As bananas estão em perigo de extinção

Uma banana selvagem, que só existe em Madagáscar, pode ser crucial para a proteção das plantações de banana comestível. A má notícia é que foi colocada na lista de espécies ameaçadas de extinção.

Cerca de 40% das bananas consumidas em todo o mundo são de um tipo conhecido como Cavendish, um tipo vulnerável a uma doença conhecida como o “mal do Panamá”, causada pelo fungo F. oxysporum.

Esta doença está confinada à Ásia, pelo menos para já. No entanto, se chegar ao continente americano poderá ser uma verdadeira catástrofe, principalmente à América Centro, dado que o Equador é o principal exportador deste fruto e, se esta doença lá chegar, poderá colocar em causa o abastecimento dos mercados.

Mas há uma espécie que cresceu completamente isolada,longe da ilha principal de Madagáscar. Esta espécie pode ter propriedades distintas dos demais tipos de fruta, defende um especialista dos Royal Botanic Gardens, em Kew, no Reino Unido. Por este motivo, o cientistas referem que é essencial conservar esta “espécie solitária”.

“Esta espécie não tem ‘mal do Panamá’, portanto talvez tenha traços genéticos que lutem contra a doença. Não saberemos até analisarmos mesmo a banana, mas não o podemos fazer até ela ser salva”, afirmou Richard Allen à BBC.

No entanto, esta espécie foi colocada na lista de espécies ameaçadas de extinção. Mas há ainda uma réstia de esperança, já que os cientistas esperam que a inclusão deste tipo de banana numa lista de alerta da Organização Internacional para a Conservação da Natureza acelere o processo de proteção.

Hélène Ralimanana, do jardim botânico londrino diz que é muito importante conservar esta banana “porque tem grandes sementes que podem oferecer a oportunidade de encontrar um gene para melhorar a banana cultivada”.

Este tipo de banana produz sementes dentro da fruta, ou seja, não é comestível. Mas um cruzamento de espécies podem levar à criação de um novo tipo de banana que, além de comestível, pode ser também resistente.

A espécie mais plantada na América do Sul, até aos anos 50 do século passado, era a Gros Michel, mas foi devastada por uma epidemia deste mesmo fungo. O facto de as bananas não terem sementes torna-as bastante vulneráveis.

Nos últimos tempos, têm existido vários estudos que têm como principal objetivo analisar um possível trabalho genético para tornar as bananas mais resistentes, como revela um estudo publicado na Nature. Esta pode ser a estratégia certa para que continuemos a desfrutar do agradável sabor desta fruta.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

O Ártico pode ficar sem gelo no verão de 2044

As mudanças climáticas provocadas pelo Homem estão muito perto de tornar o Ártico livre de gelo, já a partir do verão de 2044. Um artigo científico, publicado recentemente na Nature Climate Change por investigadores da Universidade …

Estamos sozinhos no Universo? Cientistas detalham que exoplanetas poderiam albergar vida

Através da modelagem climática, uma equipa de cientistas da Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos, apontou que tipo de planetas têm maior probabilidade de serem habitáveis. A descoberta pode ajudar os astrónomos a selecionar áreas …

Viagens ao Espaço têm um novo perigo desconhecido para os astronautas

Há um perigo inerente às longas viagens espaciais dos astronautas desconhecido até aos dias de hoje. Um novo estudo aponta que os cosmonautas podem ver o seu fluxo sanguíneo revertido na parte superior do corpo. A …

Macrocilix maia, a misteriosa traça que tem moscas a comer fezes nas suas asas

Macrocilix maia é uma espécie de traça que se destaca pela forma como se camufla dos seus predadores. Nas suas asas vê-se duas moscas a comer excrementos de pássaro. A natureza nunca falha em surpreender-nos e …

Há provas que ligam misteriosa doença que paralisa crianças a vírus raro

Pela primeira vez, foram encontradas provas da associação do Enterovírus D68, um vírus raro até há algum tempo, à Mielite Flácida Aguda, uma doença semelhante à poliomielite que tem afectado centenas de crianças, provocando a …

Antigos egípcios podem ter encurralado milhões de pássaros só para os mumificar

Novas evidências de ADN sugerem que os antigos Egípcios capturavam pássaros selvagens para sacrifícios ritualísticos (e para os poderem mumificar depois). As catacumbas egípcias contêm milhares de pássaros mumificados, especificamente íbis-sagrados (Threskiornis aethiopicus), empilhados uns sobre …

Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias. Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial …

A Rússia criou a arma mais mortífera da história. Foi há 72 anos

Comummente conhecida por AK-47, a espingarda Kalashnikov foi responsável por milhões de mortes durante a nossa História, sendo uma das armas mais populares do mundo e a mais fabricada pela indústria de armamento. Segundo o The Conversation, …

Luxemburgo 0-2 Portugal | Campeão marca presença no Euro

Portugal venceu o Luxemburgo por 2-0 e apurou-se para a fase final do Euro2020 – a 11ª presença consecutiva da turma das “quinas” em fases finais de grandes competições. Num encontro mal jogado, em parte pelas …

Hologramas e outras tecnologias podem ajudar a combater incêndios florestais

Portugal continua a ser assombrado pela destruição sem precedentes dos incêndios florestais. Agora é a hora de aproveitar as nossas ferramentas tecnológicas e encontrar maneiras inovadoras de ajudar a aliviar o problema e também evitar …