Milhares de barcos de pesca estão a usar mão de obra escrava. Agora, a IA está a encontrá-los

Uma equipa de investigadores está a recorrer à Inteligência Artificial para descobrir embarcações de pesca que provavelmente estejam a usar trabalho forçado.

A pesca em alto mar é um mistério, economicamente falando. Essas áreas de oceano aberto além da jurisdição territorial de qualquer nação são geralmente consideradas áreas de pesca de alto esforço e baixo rendimento, embora os pescadores continuem a trabalhar nelas de qualquer maneira.

Gavin McDonald é um cientista de dados ambiental que utiliza dados e técnicas analíticas para responder a perguntas críticas sobre a gestão de recursos naturais. Em 2018, os seus colegas do Laboratório de Soluções de Mercado Ambiental descobriram que a pesca em alto mar muitas vezes parece ser um empreendimento quase totalmente não lucrativo.

Mesmo assim, os pescadores continuam a pescar em alto mar em números surpreendentes, sugerindo que esta atividade está a ser apoiada financeiramente além de apenas subsídios governamentais.

O trabalho forçado é um problema conhecido na pesca em alto mar, mas a escala tem sido muito difícil de rastrear historicamente. A equipa de investigadores, liderada por McDonald, acredita que talvez muitas destas embarcações estejam, de certo modo, a ser subsidiadas através de baixos custos de mão de obra. Estes custos podem até ser zero se as embarcações estiverem a usar mão de obra escrava.

Assim, a equipa de investigadores desenvolveu uma maneira de prever se um navio de pesca tinha um risco alto de usar trabalho forçado. O estudo mostra que até 100.000 pessoas podem ter sido vítimas de trabalho forçado entre 2012 e 2018 nesses navios. Os resultados foram publicados esta semana na revista científica PNAS.

E se as embarcações que usam trabalho forçado se comportarem de maneiras observáveis, fundamentalmente diferentes das embarcações que não o fazem?

Para responder a isto, os cientistas examinaram 22 embarcações conhecidas por terem usado trabalho forçado. Pegaram nos seus dados históricos de rastreamento por satélite da Global Fishing Watch e usaram-nos para encontrar semelhanças no comportamento destas embarcações.

Esta lista de indicadores inclui o comportamento dos navios, como passar mais tempo em alto mar, viajar para mais longe dos portos do que outros navios e pescar mais horas por dia do que outros barcos. Por exemplo, às vezes, essas embarcações suspeitas ficavam no mar por muitos meses seguidos.

Os cientistas examinaram 16.000 navios de pesca usando dados de 2012 a 2018. Entre 14% e 26% desses barcos mostraram um comportamento suspeito que sugere uma alta probabilidade de estarem a usar trabalho forçado. Isto significa que, nesses seis anos, até 100.000 pessoas podem ter sido vítimas de trabalho forçado.

Não se sabe se esses barcos ainda estão ativos ou quantos navios de alto risco podem haver no mar hoje.

PARTILHAR

RESPONDER

Quem bebe café tem melhor controlo motor e maior nível de atenção, diz estudo

Um investigador da Universidade do Minho (UMinho) concluiu que consumidores de café têm melhor controlo motor, maiores níveis de atenção e alerta e que a cafeína tem "benefícios na aprendizagem e na memória", divulgou esta …

Pas de Deux cósmico. NASA mostra dois buracos negros a distorcer a luz à sua volta

A NASA publicou um vídeo em que mostra um par de buracos negros com milhões de vezes a massa do Sol que executam um pas de deux hipnótico. A visualização da NASA mostra como os buracos …

Inteligência Artificial recriou a voz de Einstein (e é possível fazer-lhe perguntas)

Graças à Inteligência Artificial, os fãs do Nobel da Física Albert Einstein podem agora "falar" com o físico alemão online. Segundo o site IFLScience, a ideia partiu das empresas Aflorithmic e UneeQ, sediadas no Reino Unido …

O SUV BZ4X lança o mote para a nova sub marca de elétricos da Toyota

A Toyota apresentou o primeiro modelo 100% elétrico da BZ, acrónimo de Beyond Zero (além do zero), sub marca da fabricante nipónica dedicada exclusivamente aos elétricos. O SUV BZ4X será o primeiro de uma ofensiva …

A "tele-escola" em 2006: Gisela conta como era

20 de abril de 2020: o regresso da escola à RTP, agora com a designação Estudo Em Casa. Um ano depois desse momento, cruzámo-nos com uma jovem que nasceu em 1994 e que ainda estudou …

O famoso consumo de chá de Jane Austen liga a escritora ao comércio de escravos

O consumo de chá de Jane Austen vai ser submetido a "interrogatório histórico" sobre as suas ligações à escravatura, de acordo com o diretor de um museu dedicado à autora inglesa. A casa da escritora na …

Júri declara ex-polícia Derek Chauvin culpado da morte de George Floyd

Os jurados do julgamento do ex-agente da polícia acusado do homicídio do afro-americano George Floyd chegaram a acordo sobre o veredito esta terça-feira. Derek Chauvin foi considerado culpado. A decisão dos jurados, reunidos desde segunda-feira num …

Lago "assassino" matou cerca de 1.800 pessoas em apenas alguns minutos (e a história pode repetir-se)

A noite de 21 de agosto de 1986 parecia ser igual a outra qualquer. Até que, por volta das 21h30, ouviu-se um barulho muito estranho no Lago Nyos, no noroeste dos Camarões. E em minutos, …

Nigéria. Youtube fecha canal de pastor que pretende "curar a homossexualidade"

O pastor nigeriano TB Joshua apelou aos seus seguidores a "rezarem pelo YouTube" e a não responderem através do ódio ao encerramento do seu canal naquela plataforma, onde colocou vídeos em que afirmava "curar a …

Esquemas de Wall Street alimentaram a crise de 2008. Está a voltar a acontecer o mesmo

Bancos têm erroneamente relatado dados de rendimento inflacionados que comprometem a integridade dos valores imobiliários resultantes. Foi há mais de 12 anos que foi anunciada a falência do Lehman Brothers, o quarto maior banco de investimento …