Nikola apanhada a mentir. Protótipo do seu camião elétrico estava só a deslizar colina abaixo

Quando Trevor Milton, fundador da Nikola Motor Company, revelou o protótipo do camião Nikola One em dezembro de 2016, este foi apresentado como totalmente funcional. Agora, um relatório da Hindenburg Research vem afirmar que afinal a realidade não era bem a que a empresa queria mostrar.

“Isto funciona e funciona totalmente, o que é realmente incrível”, disse Trevor Milton na apresentação do Nikola One, em dezembro de 2016. Em janeiro de 2018, a empresa partilhou um vídeo no YouTube, com o título “Nikola One Electric Semi Truck in Motion”, onde mostrava o camião Nikola One a deslocar-se rapidamente ao longo de uma estrada deserta, demonstrando assim a sua capacidade de atingir altas velocidades.

Contudo, na semana passada, o Hindenburg Research publicou um relatório segundo o qual o Nikola One não estava sequer perto de estar funcional em dezembro de 2016.

O Hindenburg Research revela que o camião mostrado no vídeo não estava a andar de forma autónoma, e que a Nikola colocou o camião no topo de uma colina e o deixou deslizar para baixo. Supostamente, a empresa teria inclinado a câmara para fazer parecer que o camião estava a mover-se sozinho numa estrada nivelada – revela a Ars Technica.

A empresa admite que o Nikola One não funcionou

Na segunda-feira, a Nikola divulgou uma nota de imprensa na qual, embora critique muitas das afirmações do relatório do Hindenburg Research,  assume que o protótipo do Nikola One realmente não estava funcional em dezembro de 2016, e que também ainda não estava funcional quando a empresa lançou o vídeo 13 meses depois.

A empresa americana afirma que as baterias, conversores, direção hidráulica e alguns outros constituintes do camião estavam funcionais na altura da apresentação. Porém, a Nikola não revela se o facto do camião já tinha célula de combustível de hidrogénio a funcionar, ou motores para mover as rodas – dois componentes que o Hindenburg Research afirmou que não estavam no camião.

No que diz respeito ao vídeo, a empresa garante que “nunca afirmou que o seu camião estava a andar pela sua própria propulsão”, dizendo ainda que “os investidores que estavam a aplicar capital nesse período, conheciam a capacidade técnica do Nikola One na altura do seu investimento”, assegurando assim que nunca enganaram ninguém.

A Nikola afirma que atualmente a funcionalidade do Nikola One é irrelevante, uma vez que a empresa agora tem um protótipo funcional do seu sucessor, o Nikola Two.

O destino da Nikola está agora ligado ao sucesso do Nikola Two, Badger e outros produtos. Se esses produtos forem bem sucedidos, provavelmente não fará diferença se o Nikola One nunca funcionou, e rapidamente será esquecido este episódio menos feliz.

Contudo, Milton ter mentido descaradamente quando disse que o camião da Nikola “funciona e funciona plenamente” pode levar investidores e clientes a questionar os valores da empresa — e se realmente esta cumpre com aquilo que diz.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Este Trevor da “Nikola” é um trafulha de primeira. Se não conhecem o personagem pesquisem na net e/ou no YouTube… vão ficar surpreendidos… é um bom candidato a político em Portugal, mentiroso como é…

RESPONDER

Cientistas medem temperatura a 4 mil borboletas (e revelam a influência do clima no seu habitat)

Um grupo de cientistas do Reino Unido recolheu 4 mil borboletas selvagens para medir a sua temperaturas, alertando que algumas das espécies mais reconhecidas do país estão em ameaça de colapso, e em risco de …

Teia da morte. Cientistas desenvolvem nova forma de matar células cancerígenas

Um novo estudo sugere que, através de uma interrupção direcionada e localizada da estrutura das células cancerígenas, o seu mecanismo de autodestruição pode ser ativado. As células cancerígenas multiplicam-se de forma incontrolável, levando a um crescimento …

Boavista 2-0 Porto | “Manita” em 45 minutos demolidores

Goleada do “dragão” no Bessa. No dérbi portuense entre Boavista e FC Porto, os campeões nacionais sentiram dificuldades na primeira parte, não conseguiram sequer enquadrar qualquer um dos seus remates, mas na segunda parte tudo …

Magawa, o rato que deteta minas, ganhou uma medalha de ouro

Magawa, um rato gigante africano, foi treinado para descobrir minas terrestres e tem estado ao serviço no Camboja. O animal foi agora proclamado herói e premiado por salvar vidas naquele país. A instituição de caridade britânica …

Cientistas descobrem nova espécie de crustáceo no lugar mais quente da Terra

Uma equipa de cientistas descobriu uma nova espécie de crustáceo de água doce durante uma expedição ao deserto de Lute, no Irão, também conhecido como o lugar mais quente do planeta. Hossein Rajaei, do Museu Estadual …

Furacão Sally fragmentou parte de uma ilha da Florida em três

A passagem do furacão Sally fragmentou parte de uma ilha na costa da Florida, no Estados Unidos, criando assim três pequenas porções de terra. Na prática, tal como explica o portal USA Today, o furação abriu …

Benfica 2-0 Moreirense | “Águia” vence e convence cónegos

Após ter perdido e empatado nas duas últimas recepções ao Moreirense, o Benfica voltou a vencer o emblema de Moreira de Cónegos na Luz. Este sábado, em duelo relativo à segunda jornada do campeonato, as “águias” …

"Surpreendente e fascinante". Descoberta pela primeira vez uma aurora sobre um cometa

A nave Rosetta da Agência Espacial Europeia (ESA) detetou uma aurora boreal sobre o cometa 67P / Churyumov-Gerasimenko (67P / C-G). Em comunicado, os cientistas envolvidos na deteção frisam que esta é a primeira vez quem …

Austrália não quer que turistas caminhem na famosa rocha sagrada Uluru (nem no Google Maps)

A Austrália pediu ao Google que remova do seu serviço Maps fotografias tiradas do topo de Uluru, o monólito aborígine sagrado que os visitantes estão proibidos de escalar desde o ano passado. De acordo com a …

NASA vai procurar aquíferos nos desertos com tecnologia já usada em Marte

Uma parceria entre a NASA e a Fundação Qatar tem como objetivo procurar as cada vez mais escassas águas que estão enterradas nos desertos do Saara e da Península Arábica. Este processo deverá ser desenvolvido …