“Não vim para me aborrecer”. Bolsonaro irrita-se com pergunta sobre os mais de 600 mil mortos por covid-19

jeso.carneiro / Flickr

Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil

O Presidente brasileiro, que está a passar alguns dias de férias numa praia, irritou-se, esta segunda-feira, quando uma mulher o questionou sobre os mais de 600 mil mortos que a covid-19 já causou no país.

“Em que país não morreu gente?”, perguntou Jair Bolsonaro três vezes, que, diante da falta de resposta da mulher, acrescentou visivelmente chateado: “Olhe, eu não vim aqui para me aborrecer”.

O Brasil ultrapassou a barreira das 600 mil mortes por covid-19 na última sexta-feira e, até agora, o chefe de Estado ainda não se pronunciou sobre esta marca trágica, que até então apenas havia sido ultrapassada pelos Estados Unidos.



Antes de ser questionado pela mulher, em conversa com alguns apoiantes na praia do Guarujá, em São Paulo, Bolsonaro garantiu que o país “está a sair desta crise de saúde”, considerando que a pandemia “praticamente acabou”, tendo em conta a redução acentuada do número de mortes e infeções que foi registada nos últimos meses.

Essa queda vertical nas estatísticas tem sido atribuída, sobretudo, ao avanço da vacinação, que hoje chega a 47% dos 213 milhões de brasileiros com o esquema vacinal completo, enquanto pouco mais de 70% tem apenas a primeira dose.

“Chamam-me de negacionista e demos 20 mil milhões de reais (cerca de 3,13 mil milhões de euros) para comprar vacinas”, acrescentou o líder brasileiro, que desde o início da pandemia sempre minimizou a gravidade da mesma e passou a questionar a eficácia dos imunizantes.

Bolsonaro voltou a criticar a “política do fique em casa, a economia vem depois”, em alusão aos confinamentos e a outras medidas que restringiram a mobilidade nos piores momentos da crise da saúde e que foram adotadas por governadores e prefeitos.

“Agora temos a inflação e todos pagamos a conta”, disse o Presidente, que avaliou que a perda de poder aquisitivo dos brasileiros e o aumento de preços registados este ano, já próximos a 9%, são consequência dessas medidas restritivas.

ONG austríaca acusa Bolsonaro de “crimes contra a Humanidade” no TPI

Esta terça-feira, uma organização não-governamental austríaca apresentou queixa no Tribunal Penal Internacional (TPI) contra o Presidente brasileiro , acusando-o de “crimes contra a Humanidade”, devido à desflorestação da Amazónia, com impacto na saúde mundial.

Na queixa, a que o tribunal sediado em Haia não é obrigado a dar seguimento, a ONG AllRise afirma que o Governo chefiado por Bolsonaro é responsável, anualmente, pela desflorestação de cerca de quatro mil quilómetros quadrados da floresta amazónica e que a taxa de desmatamento aumentou 88% desde que chegou ao poder.

A ONG acusa-o ainda de ter procurado “sistematicamente” enfraquecer ou afastar leis e organismos oficiais que regulam estas práticas, além de ativistas da proteção ambiental.

Estas ações “estão diretamente ligadas aos impactos negativos das alterações climáticas em todo o mundo”, dizem os queixosos, que se apoiam na avaliação da climatologista Friederike Otto, da Universidade de Oxford, autora principal do último relatório de avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), descrito como um “alerta vermelho” para a humanidade pelo secretário-geral da ONU, António Guterres.

Peritos invocados na queixa consideraram que as emissões resultantes da desflorestação conduzida durante o mandato de Bolsonaro poderão provocar mais de 180 mil mortes adicionais em todo o mundo até ao final do século.

“Queremos compreender a relação de causalidade do que está a acontecer no Brasil, desta desflorestação maciça, com o clima global”, disse o fundador da AllRise, Johannes Wesemann, à agência France-Presse.

“É exatamente (…) a definição de um crime contra a Humanidade: a destruição intencional do ambiente e dos seus defensores”, afirmou.

A queixa também visa vários altos funcionários do Governo brasileiro, disse à AFP o advogado Nigel Povoas. “Afirmamos que, devido às políticas que prosseguem, são cúmplices na ajuda aos que no terreno cometem homicídios, perseguições e outros atos desumanos”, afirmou.

Bolsonaro já é alvo de várias queixas apresentadas no TPI.

Em janeiro de 2021, o cacique Raoni Matuktire, um defensor emblemático da floresta amazónica, já tinha pedido ao TPI para investigar “crimes contra a Humanidade” alegadamente cometidos pelo Presidente brasileiro, acusado de “perseguir” os povos indígenas, destruir o seu habitat e violar os seus direitos fundamentais.

