Benfica vs Sporting | Empate pune águia perdulária

O dérbi da 16ª jornada, que opôs o Benfica ao Sporting, no Estádio da Luz, terminou com um empate a um golo.

A equipa “leonina” reagiu ao bom começo dos da casa, marcando no primeiro remate enquadrado da partida, mas baixou o ritmo após o intervalo, permitindo às “águias” assumir as despesas do jogo.

Após muito tentar, o Benfica acabou mesmo por chegar ao golo, de grande penalidade, com a partida a terminar com a maior diferença de remates (15) em “clássicos” ou dérbies desde que existem dados Opta da Liga portuguesa.

O Jogo explicado em Números

  • Início de jogo algo confuso, típico de uma partida com estas características. Dois remates, um para cada lado e nenhum deles à baliza, e uma baixa eficácia de passe (78%-53%) marcaram os primeiros dez minutos, assim como o elevado número de faltas – oito, duas delas sobre Franco Cervi, que venceu os três duelos que disputou durante estes primeiros minutos.
  • Mesmo tendo menos bola que o adversário, o Sporting acabou por chegar ao golo aos 19 minutos, num remate de cabeça de Gelson Martins, que surgiu no local certo depois de Rúben Dias ter desviado um cruzamento de Fábio Coentrão.
  • O golo acabou por animar as hostes sportinguistas. Os “leões” chegaram à meia-hora de jogo com mais remates do que o adversário (6-4 no total, 3-1 à baliza), embora continuassem com menos posse de bola (43%-57%) e uma menor eficácia de passe (74%-77%). Jonas era, por esta altura, o único jogador “encarnado” com passes para finalização.
  • Os últimos 15 minutos da primeira parte foram de grande sufoco perto da baliza defendida por Rui Patrício, com o Benfica a rematar por cinco vezes no espaço de cinco minutos, uma delas à barra, por Filip Krovinovic. O médio croata era, a par de Jonas, o jogador com mais disparos em campo, três, embora nenhum deles tivesse sido enquadrado com a baliza.
  • Vantagem ao intervalo ajustada ao futebol que se praticou na primeira parte, na qual o Benfica não foi capaz de traduzir a vantagem que teve em inúmeros factores – como posse de bola, pontapés de canto e eficácia de passe – em situações de perigo, chegando apenas por uma vez à baliza de Rui Patrício.
  • No regresso aos balneários, Piccini era quem liderava os  GoalPoint Ratings, com nota 6.0, graças a sete acções defensivas, uma delas um desarme ao último homem. O melhor dos “encarnados” era o lateral-direito André Almeida 5.7, com sete duelos ganhos, seis deles pelo ar, três intercepções e um fora-de-jogo provocado.
  • Início de segunda parte fulgurante por parte da equipa do Benfica, que fez cinco remates nos primeiros 15 minutos e teve 58% de posse de bola. Apenas um desses disparos foi enquadrado com a baliza, um remate de longe de Jonas, que já somava sete tentativas de golo, menos uma do que toda a equipa do Sporting.
  • Aos 65 minutos, André Almeida era o jogador com mais passes para finalização, três, sendo que só dois outros jogadores (Jonas e Fábio Coentrão) tinham mais do que uma situação de remate criada. O lateral das “águias” era ainda o jogador com mais cruzamentos eficazes, dois.
  • À entrada para os últimos dez minutos do desafio, Bas Dost continuava sem rematar. O avançado holandês, que até tinha um passe para finalização, somava apenas dois toques na área contrária, dando, contudo, nas vistas pelo elevado número de duelos aéreos disputados, 17 – nenhum outro jogador chegava sequer aos oito.
  • Foi já ao cair do pano que o Benfica conseguiu, após tanta insistência, chegar ao golo do empate. Battaglia desviou um remate de Rafa com a mão e Jonas não perdoou de grande penalidade, fazendo o golo das “águias” e penalizando fortemente a equipa visitante, que fez apenas dois disparos em toda a segunda parte, ambos desenquadrados.

O Homem do Jogo

Jonas mostrou que é o homem das grandes decisões, apontando o golo com que o Benfica empatou uma partida que parecia destinada a terminar com uma vitória dos visitantes.  O avançado brasileiro nem sempre rematou bem, é certo: fê-lo por nove vezes, mas apenas duas delas enquadradas com a baliza.

No entanto, ao golo apontado somou dois passes para finalização, um drible eficaz e seis duelos ganhos em 13 disputados. Tudo contabilizado, o goleador dos “encarnados” conseguiu nota 6.9 nos GoalPoint Ratings.

