Apoio aos pais alargado. Oposição ainda quer mais

António Cotrim / Lusa

O Executivo de António Costa decidiu avançar com o alargamento do apoio aos pais, mas os partidos querem mais. As propostas serão discutidas esta quinta-feira, no Parlamento, e o Governo arrisca uma maioria negativa.

No caso das famílias monoparentais e nos casos em que haja partilha do apoio entre os dois progenitores, o apoio passará a ser de 100%.

Além disso, alguns pais vão poder trocar o teletrabalho pelo apoio. Para isso, têm de cumprir um de três requisitos: ter um filho que frequente até ao final do primeiro ciclo do ensino básico, incluindo creche e pré-escolar; um dependente com deficiência e incapacidade igual ou superior a 60%, independentemente da idade; ou caso a família seja monoparental.

As mudanças vão ser levadas a Conselho de Ministros esta quinta-feira, sendo que a medida “entrará em vigor logo que seja publicada”, disse a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, esta quarta-feira.

O ECO avança que os partidos querem mais e guardam na manga algumas propostas de alteração. Apesar de haver alterações em comum, ainda é incerto se alguma irá gerar consenso suficiente para se formar uma maioria negativa.

O PCP, Bloco de Esquerda, PAN e CDS-PP defendem que o apoio deve ser pago a 100% – uma medida a que o Governo respondeu, mas apenas em alguns casos. Nesta equação, e assumindo que o PS irá votar contra, o PSD é a peça-chave – e, pelo que o ECO apurou, não se mostra favorável à medida.

O consenso poderá ser mais abrangente na questão do alargamento dos pais em teletrabalho. A medida consta da proposta do PCP, do CDS e do PAN.

Ao Público, Clara Marques Mendes, do PSD, adiantou que o partido vai avançar propostas de alteração “no sentido de apoiar as famílias numerosas e monoparentais que estão em teletrabalho e que têm dificuldade em acompanhar os filhos”.

Como as famílias monoparentais são já acauteladas nas alterações do Governo, sobram as famílias numerosas e, para estas, o PSD defende que “um progenitor possa estar em teletrabalho e o outro receba o apoio à família”.

A proposta do Bloco de Esquerda ainda não deu entrada nos serviços do Parlamento, mas o partido defende a necessidade de “garantir que todos os trabalhadores em teletrabalho com filhos ou dependentes a cargo até ao final do 1.º Ciclo do Ensino Básico não ficam excluídos deste apoio, pela dificuldade objetiva de acumular teletrabalho com o cuidado permanente das crianças”.

Como são alterações já asseguradas pelo Executivo, é incerto se os bloquistas irão votar a favor de um alargamento mais extenso.

Já o PCP entende que estes apoios deveriam ir mais longe nas idades abrangidas, estendendo-se a famílias com filhos em casa até aos 16 anos. Fonte oficial do partido disse ao diário económico que as propostas do Governo “estão entregues”, mas “a discussão com o Governo pode continuar”.

O PAN defende o apoio pago a 100% e que se deve conjugar o apoio social “mesmo que exista um progenitor em teletrabalho”. Ao ECO, Inês Sousa Real disse que, quanto ao sentido de voto do partido nas outras propostas, terá de “conhecer em detalhe, para perceber o que está em causa” antes de definir um sentido de voto.

Também ao matutino, a Iniciativa Liberal aponta que, independentemente da posição final que irá assumir na votação, “encara positivamente a possibilidade e alargamento de apoios a quem, na sequência da proibição do ensino presencial, deixou de ter condições para o desempenho do teletrabalho”.

O Chega avançou com uma proposta sobre o tema, que se foca nas famílias monoparentais e numerosas, de modo a que sejam “eliminadas as diferenças entre as famílias cujos progenitores se encontram em teletrabalho e os progenitores que se encontram sem trabalhar por razões relacionadas com a pandemia”.

