Bombeiros encontram sexta vítima no hotel italiano atingido por avalanche

Vigili del Fuoco

O número de vítimas mortais localizadas nos escombros de um hotel italiano atingido na quarta-feira por uma avalanche aumentou para seis, depois das equipas de buscas terem encontrado este domingo o corpo de um homem, informaram os bombeiros.

O corpo encontrado é de um cidadão senegalês que trabalhava na cozinha. A descoberta deste sexto cadáver acontece quatro dias depois de uma avalanche, possivelmente provocada por sismos registados na quarta-feira naquela região, ter soterrado o hotel Rigopiano de Farindola, situado a 1.300 metros de altitude na cordilheira dos Apeninos, na região de Abruzzo.

Com a divulgação desta informação, o balanço provisório deste incidente é de seis mortos, mais de 20 desaparecidos e 11 pessoas resgatadas com vida, das quais nove foram retiradas dos escombros do hotel Rigopiano, localizado na região centro de Itália.

O hospital de Pescara, onde deram entrada os nove sobreviventes resgatados no hotel e os dois que se encontravam no exterior no momento do aluimento, indicou, de acordo com a agência espanhola Efe, que apenas uma pessoa não receberá ainda alta médica por ter sido operada a um braço.

De resto, de acordo com as fontes hospitalares, as quatro crianças receberão alta esta segunda-feira e serão acompanhadas por uma equipa de psicólogos.

Bombeiros ponderam usar equipamento pesado para acelerar buscas

Entretanto, os trabalhos de busca para encontrar possíveis sobreviventes continuam no terreno. Estão mobilizados cerca de 130 efetivos, incluindo militares, bombeiros, polícias e membros da Cruz Vermelha ou dos serviços de socorro da região.

As equipas de salvamento estão a considerar a utilização de equipamento pesado para acelerar as buscas de 23 pessoas que continuam soterradas sob as ruínas de um hotel esmagado por uma avalancha no centro de Itália.

O porta-voz do Corpo de Bombeiros, Luca Cari, indicou que as equipas de emergência estão a trabalhar na “hipótese operacional” de que as toneladas de neve que caíram sobre o Hotel Rigopiano no passado dia 18 não terão atingido todas as partes da estrutura e que possa ainda haver sobreviventes em zonas não atingidas, noticiou a agência Associated Press.

Cinco dias depois da avalancha, sublinhou porém Luca Cari, as equipas estão a “lutar contra o tempo“.

“Eu sei que precisamos de trabalhar depressa, mas num ambiente que não nos permite uma intervenção rápida”, disse ainda, alertando para o perigo de derrocada da estrutura, que pode não resistir ao peso das centenas de toneladas de neve, pedras, terra e árvores e tem em cima.

Não voltou, entretanto, a ouvir-se quaisquer sinais de vida nas últimas 36 horas, desde que foram localizados e resgatados os últimos dos nove sobreviventes, que incluem quatro crianças.

 

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Parar de comer quando se está cheio nem sempre é fácil (e há uma razão para isso)

Com alguns alimentos, parar de comer — mesmo quando se está cheio — nem sempre é fácil. Isto porque algumas destas comidas podem ter sido feitas de forma a que tal aconteça. Nenhum alimento é criado …

Há milhares de misteriosos buracos no fundo do mar da Califórnia

Surgiu um novo mistério perto da costa de Big Sur, na Califórnia, no fundo do Oceano Pacífico: há milhares de pequenos fragmentos redondos retirados dos sedimentos do fundo do mar.   A descoberta foi feita como parte …

NASA apresenta "mapa do tesouro" para encontrar água em Marte

Uma equipa de cientistas da NASA elaborou um mapa da água congelada que existe em Marte e que se acredita estar a apenas 2,5 centímetros abaixo da superfície do Planeta Vermelho - isto é, à …

Já se sabe como é que planetas florescem a partir de pequenos pedaços de poeira

Uma equipa de investigadores validou uma teoria que pode explicar como é que os planetas crescem a partir de pequenos pedaços de poeira interestelar. O crescimento de um pequeno pedaço de poeira até um planeta inteiro …

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …