/

Ayuso com vitória triunfal. PP esmaga a esquerda em Madrid e Iglesias deixa a política

7

EPA / Mariscal

Isabel Díaz Ayuso

Isabel Díaz Ayuso, presidente da Comunidade de Madrid, reeleita no cargo pelo PP a 4 de Maio de 2021.

O Partido Popular (PP) conseguiu uma vitória significativa nas eleições regionais de Madrid, conquistando mais assentos parlamentares do que toda a esquerda junta e consolidando o poder de Isabel Díaz Ayuso. Na extrema-esquerda, Pablo Iglesias, do Unidas Podemos, deixa a política.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Com 97% dos votos contados, o PP é o grande vencedor das eleições para a Assembleia da Comunidade de Madrid. Mas “é preciso personalizar o triunfo” na candidata do PP, Isabel Díaz Ayuso que, há dois anos, era “uma absoluta desconhecida”, mas que agora se “consolida como um autêntico fenómeno político”, realça o El País.

O PP de Ayuso soma mais assentos parlamentares do que os três partidos de esquerda juntos e, assim, poderá governar sem o apoio do Vox de extrema-direita.

A direita consegue somar 78 lugares (65 do PP e 13 do Vox) contra os 58 da esquerda (24 do PSOE, 24 do Más Madrid e 10 do Podemos), conforme as contas do El País.

Nas eleições de Maio de 2019, Ayuso tornou-se presidente da região de Madrid graças a uma “geringonça” com o Cidadãos (direita-liberal) e com o apoio parlamentar do Vox, depois de o PSOE ter sido o partido mais votado.

Em meados de Março deste ano, Ayuso dissolveu o parlamento regional e pôs fim à aliança com o Cidadãos, convocando eleições antecipadas.

Uma jogada de mestre da presidente da Comunidade de Madrid que conseguiu capitalizar a popularidade juntou entre uma parte da população da cidade.

Socialistas com derrota histórica

O Partido Socialista (PSOE) é o grande derrotado das eleições, tendo perdido 13 deputados regionais em comparação com a última votação.

Este resultado é também um contratempo para o primeiro-ministro socialista Pedro Sánchez que lidera uma coligação de esquerda com o Unidas Podemos no Governo nacional.

Trata-se do pior resultado da história dos socialistas espanhóis que ficaram atrás do Más Madrid, com uma diferença de cerca de 2.000 votos. O Más Madrid é agora a força política mais votada à esquerda.

Pedro Sánchez já felicitou Ayuso pelo “grande resultado” alcançado. “As urnas deram a Ayuso um grande resultado e, acima de tudo, uma grande responsabilidade. Parabéns”, aponta o primeiro-ministro espanhol no seu perfil no Twitter.

Quanto aos restantes resultados eleitorais, o Cidadãos fica de fora da Assembleia e o Vox é a quarta força na Comunidade de Madrid, ao eleger 13 deputados regionais, mais um do que há dois anos.

A coligação de extrema-esquerda Unidas Podemos, com Pablo Iglésias como candidato, subiu de sete para 10 o total de assentos parlamentares.

Ahora Madrid / Flickr

Pablo Iglesias, líder do Unidas Podemos

Pablo Iglesias anuncia retirada da política

Após o sucesso evidente da direita nas eleições regionais de Madrid, e apesar de o Unidas Podemos até ter conseguido melhorar a votação de há dois anos, Pablo Iglesias anunciou que se retira da política.

Abandono todos os meus lugares, vou deixar a política no sentido da política partidária”, apontou Iglesias a um grupo de activistas do seu partido, depois de se saber o resultado das eleições regionais de Madrid.

Pablo Iglesias é o líder do Unidas Podemos e foi vice-presidente no Governo minoritário de Sánchez, tendo abandonado o executivo em Março para concorrer às eleições regionais de Madrid.

  ZAP // Lusa

7 Comments

  1. O Syriza da Grécia rebentou. Agora foi o Podemos. O BE português não lhe faltará muito para se esvair. São seitas partidárias ocasionais, sem fôlego e sem essência. Apenas arte ilusionista passageira.

    • Olhe que nós somos dos poucos que ainda temos um partido comunista em pleno século XXI. Não subestime a ignorância do povo!

  2. Isto é o resultado de uma extrema esquerda desligada da realidade de um país, Estando apenas preocupada com os casos mediáticos de outros países ou defender direitos de outros povos pisando nos costumes, hábitos ou historia do seu próprio povo.

  3. Alguns Media ficaram desiludidos com os resultados eleitorais de Madrid. Se não fosse o ZAP, eu nem sabia.

  4. Espero que esses bons ventos soprem em Portugal e faça com que o BE desapareça do mapa politico nacional.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.