Em julho de 2020, trabalhadores do setor da saúde no Brasil também pediram ao TPI que abra um inquérito por “crimes contra a Humanidade” alegadamente praticados por Bolsonaro, desta vez pela sua gestão da pandemia de covid-19.

Mais recentemente, em agosto deste ano, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) também acusou o Governo de Bolsonaro de genocídio da população nativa, pedindo ao TPI que abra um inquérito.

Para que uma investigação formal seja aberta, a procuradoria do TPI, criado em 2002 para julgar as piores atrocidades cometidas no mundo, tem de concluir que tem mandato para tal e que a denúncia é suficiente sólida para justificar o inquérito.

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Curioso que desde 3 novembro 2020, quando Biden, o presidente mais popular de sempre, que quebrou recordes no total de votos, em que até mortos votaram e gatos mortos há 10 anos receberam boletins de votos (e provavelmente votaria “Democratas” segundo a dona), que se interrompeu o boletim diário da desgraça pandémica nos EUA e aparentemente terminou a pandemia nos EUA, quanto mais interrogar Biden com estas perguntas incómodas. É triste quando a agenda política se torna tão óbvia e se usa a pandemia para fins políticos. As notícias são encomendadas à medida das necessidades.

    • Bem…. por o menos venho de saber que os “gatos” também tem direito de voto. Nas próximas Eleições em Portugal inscrevo o meu “coninhas, nome do meu gato” na CNE !

RESPONDER

Cogumelos laminados

O consumo de cogumelos pode diminuir o risco de depressão

Além de reduzirem o risco de cancro e morte prematura, os cogumelos podem beneficiar a saúde mental de uma pessoa. Uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina de Penn State, nos Estados Unidos, analisou dados …

Os hipopótamos de Pablo Escobar começaram a ser esterilizados

O grupo de hipopótamos, mais uma parte do indesejado legado deixado na Colômbia pelo traficante de droga Pablo Escobar, está a ser esterilizado. Quando o Cartel de Medellín estava no seu auge, Pablo Escobar gastou parte …

Ian Brackenbury Channell, o "feiticeiro de Christchurch"

Duas décadas depois, uma cidade neozelandesa decidiu despedir o seu feiticeiro

Vinte e três anos depois, a autarquia de Christchurch, na Nova Zelândia, decidiu despedir Ian Brackenbury Channell, o famoso feiticeiro da cidade. Desde 1998 que Ian Brackenbury Channell era o "feiticeiro de Christchurch", sendo responsável por …

Um dos microscópios de Darwin vai a leilão. Esteve nas mãos da sua família durante quase 200 anos

Um microscópio que Charles Darwin ofereceu ao filho Leonard - e que esteve nas mãos da sua família ao longo de quase 200 anos - vai ser leiloado em dezembro e poderá valer cerca de …

Pedro Sánchez promete abolir a prostituição em Espanha, por considerar que esta "escraviza" as mulheres

Espanha é um dos países europeus com mais trabalhadoras na indústria do sexo, as quais são sobretudo originárias de países da Europa mais pobres, da América Latina e de África. O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez anunciou …

"Um milagre". Dois jovens sobreviveram quase uma semana no deserto australiano

Dois jovens, de 14 e 21 anos, sobreviveram durante quase uma semana no deserto, sem água e sem comida, depois de se terem perdido no Território do Norte, na Austrália. A polícia fala num verdadeiro …

Carlos Moedas

Moedas vai "dar tudo como presidente" e exige que seja respeitada a legitimidade do seu mandato

Carlos Moedas tomou posse, esta segunda-feira, como novo presidente da Câmara de Lisboa, tendo falado dos objetivos para o próximo quadriénio e deixado um elogio ao seu antecessor e alguns avisos à esquerda. Depois dos cumprimentos …

Chanceler austríaco Sebastian Kurz

Sondagens falsas e notícias favoráveis. O lado negro de Sebastian Kurz foi desmascarado

Sebastian Kurz e pessoas que lhe são próximas foram acusados de tentar garantir a sua ascensão à liderança do partido e do país com a ajuda de sondagens manipuladas e notícias favoráveis na imprensa, financiadas …

Tem uma carreira de sonho na Nike, mas cometeu um homicídio há 65 anos

O presidente da Jordan Brand, Larry Miller, revelou que, há 56 anos, matou um adolescente nas ruas de Filadélfia, nos Estados Unidos. O presidente da Jordan Brand — marca do ex-jogador de basquetebol Michael Jordan — …

Rio diz que decisão sobre eventual recandidatura está "quase tomada"

O presidente do PSD afirmou, esta segunda-feira, que a decisão sobre a sua eventual recandidatura está "quase tomada" e será anunciada em breve. Em declarações aos jornalistas à chegada à tomada de posse do novo presidente …