Arábia Saudita terá urânio suficiente para produzir armas nucleares. Israel e EUA já tremem

USDoD / Wikimedia

O príncipe saudita Mohammed bin Salman

Um estudo encomendado pela Arábia Saudita a geólogos chineses revela que o país tem capacidade suficiente de urânio para produzir energia –  e para dar e vender – literalmente. Assim, o príncipe herdeiro prometeu que caso o Irão produza bombas nucleares, a Arábia Saudita também o fará.

Segundo o The Guardian, o estudo revela que é provável que a Arábia Saudita tenha reservas suficientes de urânio para produzir combustível nuclear. Esta informação levanta uma questão: estará Riade interessada num programa de armas nucleares, à semelhança do Irão, seu rival regional Irão? Parece que a resposta pode ser positiva, esta hipótese já está a gerar inquietação nos EUA e criar receios em Israel.

A equipa que elaborou o estudo foi encarregue de mapear as reservas de urânio sauditas. Estas reservas, resultantes de prospeção preliminar entre 2017 e 2019, que carece de confirmação posterior, estarão concentradas em três jazidas no centro e noroeste do país e atingirão cerca de 90 mil toneladas.

Riade assumiu há anos o desejo de minerar urânio para se tornar “autossuficiente” na produção de combustível nuclear, para reduzir a dependência do petróleo. Os valores apontados no relatório, do Instituto de Investigação Geológica de Urânio de Pequim e da Corporação Nacional Nuclear Chinesa, permitiriam não só cumprir essa ambição como exportar ter conhecimento da capacidade de exportação.

O assunto remete para declarações feitas pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, que em 2018 assegurou que caso Teerão produzisse uma bomba nuclear, Riade faria o mesmo “o mais rapidamente possível”.

O cientista nuclear Mark Hibbs, do Instituto Carnegie pela Paz,  afirma que “quando se pondera desenvolver armas nucleares, quanto mais nativo for o programa nuclear, melhor. Nalguns casos os fornecedores externos de urânio exigem compromissos de fins pacíficos ao utilizador final. Se o urânio for nativo, não tem de haver preocupação com essas restrições”.

Um acordo com a Agência Internacional da Energia Atómica, firmado há 15 anos, permite à Arábia Saudita escapar a inspeções desde que se comprometa a limitar as quantidades de minério processado e a dar-lhe utilização pacífica. A agência quer rever esse pacto, embora Riade garanta que os objetivos são “pacíficos, evidentemente”.

Embora não entre em território saudita, a Agência está em contacto com o Instituto de Investigação Geológica de Urânio de Pequim. O envolvimento chinês explica-se, segundo “The Guardian”, por motivos comerciais e diplomáticos. Por um lado consegue um novo fornecedor de minérios, e cria laços com uma potência do Médio Oriente aliada dos Estados Unidos.

A novidade está a inquietar Washington

Um grupo de senadores americanos reagiu à notícia alertando Donald Trump, numa carta, para o risco de a Arábia Saudita produzir armas nucleares.

Na mensagem dos senadores pode ler-se: “Escrevemos para exprimir preocupação pelas notícias recentes de que a Arábia Saudita está a construir instalações nucleares secretas e pelos indícios de que o seu programa nuclear está a avançar rapidamente sem salvaguardas internacionais fortes”.

Na perspetiva do grupo, esta autonomia da Arábia Saudita pode “ameaçar seriamente o regime internacional de não-proliferação e os objetivos dos Estados Unidos no Médio Oriente”. Os senadores avisam ainda que a resistência de Mohammed bin Salman às propostas da IAEA “põe em causa as intenções pacíficas do programa nuclear de Riade”.

Também Israel comunicou aos Estados Unidos os seus receios perante a cooperação sino-saudita neste campo. De acordo o jornal digital israelita Walla, os  serviços de informações do Estado judaico comunicaram com os seus homólogos americanos sobre potenciais instalações nucleares sauditas e frisaram que o Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro do país, considera o assunto “muito sensível”.

Israel teme que a cooperação com a China se deva à não-exigência por Pequim de garantias de utilização pacífica.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Ninguém sabe do paradeiro dos Evangelhos Garima, um dos maiores tesouros do mundo cristão

Depois de terem sobrevivido a 1.500 anos de história num mosteiro remoto, os Evangelhos Garima enfrentam agora a sua ameaça mais grave. Um dos maiores tesouros do mundo cristão, guardado durante mais de 1.500 anos no …

"Estou preocupado". Ex-piloto da Marinha dos EUA diz que via OVNIs "todos os dias"

Um antigo piloto da Marinha dos Estados Unidos diz que, durante anos, viu Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs) "todos os dias". Depois de anos a ignorar a questão, uma task force do Pentágono prepara-se para revelar …

Peru está a investigar se a lixívia pode curar a covid-19

O congresso do Peru votou para investigar se beber ou injetar uma lixívia industrial poderia curar a covid-19. A moção foi aprovada com 49 votos a favor e 39 votos contra. Está a ser criado um …

Há vestígios de ouro nesta imagem de satélite

As operações de mineração num dos maiores depósitos de ouro da Rússia, em Aldan, incluem um método que deixa rastos na paisagem. E são visíveis do Espaço. A imagem de satélite, tirada em setembro de 2019, …

Dezenas de corpos de vítimas de covid-19 encontrados nas margens do rio Ganges

Ciclone Tauktae faz pelo menos 33 mortos na Índia (e paralisa vacinação contra covid-19)

Pelo menos 33 pessoas morreram e quase cem estão desaparecidas na Índia, devido ao impacto do ciclone Tauktae, esta terça-feira. O país também registou o maior número de mortes diárias provocadas pela covid-19. Centenas de milhares …

Cientistas criam dispositivos de testagem que produzem resultados em tempo recorde

Cientistas criaram dispositivos que permitem detetar infeção com o coronavírus SARS-CoV-2 num segundo ou em menos de 30 minutos, conforme a técnica usada, revelam dois estudos distintos divulgados esta terça-feira na imprensa da especialidade. Investigadores das …

CP está a vender bilhetes com 80% de desconto

A CP tem uma nova campanha, que entra em vigor esta terça-feira, através da qual disponibiliza cerca de 17.920 viagens com descontos até 80% nos comboios intercidades. De acordo com o jornal Público, os bilhetes abrangidos …

Mais de 40 pessoas, quase todas crianças, no hospital de Beja com vómitos

Um total de 35 crianças e seis adultos oriundos de diversas escolas do concelho de Beja deram esta terça-feira entrada no Hospital José Joaquim Fernandes, naquela cidade alentejana. A notícia foi avançada por fonte hospitalar, que …

Novo Banco. "Não era um banco bom, foi preciso fazer dele um bom banco", diz Centeno

O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, afirmou esta terça-feira que o Novo Banco “não era um banco bom” e “foi preciso fazer dele um bom banco”, recordando o “legado do BES” que marca …

Ensino superior com vagas especiais para lusodescendentes

O Governo alargou o contingente especial de acesso ao ensino superior dirigido a emigrantes e seus familiares permitindo que, no próximo ano letivo, se possam candidatar todos os lusodescendentes, de nacionalidade portuguesa e residentes no …