Recebido em protesto, Boris Johnson reitera que não se demite para evitar novo adiamento do Brexit

Will Oliver / EPA

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, voltou a garantir que o Brexit vai mesmo acontecer a 31 de outubro, recusando demitir-se para evitar um novo adiamento na saída do Reino Unido da União Europeia.

“Assumi a função de liderar o meu partido, no meu país, num momento difícil e vou continuar a fazer isso. Acho que é a minha responsabilidade fazer isso e julgo que é a nossa função resolver o Brexit, no dia 31 de outubro, mas avançar com o país”, afirmou o líder conservador em entrevista à BBC, citado pela SIC Notícias.

Boris Johnson, que disse nesta entrevista que tem sido um exemplo de contenção, reiterou que o Brexit vai mesmo acontecer a 31 de outubro não explicando, contudo, como é que pretende contornar a lei que exige ao Parlamento que peça nova extensão do prazo caso não chegue a acordo com Bruxelas até 19 de outubro.

“Acho que as pessoas se deviam acalmar todas”, começou por dizer Boris. Incluindo o senhor?, questionou o jornalista da emissora britânica.

“Julgo que tenho sido um exemplo de contenção. Acho que todas as pessoas se deviam acalmar. Sob quaisquer circunstâncias iremos permitir que o Reino Unido fique preso na proposta existente [de Bruxelas] com estas condições. Que fiquemos retidos na estrutura de tarifas da Europa, retidos na união alfandegária, retidos no Mercado Único, mas sem uma palavra a dizer sobre essas condições. Temos de nos livrar do chamado mecanismo de salvaguarda. Foi isso que eu sempre disse e é isso que vamos fazer”, insistiu.

Na chegada às instalações da BBC, em Manchester, Boris foi recebido com protestos, tendo os manifestantes acusado o primeiro-ministro de mentir à Rainha e ao Parlamento. “Porque mentiu ao Parlamento, Boris? Porque mentiu à Rainha? Quando se vai demitir, Boris? Mentiroso!”, ouviu-se na sua chegada.

Tal como recorda a SIC Notícias, Boris tem sido criticado depois de o Supremo Tribunal do Reino Unido ter declarado ilegal a suspensão do Parlamento. O pedido foi feito pelo primeiro-ministro para, alegadamente, preparar o novo programa legislativo.

Boris sempre negou que a suspensão dos trabalhos fosse para impedir que o Parlamento tomasse medidas para travar um Brexit sem acordo.

Boris, recorde-se, tem reiterado que o Brexit tem que acontecer até 31 de outubro. O primeiro-ministro britânico tem repetido esta intenção, tendo afirmado mesmo que prefere “morrer numa valeta” a pedir novo adiamento do Brexit.

Berlim já admite adiamento mas com condições

O ministro dos Negócios Estrangeiros alemão mostrou-se no domingo disponível para um eventual novo adiamento da saída do Reino Unido da UE, ainda que sob condições.

“Procuramos o objetivo claro de alcançar um acordo com o Reino Unido“, afirmou o ministro Heiko Maas, em declarações publicadas no domingo no jornal alemão Welt am Sonntag, citado pela agência Lusa.

Heiko Maas ressalvou, no entanto, que esta medida deveria estar “vinculada a uma perspetiva” do que se deseja durante esse período extra e o que vai acontecer, porque não poder encerrar o capítulo ‘Brexit’ também é problemático para a Alemanha e UE.

“A insegurança é um fardo crescente para a nossa economia e capacidade de ação da UE”, alertou o ministro, acrescentando que “uma nova extensão só é concebível com uma razão realmente convincente, como novas eleições ou um segundo referendo”.

Na opinião do social-democrata Achim Post, segundo no grupo parlamentar, “uma nova extensão só é concebível com uma razão realmente convincente, como novas eleições ou um segundo referendo”. Uma nova extensão para continuar “a política de dar e receber em Londres” não deve ser permitida, indicou.

O atual prazo do Reino Unido para deixar a UE – que já é uma extensão – termina em 31 de outubro e o primeiro-ministro do país, Boris Johnson, está disposto a deixar a UE mesmo sem acordo. A posição da Alemanha, preocupada com as repercussões de um ‘Brexit’ sem acordo sobre a sua economia, está longe da posição de Paris, onde o Presidente, Emmanuel Macron, tem sido cético quanto à possibilidade de uma nova extensão.

Boris Johnson é contra alguns termos do acordo de saída da UE assinado pela sua antecessora, Theresa May, e em particular em relação à “salvaguarda irlandesa”.