Além disso, a proposta requer que se “garanta que os elementos das famílias monoparentais recebem um apoio por parte do Estado correspondente a 100% do seu salário quando tenham a seu cargo crianças até 11 anos de idade”.

No caso das famílias numerosas, lê-se na proposta que “um dos progenitores possa ficar em casa, sem trabalhar, recebendo, também um apoio correspondente a 100% do seu salário quando tenham a seu cargo crianças até 11 anos de idade”.

Esta quarta-feira, Ana Mendes Godinho revelou que mais de 80% dos beneficiários do apoio excecional à família em 2020 foram mulheres, um detalhe que mostra o grande desequilíbrio que continua a existir quando se trata de assegurar o cuidado das crianças.

“82% das situações que recorreram ao apoio à família foram de mulheres, o que revela um desequilíbrio da presença nos locais de trabalho por parte das mulheres e a falta de partilha desta responsabilidade”, disse a ministra, citada pelo Público.

  ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

A praia de Katoku, no Japão.

Praia intocada no Japão é uma das últimas do país. A sua pureza está a ser violada

A praia em Katoku, no Japão, é parte do Património Mundial da UNESCO. A construção de um paredão está a dividir a população local. Nesta praia cercada por montanhas em Katoku, no Japão, quase não há …

"Amazónia está próxima do ponto de não retorno", alerta ex-ministra brasileira

Ex-ministra brasileira do Meio Ambiente alertou, este sábado, para a aproximação da Amazónia de uma catástrofe ambiental de proporções planetárias, durante um evento da Universidade Estadual da Califórnia, Santa Bárbara (UCSB). "A Amazónia já está próxima …

Estátuas usadas num jardim eram, afinal, relíquias egípcias com milhares de anos

Duas estátuas de pedra, usadas durante muito tempo como simples decoração de jardim, foram vendidas por cerca de 230 mil euros, depois de se ter chegado à conclusão que eram, afinal, relíquias egípcias com milhares …

Pandora Papers são "embaraço também para Portugal". Caso vai ser analisado pelo Fisco

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais garantiu que, tal como já aconteceu noutros casos deste género, os Pandora Papers vão ser analisados pela Autoridade Tributária. No início de outubro, uma nova investigação do Consórcio Internacional …

Gonçalo Esteves, Sporting

"Gonçalo Esteves é o futuro do Sporting". Adeptos rendidos ao ex-portista de 17 anos

O lateral-direito Gonçalo Esteves, de apenas 17 anos, estreou-se na equipa principal do Sporting, no jogo da Taça de Portugal contra o Belenenses, e o treinador Ruben Amorim diz que é "o futuro" do clube. …

Portugal regista mais 10 mortes e 612 novos casos de covid-19

Portugal registou, este sábado, mais 10 mortes e 612 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 612 novos …

Toda a herança de Rendeiro foi para o "rei dos táxis". MP investiga presidente da ANTRAL e o filho motorista

O Ministério Público está a investigar o ex-motorista de João Rendeiro e o seu pai, o presidente da ANTRAL, a maior associação de táxis portuguesa. Em causa estão suspeitas de lavagem de dinheiro quando se …

Depois do polémico golo de Mbappé, UEFA pondera mudar regra do fora de jogo

A UEFA defendeu uma reformulação da regra do fora de jogo, depois do polémico golo de Kylian Mbappé que, no último domingo, deu a vitória a França na final da Liga das Nações. Apesar da polémica, …

Nova deputada do PSD condenada por falsificação de documento

A nova deputada do PSD, que toma posse na Assembleia da República na próxima terça-feira, já foi condenada por falsificação de documento há dois anos. Segundo avança o Jornal de Notícias, Eugénia Duarte vai substituir Carla …

Presidente avisou partidos sobre cenário de eleições antecipadas: "Se tiver de ser, é"

Em caso de chumbo do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), o Presidente da República prefere não perder tempo e "matar o mal pela raiz". Findas as audiências com os partidos no Palácio de Belém, a …