“Ano de 2020 pode ser menos mau internacionalmente do que temia”

Toms Kalnins / EPA

O Presidente da República considerou esta quarta-feira que “o ano de 2020 pode ser economicamente menos mau internacionalmente do que temia”, devido à evolução do Brexit e da “guerra comercial” entre Estados Unidos da América e China.

Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que “o ano de 2020 pode ser economicamente menos mau internacionalmente do que temia”, devido à evolução do Brexit e da “guerra comercial” entre Estados Unidos e a China.

Ainda assim, o Presidente da República não excluiu a hipótese de surgir “de repente um acontecimento” no plano global com “efeitos nos mercados ou na economia, imprevisíveis”, advertindo que “há muita turbulência em todos os continentes“.

Neste contexto, deixou um elogio à atuação europeia e portuguesa: “O que se pode dizer é que a União Europeia tem feito, até agora, tudo o que deve para esbater os efeitos negativos, e Portugal também, no que pode – não pode muito em termos internacionais, mas pode bilateralmente no caso, por exemplo, do Reino Unido”.

“Mas fica sempre esta incógnita. Eu tendo a considerar que o ano de 2020 pode ser economicamente menos mau internacionalmente do que temia. Mas eu temia que fosse bastante mau. E quanto menos mau for, melhor para a economia portuguesa”, afirmou.

No caso do Brexit, segundo Marcelo Rebelo de Sousa, “o panorama melhorou nos últimos meses”, com a perspetiva de uma saída com acordo, e “há que reconhecer que o anterior Governo trabalhou muito rapidamente” para atenuar consequências negativas.

“Tudo indica que, com o período de transição, nós vamos assistir, portanto, a efeitos muitos deles já não imediatos, mas no final de 2020, a partir de 2021, e alguns dos efeitos para Portugal podem vir a ser menos maus do que se temia”, concluiu.

O Presidente da República, que hoje termina em Bolonha uma visita de Estado a Itália, assinalou, por outro lado, “o facto de, porventura, num ano eleitoral americano, a guerra entre Estados Unidos e a China não ser tão forte quanto se temia“. “Porque algumas medidas são adiadas, porque continuam negociações ou porque só são tomadas algumas medidas, é menos mau do que se temia.”

Marcelo Rebelo de Sousa realçou que a situação nacional “depende do ambiente mundial e do ambiente europeu” e em particular dos principais destinos de exportações portuguesas.

Depende muito de como estiverem as economias para onde exportamos, mesmo diversificando, como estamos a diversificar. Eu acho que o investimento pode continuar a vir do estrangeiro, mas é uma incógnita a dimensão desse investimento. O consumo tem aguentado muito razoavelmente”, apontou.

O Presidente da República acrescentou que “uma parte desse consumo é um efeito indireto das relações com o exterior, efeito do turismo que, esse, aguentou muito bem este ano, efeito daqueles novos residentes em Portugal”, observando: “Não se fala neles, mas têm um poder de compra muito grande“.

Ainda sobre a atuação do anterior Governo face ao Brexit, Marcelo referiu que, “quando se previa mesmo que pudesse não haver acordo, Portugal já estava a fechar tudo o que era preciso fechar de acordos bilaterais com o Reino Unido, até ao pormenor da situação dos nacionais de um Estado no outro Estado, direito de voto, saúde, Segurança Social”.

Portanto, foi tudo muito acautelado para o pior cenário. Se o cenário for um bocadinho menos mau, melhor”, considerou.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O vento solar é estranhamente atraído para o Pólo Norte (e não se sabe porquê)

Durante anos, os cientistas pensaram que o vento solar era igualmente atraído para os Polos Norte e Sul da Terra. No entanto, estudos recentes mostram que estas partículas parecem preferir o Norte - e não …

22 mil pessoas vão assistir (no estádio) ao Super Bowl

Um terço das pessoas presentes será composto por profissionais de saúde. Quatro equipas ainda na luta pelo título do campeonato principal de futebol americano. O dia 7 de fevereiro vai contar com uma "visão rara" nos …

Investigadores "voltam atrás no tempo" para calcular idade e local de explosão de supernova

Os astrónomos estão a "voltar atrás no tempo" num remanescente de supernova. Usando o Telescópio Espacial Hubble da NASA, refizeram o percurso dos estilhaços velozes da explosão a fim de calcular uma estimativa mais precisa …

Cientista dos EUA acredita que o monstro do Lago Ness pode ser uma antiga tartaruga marinha

Um importante cientista dos Estados Unidos acredita que desvendou o mistério do Monstro de Lago Ness e pensa que a criatura é uma espécie ancestral de tartaruga marinha. Henry Bauer, professor aposentado de Química e Estudos …

Biden quer banir uma palavra das leis de imigração dos Estados Unidos

Se o projeto de lei proposto por Joe Biden, recém-eleito Presidente dos Estados Unidos, for aprovado, a palavra alien ("estrangeiro") vai desaparecer das leis de imigração norte-americanas, sendo substituída pelo termo noncitizen ("não cidadão"). A …

“As pessoas são mortas na mesquita, na rua e no trabalho". Em Cabul, reina o medo

Os assassínios seletivos de jornalistas, políticos e defensores dos direitos humanos são cada vez mais frequentes no país, com Cabul e várias províncias a registarem um aumento da violência nos últimos meses. O medo está …

"Fiquem em casa". Enfermeiros deixam "grito de alerta desesperado" aos portugueses

A Ordem dos Enfermeiros lançou esta sexta-feira uma campanha de sensibilização a apelar aos portugueses para ficarem em casa, afirmando que é “um grito de alerta desesperado face à situação de catástrofe que se vive …

Senado francês aprovou lei que protege os sons e cheiros do campo

O Senado francês aprovou a lei, esta quinta-feira, que protege o "património sensorial" das áreas rurais do país, depois de várias queixas sobre os ruídos e cheiros típicos do campo. De acordo com o canal televisivo …

Identificado em Portugal o primeiro caso da variante da África do Sul

O primeiro caso de covid-19 associado à variante genética da África do Sul foi identificado esta sexta-feira em Portugal pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), adiantou à agência Lusa a instituição. O caso identificado …

Está a nascer o primeiro comboio português a hidrogénio (e vai substituir o Vouguinha)

Já arrancou o projecto para o desenvolvimento do primeiro comboio português a hidrogénio. A iniciativa visa transformar as automotoras a gasóleo que circulam na Linha do Vouga - o comboio chamado Vouguinha - por células …