivo”, acrescentam.

A direção liderada pelo antigo presidente Bruno de Carvalho é ainda acusada de ter convocado “ilegalmente duas assembleias gerais” e de ter desrespeitado “não só órgãos sociais do Sporting, como diversos sócios sobre os quais não pouparam insultos”.

“Todos estes factos são firmemente condenados pelos Estatutos e pelo Regulamento Disciplinar, que entrou em vigor em 17 de fevereiro passado”, sublinha a CF.

Esta comissão indicou ainda que todos os visados – aos restantes elementos da direção, à exceção de Luís Roque, foi aplicada a pena de 10 meses de suspensão — poderão apresentar recurso para a Assembleia Geral, nos termos dos Estatutos.

Bruno de Carvalho diz que vai a eleições

O ex-presidente do Sporting garante que vai mesmo concorrer às eleições de 8 de setembro e que a Comissão de Fiscalização vai ser obrigada pela justiça a permitir que a sua candidatura concorra.

“Já agimos judicialmente, nada disto é novidade. Há várias providências cautelares interpostas e a CF vai ser obrigada a fazer aquilo que não quer, que é levar-nos a eleições. Garantidamente!“, disse o ex-presidente do Sporting na apresentação da sjua sede de candidatura.

De resto, Bruno de Carvalho reiterou que não reconhece a CF por esta ser anti-estatutária e ilegal e que na Assembleia Geral do passado dia 23 de junho muitos sócios que votaram pela destituição do Conselho Diretivo o fizeram para que houvesse eleições e uma renovação da sua equipa diretiva.

O ex-presidente ‘leonino’ acrescentou que a maioria dos sócios que foram votar em 23 de junho desconheciam a existência de uma nota de culpa, que foi lida no pavilhão Atlântico em voz baixa, contra os elementos do Conselho Diretivo que se mantinham em funções.

Recordou ainda as declarações de Jaime Marte Soares, presidente da Mesa da Assembleia Geral, que afirmou que [Bruno de Carvalho podia concorrer às eleições já depois da sua destituição e acusou os demais candidatos à presidência do clube de falta de coragem por não quererem que vá a votos.

Questionado sobre a desistência do candidato Zeferino Boal a favor de José Maria Ricciardi, foi irónico: “Enquanto sportinguista fiquei preocupado, pois tratava-se de um excelente candidato, que acha que Ricciardi é melhor candidato do que ele”.

Estou ansioso por debater e a ir a votos com Ricciardi e os restantes candidatos, é assim que se faz a democracia”, concluiu Bruno de  Carvalho

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Boris responsabiliza Irão por ataque a petrolífera saudita

Boris Johnson diz que o país atribui ao Irão, "com muito alto grau de probabilidade, os ataques à gigante petrolífera saudita". O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, acusou esta segunda-feira o Irão de ser, muito provavelmente, responsável …

41 países comprometem-se com iniciativa "Clima e Qualidade do Ar"

A iniciativa "Clima e Qualidade do Ar", apresentada na véspera da Cimeira da Ação Climática, propõe alcançar até 2030 uma qualidade do ar saudável e a harmonização das políticas de luta contra as alterações …

Reino Unido. Trabalhistas querem abolir ensino privado se forem Governo

O Partido Trabalhista britânico compromete-se a abolir o ensino privado no Reino Unido caso venha a formar Governo. O plano do partido liderado por Jeremy Corbyn implica nacionalizar e integrar no sistema educativo público todas …

Rio acusa PS de se comportar como "dono disto tudo" (e diz que também tem um "Centeno")

No último debate a dois antes das legislativas de 6 outubro, os líderes do PSD e PS trocaram esta segunda-feira críticas - em tom leve e cordial -, recordando telhados de vidro de cada força …

Em decisão histórica, partidos árabes recomendam Gantz como primeiro-ministro de Israel

O Presidente de Israel, Reuven Rivlin, iniciou este domingo as suas consultas para a formação de um novo Governo. A Lista Conjunta, uma coligação que reúne os principais partidos árabes do país (Balad, Hadash, Ta’al …

Tancos. Azeredo Lopes teve "exercício perverso" de funções públicas, diz Ministério Público

O Ministério Público (MP) já terá terminado a acusação do caso de Tancos, na qual sustenta que o antigo ministro da Defesa Azeredo Lopes soube de toda a encenação, tendo ainda tentado tirar louros políticos …

Salário de 273 mil euros brutos anuais para Varandas revolta accionistas do Sporting

Um grupo de acionistas do Sporting fez chegar ao presidente da Mesa da Assembleia Geral (AG) da Sporting SAD, Bernardo Ayala, um pedido em que exige a retirada da proposta de aumento salarial para o …

Eleições na Madeira. A noite em que quem perdeu ganhou e quem ganhou perdeu

Depois de 43 anos de poder absoluto, o PSD perdeu este domingo pela primeira vez a maioria do parlamento da Madeira. O PS, que atingiu um valor histórico na região, também reclamou louros de vitória. …

Jesus "nunca treinou um grande clube da Europa" e "nunca conquistou nada"

O treinador do Grémio, Renato Gaúcho, voltou a criticar Jorge Jesus, dizendo que o técnico português, aos 65 anos, nunca treinou um grande clube na Europa. "O Jorge Jesus ganhou 2/3 títulos portugueses. Saiu de Portugal …

Governo promove 5.000 militares antes das eleições

Quase 5.000 militares dos três ramos das Forças Armadas, Exército, Marinha e Força Aérea vão ser promovidos este ano. De acordo com o Correio da Manhã, o Ministério da Defesa enviou a lista dos 4.945 nomes …