Auditoria secreta da ONU detecta irregularidades na Missão de Paz no Haiti

foto: Marcello Casal Jr/ABr

foto: Marcello Casal Jr/ABr

 

Auditorias secretas às quais o jornal O Estado de S. Paulo teve acesso alertaram para suspeitas de irregularidades na Missão de Paz no Haiti (Minustah), criada em 2004 e, desde então, sob comando militar do Brasil. Entre os problemas identificados, há contratos sobre-facturados, pagamentos de serviços sem factura e adjudicações com suspeitas de favorecimento a uma empresa que obteve um contrato milionário.

Dois anos depois do início da missão, um primeiro relatório interno da ONU apontou as primeiras irregularidades. Numa carta de 20 de março de 2006 a Juan Gabriel Valdés, então representante especial do secretário-geral da ONU, Kofi Annan, a Divisão de Auditoria Interna revela a sua preocupação com o que encontrou no Haiti. Uma das constatações foi a de que, dos 6,2 M€ pagos pela Minustah a fornecedores locais, 2,8 M€  foram feitos sem contrato escrito.

Outro alerta: as empresas fornecedoras estão a “inflacionar recibos”. Foi o caso da Haytian, que teria fornecido os seus produtos com uma diferença de 87% em comparação com os preços estabelecidos pelo governo. Segundo a auditoria, a empresa “começou a cobrar esse exorbitante valor adicional desde outubro de 2004”, e o valor extra cobrado pela empresa levou a ONU a perder aproximadamente 314.000 € entre junho de 2004 e janeiro de 2006.

No mesmo relatório, os auditores revelam que a Minustah pagou 5.100 € por um serviço que foi realizado pelos próprios funcionários da ONU, além do gasto de 41 .000 euros para a compra de espaço publicitário sem autorização do Departamento de Aprovisionamento.

Outro problema identificado foi com a compra de combustível para os mais de 2 mil automóveis, camiões, tanques e aviões da ONU que estavam no país entre 2005 e 2006. A auditoria constata que não foram plenamente adoptados os mecanismos para evitar fraude nos combustíveis dos tanques.  “Uma série de irregularidades ocorreu no processo de licitação de compra de combustíveis”, afirma o documento.

“A confidencialidade das propostas (das empresas que concorreram à licitação) não foi preservada e, no geral, faltou integridade ao processo”, alerta o documento. Houve, segundo a análise, favorecimento de uma das empresas, a Dinasa, que conseguiu um contrato de 6,4 M€, num concurso a que se apresentaram a Total, a Dinasa e a Skylink . “A Total ofereceu um preço muito mais baixo que a oferta da Dinasa. Portanto, a Total deveria ter ganho o contrato”, realça a auditoria.

Contactada pelo jornal paulista, a agência responsável pela auditoria confirmou ter investigado o caso, mas recusou fornecer mais detalhes.

MA/Agência Estado

PARTILHAR

RESPONDER

Ministério dispensa quase todos os alunos da renovação de matrículas (após ataques informáticos e o desespero dos pais)

As matrículas online são agora obrigatórias apenas para os alunos que no próximo ano lectivo vão iniciar os 5.º, 7.º e 10.º anos de escolaridade. O anúncio é feito pelo Ministério da Educação depois das …

"Estavam prontos para bater". Atleta Ricardo dos Santos vai processar polícia londrina

O atleta português Ricardo dos Santos disse na segunda-feira que não demorou mais de 20 segundos a parar o carro, quando lhe foi pedido pelas autoridades em Londres, e garantiu que vai processar a polícia …

Motorista de autocarro em morte cerebral depois de agressões de passageiros em França

Um motorista de autocarro foi declarado em morte cerebral esta segunda-feira, em França, depois de ter sido agredido no domingo por passageiros a quem recusou a entrada no transporte público. No domingo à noite, um motorista …

Erro de laboratório origina 20 casos em dois clubes da Liga búlgara

Vinte pessoas estão infetadas com o novo coronavírus, após um futebolista com covid-19 ter participado no duelo entre o Cherno More e o Tsarko Selo, da Liga búlgara, devido ao erro de um laboratório, foi …

Soleimani foi assassinado de forma "ilegal e arbitrária", considera perita da ONU

A relatora especial da ONU, Agnes Callamard, considera que os Estados Unidos não apresentaram provas suficientes para justificar o ataque. Uma especialista da ONU concluiu que o general iraniano Qasem Soleimani, morto num raide norte-americano …

Bolsonaro infetado com covid-19

A imprensa brasileira confirmou, esta terça-feira, que o Presidente Jair Bolsonaro está infetado com covid-19. O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, testou positivo à covid-19. De acordo com a Globo, a informação foi avançada pelo próprio, …

Costa avisa que vem aí a "fase mais crítica" dos incêndios e pede prevenção

O primeiro-ministro participou numa reunião de acompanhamento e monitorização sobre prevenção e combate a fogos florestais e advertiu, esta terça-feira, que Portugal entra agora na fase mais crítica. Esta terça-feira, o primeiro-ministro advertiu que Portugal entra …

"Fracasso" no combate à covid-19. Diretora de Saúde de Israel demite-se

Siegal Sadetzki, diretora dos serviços públicos do Ministério da Saúde de Israel, denunciou o "fracasso" das autoridades em retardar a propagação da covid-19 no país, apresentando a sua demissão. Uma responsável do Ministério da Saúde de …

Quase 900 professores vão entrar nos quadros do Ministério da Educação

Quase 900 professores vão entrar nos quadros do Ministério da Educação, no âmbito do concurso externo imposto ao Estado pela União Europeia. Mais de 800 professores passaram a integrar os quadros do Ministério da Educação através …

Após saída do primeiro-ministro, Macron faz remodelação governamental e muda ministros-chave

O Presidente francês Emmanuel Macron aproveitou a mudança de primeiro-ministro para levar a cabo uma profunda remodelação do seu Governo. Anunciada na segunda-feira, a grande mudança é o novo ministro do Interior, Gérald Darmanin, até …