Brasileiros voltam às urnas para escolher entre Dilma e Aécio

Senado Federal / Flickr

O então Senador Aécio Neves cumprimenta a presidente da República, Dilma Rousseff, durante uma sessão solene do Congresso destinada à devolução simbólica do mandato presidencial ao ex-presidente João Goulart

O então Senador Aécio Neves cumprimenta a presidente da República, Dilma Rousseff, durante uma sessão solene do Congresso destinada à devolução simbólica do mandato presidencial ao ex-presidente João Goulart

Mais de 142 milhões de brasileiros vão hoje às urnas para escolher o novo Presidente do país na segunda volta das eleições, marcadas por uma forte polarização entre os dois candidatos.

Na disputa estão a atual Presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), mais identificada com a esquerda; e o ex-senador e ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), candidato preferido dos empresários.

Aécio Neves, que chegou a ser apontado nas sondagens que antecederam a primeira volta, a 05 de outubro, como o terceiro colocado, surpreendeu ao obter 33,5%, ultrapassando, em muito, a candidata que era apontada como a segunda colocada, Marina Silva, que alcançou 21% dos votos.

Os 20 dias que separaram a primeira da segunda volta foram marcados pela procura do apoio dos eleitores de Marina Silva – que endossou o seu apoio a Aécio Neves – e por uma forte campanha de acusação, de ambos os lados, o que se refletiu em aclamados debates nas redes sociais também entre os eleitores.

De um lado, os apoiantes de Aécio Neves acusam o governo ‘petista’ de corrupção, recordando as recentes denúncias de desvio de verbas na petrolífera brasileira Petrobras e os políticos do partido condenados no processo do ‘mensalão’; enquanto, do outro, os ‘dilmistas’ ressaltam escândalos ocorridos também durante o governo do PSDB, em estados como Minas Gerais e São Paulo.

O campo da economia também tem gerado fortes embates, com o candidato da oposição a criticar o atual governo pelo parco desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) nos últimos anos, enquanto a atual presidente aponta a crise internacional como única culpada da queda no ritmo de crescimento interno.

De um lado, Dilma Rousseff é tida como a representante dos trabalhadores e a certeza da continuidade aos programas sociais, como o ‘Bolsa Família’, que conseguiu tirar milhões de pessoas da miséria desde o governo de Lula da Silva (2003).

Do outro, Aécio Neves, identificado como o candidato mais à direita, preferido da classe empresarial, tem ganho força com uma campanha baseada na promessa de “mudança” e gestão mais eficiente, com um Estado mais “enxuto”.

A polarização, que já tinha alimentado as redes sociais, chegou também às ruas nos últimos dias, em atos que reuniram milhares de pessoas, a favor dos dois candidatos.

Nas sondagens de opinião, Dilma Rousseff tem aparecido na frente – 54%, face a 46% de Aécio – vantagem, no entanto, muito próxima da margem de erro, que é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Hoje será também dia de eleitores de alguns estados brasileiros voltarem a dar o seu voto para a eleição de governadores provinciais, no caso dos que ainda não elegeram os seus representantes na primeira volta, designadamente o Rio de Janeiro.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

CGTP ameaça Costa: “Ou dá resposta às reivindicações ou conta com contestação” nas ruas

O secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, defendeu a alteração das leis laborais e o aumento do salários na próxima legislatura, avisando que caso estas reivindicações não sejam atendida, o Governo terá forte contestação nas ruas. Arménio …

Das eleições resultou um "Governo instável" e Marcelo foi "o grande ganhador sem ter participado"

Para Luís Marques Mendes, o PS teve mais votos, mas tem piores condições para governar. Além disso, na opinião do comentador político, foi Marcelo quem ganhou estas eleições, por não ter havido maioria absoluta. O Partido …

"Querem que pique a bolha?" Conselheiros do Banco de Portugal compararam Montepio ao caso BES

Numa "discussão acesa" no Banco de Portugal, conselheiros da entidade de supervisão compararam a situação do Banco Montepio ao caso BES, com referências a um "esquema de Ponzi", em pirâmide, e a ideia de que …

CGD e Novo Banco vão atrás da fortuna de Paulo Maló

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) e o Novo Banco vão tentar executar o património pessoal de Paulo Maló, médico e empresário que fundou a Malo Clinic, empresa especializada em medicina dentária, escreve o Jornal …

Comandante que desviou dinheiro da Proteção Civil recebe avença do Estado

Gil Martins foi condenado de desviar mais de cem mil euros da Proteção Civil. Ainda assim, o antigo comandante recebe uma avença de mil euros brutos por mês. O ex-comandante nacional da Autoridade Nacional de Emergência …

New York Times divulga provas de que a Rússia bombardeou deliberadamente hospitais na Síria

O The New York Times publicou este domingo, segundo avança o próprio jornal norte-americano, provas de que a Rússia bombardeou repetidamente e deliberadamente hospitais na Síria, onde intervém em apoio do regime sírio do Presidente …

Simone Biles torna-se na ginasta mais medalhada de sempre em Mundiais

Esta foi a quarta medalha de ouro para Biles em Estugarda, depois de ter vencido a prova por equipas, o concurso geral individual e a prova de salto. A norte-americana Simone Biles tornou-se hoje a ginasta …

Há um Reino muito pouco Unido na corda bamba. Rainha inicia semana decisiva para o Brexit

Depois do discurso real desta segunda-feira, as conversações entre Londres e Bruxelas deverão continuar e avançar pela cimeira da UE de quinta e sexta-feira. No sábado, o Parlamento britânico reúne-se excecionalmente para votar o que …

Esther Duflo, Abhijit Banerjee e Michael Kremer vencem Nobel da Economia

O prémio Nobel da Economia de 2019 foi esta segunda-feira atribuído à francesa Esther Duflo, ao indiano Abhijit Banerjee e ao norte-americano Michael Kremer, anunciou a Real Academia das Ciências sueca. O Prémio de Ciências Económicas …

Tufão Hagibis faz pelo menos 42 mortos e 200 feridos no Japão

Pelo menos 42 pessoas morreram e 200 ficaram feridas no Japão, após passagem do tufão Hagibis, enquanto mais de 110.000 membros de equipas de socorro continuam as operações de busca e resgate, noticiou a emissora …