Ana Gomes não recua – nem com levantamento de imunidade parlamentar

Security & Defence Agenda / Flickr

A eurodeputada Ana Gomes

A eurodeputada Ana Gomes

A eurodeputada socialista Ana Gomes disse esta quinta-feira, em Estrasburgo, que “iniciativas intimidatórias” como a queixa por difamação do ministro da Defesa português, que originou um pedido de levantamento da sua imunidade parlamentar, não a farão recuar.

Comentando o anúncio pelo presidente do Parlamento Europeu de que recebeu do Ministério Público português um pedido de levantamento da imunidade parlamentar da deputada, que remeteu para a comissão de assuntos jurídicos, Ana Gomes afirmou que respeitará a decisão da assembleia, mas garantiu que não desistirá de expor aquilo que considera serem as “responsabilidade políticas e eventualmente criminais” no processo de subconcessão dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo.

A eurodeputada garantiu ainda que “não há, obviamente, nada de pessoal contra o ministro da Defesa” português, José Pedro Aguiar-Branco, que nem conhece “pessoalmente”, e sublinhou que o que está em causa é uma “questão política”, mantendo tudo o que afirmou em novembro passado e que motivou o ministro a interpor uma queixa no Departamento de Investigação e Ação Penal.

“Recordo que tomei a iniciativa de entregar à senhora Procuradora-Geral da República uma queixa sobre as suspeitas de corrupção e fraude contra o Estado de que todo esse processo estava eivado e que contestei a linha do Governo, que, aliás, vem plasmada agora neste projeto de relatório que está na Assembleia da República, na comissão de inquérito sobre os ENVC, que diz que o Governo não tinha alternativa face à posição da Comissão Europeia”, apontou.

Eurodeputada não retira declarações

Ana Gomes garantiu que não recuará perante a decisão que for tomada pela Comissão de Assuntos Jurídicos do Parlamento Europeu.

“Não vou desistir, por todos os meios, na justiça e na opinião pública, de expor aquilo que acho que são responsabilidade políticas e eventualmente outras, criminais, num processo que, sem dúvida,é altamente lesivo dos interesses Estado português, de um setor estratégico para Portugal e para a Europa, que é o setor da construção naval, e, naturalmente, dos trabalhadores e de toda a população de Viana de Castelo, que viu estes estaleiros serem desmantelados de uma forma totalmente opaca e suspeita de corrupção”, declarou.

Questionada sobre se mantém as declarações proferidas em novembro de 2013, respondeu que sim, “absolutamente”.

“Não só mantenho, como prossigo a investigação. (…) Não abdicarei de fazer aquilo que corresponde às minhas responsabilidades como deputada e como cidadã portuguesa”, vincou.

/Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns Dra. Ana Gomes. Se os restantes dirigentes do PS tivessem a sua coragem politica e humana Portugal não seria um feudo de corruptos, piratas e salteadores dos cofres públicos e dos cidadãos trabalhadores.

RESPONDER

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …

Vitória SC 1-3 Benfica | “Águia” passa tranquila em Guimarães e continua a voar no topo

Naquele que era apontado como o mais duro teste à sua liderança até ao momento, o Benfica passou com relativa tranquilidade em Guimarães. Frente a um Vitória que tentou discutir o jogo de igual para igual …

Fazer umas calças de ganga exige 10 mil litros de água. Dez marcas estão a criar jeans sustentáveis

As calças de ganga são das peças de vestuário com piores impactos para o ambiente, mas há marcas que estão a apostar na sustentabilidade como um factor atractivo para os consumidores. Estão sempre na moda e …

"Guerra das matrículas" faz escalar tensão entre Sérvia e Kosovo

Esta semana, a fronteira entre o norte do Kosovo e a Sérvia esteve bloqueada por protestos de elementos da etnia sérvia, que não aceitam a decisão do governo kosovar, de etnia albanesa, de proibir a …

Num golpe de "fake it until you make it", Hong Kong vai a eleições a saber o vencedor

Hong Kong prepara-se para as primeiras eleições legislativas após as mudanças no sistema eleitoral implementadas pela China para garantir a vitória dos seus aliados. Aos olhares mais desatentos, as eleições em Hong Kong são mais um …

Stefano Pioli propõe regra de basquetebol que contribui para um "futebol de ataque"

O treinador do Milan, Stefano Pioli, propõe uma alteração nas regras do futebol que promete revolucionar o desporto rei. De forma semelhante ao basquetebol, uma vez dentro do meio campo adversário, as equipas não poderiam voltar …

Um dos maiores sites de dados sobre a covid-19 na Austrália é, afinal, gerido por adolescentes

Aproveitando o momento em que passaram a integrar as estatísticas que os próprios fazem chegar diariamente à população australiana, o grupo de três jovens revelou a sua identidade para surpresa de muitos dos seus seguidores. …

Mais cinco mortes e 713 casos confirmados em Portugal

Portugal registou, este sábado, mais cinco mortes e 713 casos confirmados de covid-19, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este sábado registaram-se mais cinco mortes e 713 novos casos …

Dirigente da Huawei detida no Canadá pode voltar à China após acordo com EUA

A justiça dos EUA aceitou hoje o acordo entre o Departamento da Justiça e a Huawei, que vai permitir à filha do fundador e diretora financeira do conglomerado chinês de telecomunicações regressar à China. Uma juíza …

Depois do coro de críticas, brasões da Praça do Império passam do jardim para a calçada

Os brasões florais que representam as capitais de distrito e as ex-colónias portuguesas vão mesmo ser retirados da Praça do Império, em Lisboa, mas passarão a estar representados em pedra da calçada. É a solução …