/

Jogo das negociações ganha mais um capítulo. BE pediu ao Governo mais detalhes sobre as propostas

Tiago Petinga / Lusa

O primeiro-ministro António Costa e a coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins

O Bloco de Esquerda ouviu as propostas do Governo, mas querem ir mais além com um compromisso concreto, de modo a conhecer a “dimensão real” da aplicação das medidas.

O Bloco de Esquerda ouviu o Governo, mas quer “mais informações” sobre o “impacto real” das propostas nas duas matérias em que admitiu terem sido feitos avanços na negociação do Orçamento do Estado para 2021: o reforço do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e a nova prestação social.

De acordo com o Público, o partido de Catarina Martins espera voltar a reunir-se com o Executivo para consolidar os avanços feitos na reunião de terça-feira.

Esta quarta-feira, o líder parlamentar Pedro Filipe Soares disse que “não estão marcadas” novas negociações presenciais, mas não descartou que pudessem existir mais encontros até à realização da mesa nacional do Bloco, no domingo.

O Bloco assinalou alguns progressos, mas algumas das propostas feitas pelo Governo foram apresentadas oralmente. O partido quer vê-las esclarecidas antes de se pronunciar sobre o estado das negociações ou decidir o sentido de voto.

Entre elas estarão a calendarização por escrito para investimentos no Serviço Nacional de Saúde e as contratações de profissionais de saúde​, as condições de acesso à nova prestação social e o valor da mesma.

O BE apresentou quatro pilares, mas só dois deles viram avanços. A legislação laboral e o Novo Banco ficaram por terra. O Governo descartou negociar alterações à primeira, não só a respeito da limitação de despedimentos em empresas com lucros que beneficiem de apoios do Estado no contexto pandémico, quer no regresso a algumas das leis em vigor antes da troika.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.