EUA vão ter armas laser da Guerra das Estrelas em aviões de combate já em 2020

DARPA

O exército norte-americano vai começar a testar as suas armas laser de alte energia, HELLADS

A Força Aérea dos EUA está a preparar-se para equipar os seus aviões de combate com armas e escudos defensivos de alta tecnologia laser que fazem lembrar a “Guerra das Estrelas” – e a concretizar já daqui a cinco anos.

Os responsáveis do Laboratório de Pesquisa da Força Aérea norte-americana (AFRL) acreditam que podem tornar a ficção científica em realidade em 2020, altura em que pretendem testar uma destas armas lasers num caça a jacto.

“Vemos a tecnologia a evoluir e a amadurecer até ao ponto em que pode mesmo ser usada”, salienta o engenheiro da AFRL, Kelly Hammett, em declarações à CNN.

Esta evolução de que fala Kelly Hammett pode permitir afixar nos caças de combate cápsulas de armas de energia laser dirigida que permitirão um abastecimento ilimitado de munições, facilitando o ataque continuado a vários alvos.

Isto comporta custos muito mais baixos do que os despendidos com os dispositivos usados actualmente.

No horizonte está também a colocação de um escudo defensivo num avião que usará o poder da energia laser para destruir qualquer míssil ou avião inimigo que se aproxime do seu raio de acção.

Inovações a imitarem a ficção da “Guerra das Estrelas” que se podem tornar realidade graças à tecnologia conhecida como Sistema de Defesa de Área de Alta Energia Líquida Laser, ou HELLADS – High-Energy Liquid Laser Area Defense System.

“O objectivo do programa HELLADS é desenvolver um sistema de arma laser de 150 kilowatts que é cerca de 10 vezes mais pequeno e leve do que os lasers actuais com um poder semelhante, para permitir a integração em aeronaves tácticas para auto-defesa e ataque a ameaças terrestres”, explica a DARPA, a Agência de Projectos de Pesquisa Avançada de Defesa do Pentágono.

“Acredito que teremos uma cápsula de energia dirigida num avião de combate muito em breve”, confidenciou o general da Força Áerea norte-americana, Hawk Carlisle, durante uma conferência, onde falou da Guerra de Quinta Geração.

Segundo o Ars Technica, o general focou também a possibilidade de utilização, a breve prazo, de bombas inteligentes, que podem ser programadas por um piloto, logo depois de serem lançadas do avião, para explodirem de um certo modo e num dado momento.

O general realça a importância de poder recorrer a ataques cibernéticos às redes e sistemas de comunicação dos inimigos.

É crucial poder “usar a cibernética para negar à aviação adversária a capacidade de levantar voo“, explica Hawk Carlisle.

SV, ZAP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. E sempre as armas e a guerra como primeira opção, quando a vida na Terra já não for mais possível de que servirão as armas para a sobrevivência da espécie humana no planeta?

RESPONDER

Cientista descobre espécie extinta de ganso através de uma pintura egípcia

Uma famosa pintura que estava originalmente no túmulo do príncipe egípcio Nefermaat levou um cientista a descobrir uma espécie de ganso já extinta. A cena "gansos de Meidum", originalmente pintada no túmulo do príncipe Nefermaat, encontra-se …

Físico cria algoritmo de IA que pode provar que a realidade é uma simulação

Hong Qin, do Laboratório de Física de Plasma de Princeton (PPPL) do Departamento de Energia dos EUA, criou um algoritmo de Inteligência Artificial que pode provar que a realidade é, na verdade, uma simulação. O algoritmo …

Quase 10 anos depois, avião de Gaddafi continua parado num aeródromo em França

Quase uma década depois de ter aterrado em solo francês, o avião presidencial do ex-ditador líbio continua parado num aeródromo no sul do país, estando no meio de vários processos judiciais que parecem não ter …

Governo recebeu 1.600 ideias para a bazuca. Costa agradece mobilização

Durante a fase de discussão pública, o Plano de Recuperação e Resiliência recebeu mais de 1.600 contribuições e mais de 65 mil consultas. O primeiro-ministro António Costa disse que, durante a fase de discussão pública, …

"Honjok" é o nome do movimento sul-coreano que reivindica a solidão

A solidão tornou-se um tema recorrente devido à pandemia de covid-19. Na Coreia do Sul, existe um movimento chamado "honjok", que promove um estilo de vida solitário. O isolamento imposto pela pandemia de covid-19 está a …

Do subsolo sírio à nomeação ao Óscar: hospitais em tempos de guerra numa "era de impunidade"

The Cave é o nome de uma produção que esteve nomeada para o Óscar de Melhor Documentário de 2020. É também o lugar onde hospitais sírios se escondem para salvar vidas longe de bombardeamentos e …

Patrícia Mamona sagra-se campeã no triplo salto em pista coberta

Esta tarde, Patrícia Mamona tornou-se a terceira atleta portuguesa a garantir a medalha de ouro para Portugal no Campeonato da Europa em pista coberta. A portuguesa Patrícia Mamona conquistou, este domingo, a medalha de ouro na …

Dias de aulas mais longos, férias mais curtas e cinco períodos. Em Inglaterra, já se equacionam formas de recuperar o tempo perdido

Há três medidas em cima de mesa que podem vir a ser adotadas para combater os atrasos na aprendizagem dos alunos. Na Inglaterra, as escolas reabrem para aulas presenciais esta segunda-feira, mas já se pensa …

Índia abre centro de bem-estar para hóspedes abraçarem vacas e "esquecerem todos os problemas"

Animais de conforto e apoio emocional são cada vez mais populares em todo o mundo. Embora a maioria das pessoas use cães ou gatos, há também algumas escolhas mais bizarras, incluindo pavões, macacos e cobras. Os …

Abel Ferreira tentou levar jogador do Benfica para o Palmeiras

O treinador português Abel Ferreira, no comando técnico dos brasileiros do Palmeiras, pediu a contratação de Franco Cervi, que alinha pelo Benfica, mas acabou por ver a sua proposta recusada pelo jogador argentino. A notícia …