No entanto, o primeiro-ministro está numa posição difícil, depois de ter perdido a maioria na câmara baixa e de o Parlamento ter aprovado uma lei que exige nova extensão se não chegar a acordo até 19 de outubro.

TP, ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Esta notícia não leva em linha de conta que já está a ser preparada uma moção de censura contra Boris. Os Lib Dems, SNP e Labour, já estão a chegar ao consenso de colocar o orgulho de parte e deixar Corbyn ser o PM interino até novas eleições. Tal moção de censura ganhará sem problemas e depois é só pedir pra adiar o Brexit.

    Que Boris e toda a sua pandilha de bandidos, mentirosos e sem caracter, sejam totalmente excluidos da vida política, depois de quão queimados ficaram nesta curta prestação palhaça.

  2. A U.E. foi a coisa mais bonita e sensata q os políticos conseguiram fazer neste século. O q se dizia impossível foi feito e, com muitas dificuldades pelo meio, tem sido um sucesso. De Gaule tinha razão sobre os ingleses.

    • Talvez seja uma afirmação um pouco exagerada (e já foi no século anterior (séc. XX)) mas, pensado bem, tudo o resto é pior…. !…
      E, toda a gente tinha razão sobre o ingleses, que sempre foram uns piratas peritos em roubar e minar meio mundo (incluindo os “amigos”!) – e assim conseguiram construir um império, que agora se resume a viver de transacções comercias manhosas, com lavagens de dinheiro na city londrina (russos, árabes, chinocas, etc, que o digam) e paraísos fiscais em algumas ilhas controladas pela coroa britânica…

RESPONDER

O Lamborghini mais potente acelera dentro de água. É um iate com 4.000 cavalos

O resultado da primeira colaboração entre a a Lamborghini e os especialistas da Tecnomar é um iate de luxo, com 4.000 cavalos que recria a sensação de condução de um superdesportivo dentro de água. O mais …

Aproxima-se o lançamento do rover Perseverance

O rover Perseverance da NASA está a menos de um mês da data de lançamento prevista para 20 de julho. A missão de astrobiologia do veículo vai procurar sinais de vida microscópica passada em Marte, explorar …

Benfica 3-1 Boavista | Águias põem fim a quarentena caseira

O Benfica venceu na noite deste sábado o Boavista, naquele que foi o primeiro triunfo caseiro após a retoma da Liga. Poderá ter sido a redenção das águias? Após ter somado apenas dois triunfos, quatro desaires …

Cortina do abraço permite às famílias reencontrar os familiares num lar de São Paulo

Abraçar, tocar e até dançar. Uma cortina do abraço permite que filhos visitem seus pais residentes numa casa de repouso em São Paulo. O empresário Bruno Zani, autor da criação, pretende agora colocar a cortina …

Os golfinhos aprendem a utilizar ferramentas com os amigos

Os golfinhos aprendem a utilizar ferramentas não só com as suas progenitoras mas também com os seus pares, concluiu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Leeds, no Reino Unido. De acordo …

Entre uma "história de recusas" e uma “opção clara” pelos interesses do grande capital

A líder do BE disse hoje que a legislatura do Partido Socialista tem sido a “história das recusas” tanto sobre um acordo no final das eleições 2019, seja na recusa dum Orçamento Suplementar para lá …

Homem morre nos Estados Unidos depois de receber mais de 50 choques taser na sua detenção

Dos agentes da polícia da cidade de Wilson, no estado norte-americano do Oklahoma, foram nesta quarta-feira acusados de homicídio em segundo grau pela morte de um homem durante a sua detenção. De acordo com o …

TESS fornece novas ideias sobre um mundo ultra-quente

Medições do TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite) da NASA permitiram aos astrónomos melhorar bastante a sua compreensão do ambiente bizarro de KELT-9b, um dos planetas mais quentes conhecidos. "O factor de estranheza de KELT-9b é alto," …

Bill Gates elenca quatro pilares-chave para combater a pandemia

O co-fundador da Microsoft, Bill Gates, elencou quatro pilares que a sua fundação considera essenciais para combater a pandemia de covid-19, que já matou mais de 520 mil pessoas em todo o mundo. Segundo o norte-americano, …

Tesla já vale mais do que a Toyota, Disney e Coca-Cola

As ações da Tesla chegaram esta quarta-feira a um preço recorde de 1.120 dólares por ação, levando a empresa de Elon Musk a superar a cotação de mercado de grandes empresas como a Coca-Cola ou …