Bombeiros insistem em dificuldades financeiras, ao contrário do que diz o Governo

Paulo Cunha / Lusa

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) desmentiu hoje a secretária de Estado da Administração Interna, que no Parlamento rejeitou existirem corporações em “situação de rutura” financeira, insistindo que a realidade “é precisamente ao contrário”.

“A Liga dos Bombeiros Portugueses lamenta que a secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, tenha rejeitado na Assembleia da República haver associações humanitárias de bombeiros verdadeiramente em situação de rutura, quando a realidade é precisamente ao contrário”, refere a LBP, em comunicado.

Na sexta-feira, durante as apreciações parlamentares de PCP e BE do decreto-lei do Governo que estabelece um regime temporário e excecional de apoio às associações humanitárias de bombeiros no âmbito da pandemia covid-19, Patrícia Gaspar rejeitou haver associações humanitárias de bombeiros “verdadeiramente em situação de rutura”.

A LBP avança que pelo menos 54 associações pediram ajuda ao Governo, mas ainda não foi canalizado qualquer apoio.

A LBP considera que “fica mal” à secretária de Estado “não aceitar nem testemunhar a evidência das dificuldades sentidas pelas associações nos últimos três meses”, tendo em conta o conhecimento direto que tem da realidade dos bombeiros.

A Liga sublinha que estas dificuldades estão relacionadas com a “quebra abrupta e imediata de receitas e o aumento exponencial e acelerado de despesas de funcionamento operacional”.

“A LBP deseja saber em que dados se baseia a secretária de Estado para declarar não haver associações em situação de rutura”, questiona.

A LBP recorda que, nos últimos anos, tem sistematicamente chamado a atenção do Governo para as dificuldades das associações de bombeiros, uma vez que os apoios do Estado ficam “aquém dos custos reais” e são “insuficientes” os valores pagos pelos Ministério da Saúde relativamente ao transporte de doentes não urgentes e ao socorro pré-hospitalar via Instituto Nacional de Emergência Médica.

A LBP dá conta que as dívidas do Ministério da Saúde às associações humanitárias “é bastante elevada”, rondando atualmente os 30 milhões de euros.

“Com o surgimento da pandemia [de covid-19] e as circunstâncias que são conhecidas as dificuldades sentidas pelos bombeiros só poderiam mesmo agravar-se, ao contrário do que afirma a secretária de Estado Patrícia Gaspar”, refere ainda a LBP.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Itália admite segunda vaga e defende restrições a viagens

Itália abriu esta terça-feira fronteiras aos viajantes de países que não integram o espaço europeu de livre circulação Schengen, mas com restrições. O ministro da Saúde de Itália afirmou, esta quinta-feira, não poder afastar uma segunda …

Menos férias e mais dias de aulas para quem não tem exames no próximo ano letivo

O próximo ano letivo vai ter menos dias de férias e mais dias de aulas para os alunos que não tenham exames. Os alunos terão aulas presenciais e aulas à distância. O ministro da Educação, Tiago …

FC Porto revela camisola para a próxima época (e as opiniões dividem-se)

O FC Porto revelou a camisola oficial do clube para a próxima temporada. Pelas redes sociais, as opiniões dividem-se, havendo quem não esteja satisfeito com a mudança. Os adeptos portistas acordaram esta sexta-feira com a imagem …

Veto da Índia ao TikTok pode custar mais de 5 mil milhões de euros à ByteDance

O executivo indiano anunciou o bloqueio de 59 aplicações móveis chinesas, assegurando que as aplicações roubam dados dos utilizadores e partilham informações com o governo chinês. O grupo chinês de tecnologia ByteDance, que desenvolveu o TikTok, …

Covid-19. “Exemplo de Portugal mostra muito claramente como a situação é frágil”

A comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides, considerou que a situação pandémica é ainda "frágil", dando o exemplo da evolução da covid-19 em Portugal para sustentar que é necessário continuarmos vigilantes. “Penso que o exemplo de …

Catarina Martins diz que há neste momento um acordo entre PS e PSD

A líder do BE, Catarina Martins, considerou hoje que "o Orçamento Suplementar não é uma primeira parte do Orçamento do Estado", mas avisou que o que está a acontecer neste momento no país "é um …

Quase 40% dos restaurantes tenciona avançar para insolvência

Quase 40% das empresas de restauração e bebidas e 18% do alojamento turístico tencionam avançar para insolvência. Os números são resultado de um inquérito mensal da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) esta …

Cientistas ingleses acreditam que um número significativo da população tem imunidade natural ao coronavírus

Cientistas ingleses que estão a desenvolver uma vacina para a covid-19 acreditam que um largo número de pessoas pode ter imunidade natural contra o novo coronavírus, mesmo que nunca tenha sido infetado. Ao Telegraph, citado esta …

Bruxelas autoriza tratamentos com Remdesivir na UE

A Comissão Europeia deu esta sexta-feira “luz verde” à comercialização do antiviral Remdesivir, que se torna assim o primeiro medicamento autorizado ao nível da União Europeia para tratamento da Covid-19. A autorização do executivo comunitário, concedida …

Devolução dos manuais escolares será mesmo suspensa

O plenário da Assembleia da República validou hoje a votação da Comissão de Orçamento e Finanças (COF), no âmbito da especialidade do Orçamento Suplementar, que aprovava a proposta do CDS para o fim da devolução …