Jogadores em foco

  • Piccini 6.7 – Teve a segunda nota mais alta da noite. Conseguiu três dribles eficazes em seis tentativas, venceu dez dos 15 duelos que disputou, somou 13 acções defensivas e sofreu duas faltas.
  • André Almeida 6.7 – Foi o autor de três passes para finalização e de três cruzamentos eficazes, distinguindo-se em ambas as variáveis. Venceu nove dos 16 duelos que disputou e somou três desarmes e outras tantas intercepções. A sua nota acabou por ser penalizada penas cinco faltas cometidas.
  • Gelson Martins 5.3 – Marcou o golo com o que o Sporting chegou à vantagem, no único remate enquadrado que fez. Falhou uma ocasião flagrante, foi feliz em apenas uma das suas três tentativas de drible e fez 17 passes, acertando 11.
  • Pizzi 4.7 – Noite para esquecer. Perdeu a posse 20 vezes, não fez nenhum remate nem nenhum passe para finalização. Ainda assim, colocou nove vezes a bola na área contrária.
  • Battaglia 4.2 – Teve a nota mais baixa da noite. Cometeu uma grande penalidade, numa das quatro faltas que fez, e falhou por três vezes o desarme. Nem tudo foi negativo, contudo: venceu 11 dos 19 duelos que disputou, não perdendo uma única disputa no ar – e foram seis.

Resumo

PARTILHAR

RESPONDER

A longo prazo, o distanciamento social pode até ser melhor para a economia

O isolamento social durante uma pandemia, como é o caso da covid-19, que já fez mais de 48.000 vítimas mortais por tudo o mundo, pode revelar-se melhor para a economia a longo prazo, revelou uma …

Elon Musk doou 1.000 ventiladores a hospitais (mas eram do tipo errado)

Nos últimos dias, Elon Musk, CEO da Tesla, recebeu muitos elogios por ter doado mil ventiladores a hospitais da Califórnia, que enfrentam um número esmagador de casos de coronavírus. Porém, os ventiladores não eram do …

Coronavírus pode replicar-se na boca e nariz durante uma semana antes de infetar pulmões

O coronavírus pode permanecer e replicar-se na boca e no nariz durante uma semana antes de infetar aos pulmões, à traqueia e aos brônquios, revela um estudo, que mostra igualmente que é expulso do organismo …

PSP vai utilizar câmaras portáteis em drones no estado de emergência

A PSP vai utilizar 20 câmaras portáteis de videovigilância, 18 das quais vão ser instaladas em ‘drones’, durante o estado de emergência devido à pandemia de covid-19, anunciou esta quinta-feira o Ministério da Administração Interna …

Em Nova Iorque, prisioneiros são usados para cavar valas comuns

Nova Iorque está a oferecer seis dólares por hora e material de proteção individual aos prisioneiros de Rikers Island que aceitem ajudar a cavar valas comuns. Projeções da Fundação Gates apontam que, em Nova Iorque, o …

EUA estará a pagar para desviar carregamentos de máscaras adquiridas por França

As autoridades francesas estão a acusar os Estados Unidos de terem pago para desviar um carregamento de máscaras faciais oriundo da China. Este episódio é apenas mais um na saga sobre a escassez de máscaras de …

Cerca de 1200 reclusos podem vir a ser libertados

Cerca de 1200 reclusos podem vir a ser libertados antecipadamente para prevenir a propagação da pandemia de covid-19 no meio prisional, revelou esta quinta-feira a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, em declarações à RTP3. A …

OMS e EUA ponderam alargar recomendação para uso de máscaras

A Organização Mundial de Saúde (OMS) vai reavaliar as suas recomendações sobre o uso de máscaras para prevenir a contaminação com covid-19, disse esta quinta-feira o presidente do grupo de especialistas que vai discutir o …

Covid-19. Mais de 95% das vítimas mortais na Europa tinham mais de 60 anos

O diretor regional para a Europa da Organização Mundial de Saúde (OMS), Hans Kluge, revelou esta quinta-fera que mais de 95% das vítimas mortais da covid-19 na Europa têm mais de 60 anos de idade. Em …

Curva portuguesa mostra abrandamento de novos casos (mas é preciso "cautela")

Portugal tem assistido desde o dia 25 de março a um abrandamento do aumento percentual diário de novos casos de covid-19, segundo dados divulgados pelo Barómetro Covid-19 da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP). Segundo Carla …