Apoio de 60€ para o cabaz alimentar mantém-se por mais três meses

1

O Governo prolongará o apoio de 60 euros às famílias mais carenciadas pelo período de três meses, abrangendo cerca de um milhão de agregados, medida que poderá ter um custo total de 250 milhões de euros desde que foi criada.

Como lembrou o ECO, este apoio destinava-se apenas aos abrangidos pela tarifa social de eletricidade, sendo alargado aos beneficiários de outras prestações sociais mínimas – 762.320 dessas famílias receberam os 60 euros a 29 de abril.

Após o alargamento, no final de maio o cheque chegou a mais 280 mil famílias, perfazendo assim cerca de um milhão de agregados familiares.

Até agora, a medida representou uma despesa superior a 60 milhões de euros, pelo que mais três meses representam mais 187 milhões, totalizando, assim, um custo de 250 milhões de euros.

Têm direito a este apoio os beneficiários da Tarifa Social de Eletricidade; as famílias em que pelo menos um dos membros seja beneficiário de uma prestação social mínima, ou em que uma das crianças seja titular de abono de família do 1.º ou 2.º escalão e em que o apuramento do rendimento de referência do agregado familiar corresponde a situações de pobreza extrema, de acordo com a Segurança Social.

As prestações sociais mínimas são: o complemento solidário para idosos; o rendimento social de inserção; a pensão social de invalidez do regime especial de proteção na invalidez; o complemento da prestação social para a inclusão; a pensão social de velhice e subsídio social de desemprego.

A atribuição do apoio é automática para quem cumprir os critérios e o pagamento é feito pela Segurança Social, por transferência bancária ou através de vale postal.

O prolongamento do apoio é aprovado em Conselho de Ministros esta quinta-feira.

  ZAP //

1 Comment

  1. 60 euros de apoio.
    Apenas uma parte das pessoas têm esse direito.
    Nos aumentos das pensões é o mesmo.
    Se temos mais um pouco não temos nada ou temos pouco aumento pensões.
    A história é que uns pagam sempre e recebem nada.
    Melhor é acabar com todos os apoios!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.