Áustria corrige Trump. Os seus cidadãos não vivem em florestas

O Governo austríaco decidiu corrigir a afirmação do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que afirmou que as pessoas naquele país europeu vivem em “cidades da floresta”.

Trump referiu recentemente a Áustria e outros países europeu como modelos exemplares de boa gestão florestal, com os quais os estados norte-americanos, como a Califórnia, a braços com violentos incêndios, deviam aprender.

“Podemos olhar para países, como a Áustria e outros. Eles vivem na floresta, são consideradas cidades da floresta. E não têm incêndios como este. E eles têm árvores muito mais explosivas”, disse Trump, durante uma declaração à estação televisiva Fox, na terça-feira passada.

A ministra da Agricultura da Áustria, Elisabeth Koestinger, decidiu responder a Trump, num artigo publicado esta quinta-feira no jornal britânico The Independent.

“Houve comentários sérios e humorísticos, nas redes sociais, sobre as árvores a explodir. (Trump) referiu, também, que vivemos em ‘cidades da floresta’, que nunca se incendeiam”, escreveu Koestinger. “Como austríacos, felizmente abençoados com um saudável sentido de humor, não ligamos muito a esses ‘clichés’“, disse a ministra.

“Contudo, a gravidade dos eventos atuais torna as palavras de Trump mais preocupantes – afinal, neste momento, milhares de pessoas lutam contra os incêndios florestais, vivendo situações de vida ou de morte”, explicou Koestinger.

“Na realidade, a Áustria é um país situado no coração da Europa, onde as pessoas não vivem na floresta, mas sim com a floresta e numa relação próxima e sustentável com o ambiente natural”, escreveu a ministra no artigo hoje divulgado.

Hannes Sallmutter / Wikimedia

A ministra da Agricultura da Áustria, Elisabeth Koestinger

“Para que fique claro: Não, não temos nenhuma árvore a explodir na Áustria“, enfatizou Koestinger, embora tenha confirmado a afirmação de Trump de que os austríacos “encontram uma maneira de dar às suas árvores o espaço de que precisam”.

“Isso não nos torna ‘povos da floresta’, mas mostra como é importante compreender o nosso meio ambiente e os nossos recursos naturais”, concluiu a ministra austríaca.

Há várias semanas que incêndios devastam a costa oeste dos Estados Unidos e são tão intensos que o fumo já alcançou a Europa. Mais de 17 mil bombeiros combatem as chamas desde meados de agosto, só na Califórnia. O estado mais afetado contou com cerca de 25 grandes ignições.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Enfim, criticar só por criticar. Afinal os austríacos vivem nas florestas ou em cidades da floresta? Por acaso os algarvios ficam ofendidos se lhes disserem que eles vivem em cidades das praias?? Ou será ofensivo dizer que os habitantes da Guarda vivem numa cidade da Serra? Se na Áustria existem muitas florestas qual é o problema em dizer que os austríacos vivem em cidades da floresta??!

RESPONDER

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …

Novo estudo diz que Remdesivir não tem "impacto significativo" nos doentes com covid-19

Ao contrário do que se pensava, o medicamento antiviral remdesivir não reduz as mortes entre os pacientes com covid-19, sobretudo quando comparado com o tratamento padrão, de acordo com os resultados de um estudo internacional. Em …