Bill Gates assume que passar tempo com Jeffrey Epstein foi um “grande erro”

Michael Buholzer / World Economic Forum

O milionário norte-americano assumiu que passar tempo com Jeffrey Epstein, acusado de ter criado uma rede para abuso de menores, foi um “grande erro”.

Em declarações à cadeia televisiva CNN, Bill Gates mostrou-se arrependido dos seus encontros no passado com Jeffrey Epstein. “Foi um grande erro ter passado tempo com ele, ter-lhe dado a credibilidade de lá estar”, afirmou o fundador da Microsoft.

O milionário explicou que só se encontrou com Epstein na esperança de conseguir angariar mais dinheiro para as questões globais ligadas à área da saúde.

“Tive vários jantares com ele, na esperança de que o que ele disse relativamente a obter milhares de milhões de dólares em filantropia para a saúde global, através de contactos que tinha, pudesse emergir”, declarou Gates, acrescentando que quando lhe pareceu “que não era uma coisa real, essa relação acabou“.

Jeffrey Epstein foi acusado de ter criado uma rede para abuso de menores. Em 2019, foi encontrado morto na prisão onde estava detido, em Nova Iorque. A autópsia revelou que se tratou de suicídio, mas há quem admita a hipótese de ter sido antes homicídio.

O milionário pagava às jovens, normalmente vindas de contextos socioeconómicos desfavoráveis, por um serviço de massagens, mas acabava por abusar delas sexualmente. As raparigas eram recrutadas pelos assistentes pessoais de Epstein e, em alguns casos, acabavam mesmo por se tornar recrutadoras.

Na mesma entrevista à estação norte-americana, Gates também abordou o tema do divórcio com Melinda Gates, com quem esteve casado 27 anos, que ficou finalizado esta semana.

É um momento de reflexão e, neste momento, preciso de andar para a frente. Dentro da família, vamos ultrapassar esta situação o melhor que pudermos”, declarou.

Relativamente à Fundação Bill & Melinda Gates, o empresário e filantropo disse ter esperança que a ex-mulher possa continuar o seu trabalho por lá. “Isso seria definitivamente o melhor para a fundação. A Melinda tem pontos fortes incríveis que ajudam a fundação a ser melhor”, considerou.

Ainda sobre Epstein, destaque para a série documental lançada pela Netflix, no ano passado, chamada “Jeffrey Epstein: Filthy Rich”, na qual se pode perceber melhor o caso e que conta com testemunhos de várias das vítimas e dos envolvidos.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE