Cerveja pode ficar cinco vezes mais cara devido às alterações climáticas

Más notícias para os amantes de cerveja. As alterações climáticas, além de elevarem o nível médio de mar e causarem furacões mais fortes e incêndios mais intensos, podem também prejudicar a produção e, consequente, a oferta de cerveja a nível mundial. Prevê-se que os preços venham a disparar.

Segundo um novo estudo, publicado nesta segunda-feira na revista científica Nature Plants, as secas e as ondas de calor cada vez mais intensas podem causar quebras acentuadas na produção de cevada – um dos principais ingredientes da cerveja.

Levada a cabo por uma equipa internacional de cientistas, a investigação prevê que as mudanças climáticas podem afetar de forma severa o fornecimento global de cerveja. Além disso, os modelos económicos utilizados no estudo apontam também para uma forte possibilidade de os preços aumentarem em vários países face à quebra na produção.

De acordo com os investigadores, um dos primeiros efeitos deste declínio será um aumento acentuado dos preços da bebida. O estudo vai ainda mais longe, referindo que um pack de seis cervejas poderá mesmo vir a custar mais de 17 euros – ou seja, o preço pode quintuplicar face ao preço atual de uma cerveja.

“O mundo enfrenta muitas consequências devido às alterações climáticas que põem em causa a própria vida e, por isso, o facto das pessoas terem que gastar um pouco mais para beber uma cerveja pode parecer trivial em comparação com os outros problemas”, disse Steven Davis, coautor do estudo.

No entanto, frisa, “há definitivamente um apelo intercultural no consumo de cerveja” e, o facto deste produto poder não aparecer com a mesma oferta no fim de um dia quente pode fazer aumentar as queixas dos consumidores, sustentou.

O especialista disse ainda que a equipa de investigação criou vários cenários a partir dos níveis atuais e estimativas futuras de combustão de combustíveis fósseis e emissões de dióxido de carbono.

No cenário mais pessimista, os especialistas projetaram que as partes do mundo onde se produz cevada – incluindo as grandes planícies a norte, as pradarias do Canadá, a Europa, a Austrália e a estepe asiática, vão sentir secas mais frequentes e ondas de calor mais recorrentes – o que fará diminuir a produção deste grão de 3% para 17%.

“O estudo mostra ainda que mesmo um aquecimento global moderado levará ao aumento das secas e dos períodos excessivos de calor nas áreas de cultivo da cevada”, pode ainda ler-se nas previsões do estudo recentemente publicado.

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Tudo o resto é tolerável. O Costa até pode continuar a roubar o país como nos tempos dos kamov, do siresp, do 44 e por aí fora. Agora aumentar o preço da bujeca… isso é que não…

  2. Que raio de maneira para ir aumentar o preço desse néctar.
    Parece a história do azeite de há 2 anos que se vaticinava que com o calor a produção iria baixar imenso e que no ano seguinte haveria pouco azeite vai daí subiu de preço para perto do dobro e afinal no ano seguinte, no ano passado, foi das melhores produções de azeite das ultimas décadas mas o preço a seguir nunca baixou.
    Não tenho pena nenhuma da maioria dos comerciantes quando veio o €uro o que subia normalmente no inicio do ano alguns tostões agora sobe todos os meses ou mesmo todas as semanas e alguns artigos vêm publicitados “é só mais 1 euro” CHULOS

  3. Digam-me uma coisa que irá ficar mais barata, com este aquecimento global… será uma num milhão…
    “Aquecimento global” antropogénico = €€€€€€€

Governo joga últimos trunfos à esquerda (mas "na 25.ª hora pode ser PSD a salvá-lo" e esse é outro problema)

A duas semanas do fim do prazo para entregar o Orçamento de Estado para 2021 (OE2021), o Governo ainda não tem garantias de aprovação do documento. E enquanto Marcelo pressiona o PSD para "salvar" o …

-

Governo aponta para regresso progressivo de público aos estádios

O regresso de público aos estádios de futebol continua proibido, devido à pandemia de Covid-19, com o secretário de Estado da Juventude e Desporto a admitir esta sexta-feira a possibilidade de um retorno faseado quando …

Há escolas sem intervalos ao ar livre devido à covid-19

Há escolas que estão a proibir os alunos de passarem os intervalos ao ar livre por receio de contágio do novo coronavírus. O pediatra Hugo Rodrigues considera que "é um perfeito disparate". Como tal, os estudantes …

"Aumentar o salário mínimo é criminoso", diz presidente do Fórum para a Competitividade

Pedro Ferraz da Costa, presidente do Fórum para a Competitividade, antecipa uma onda de desemprego até ao final do ano, que muitas empresas não conseguirão manter a atividade e que aumentar o salário mínimo "é …

Segunda vaga impede mais de 12 milhões de consultas e cirurgias

O cenário de uma segunda vaga em Portugal é bastante provável e prevê-se que mais de 12 milhões de consultas e cirurgias fiquem por fazer. No melhor dos cenários, serão 10 milhões. Um estudo da Associação …

EUA pressionam Portugal: "Tem de escolher agora entre os aliados e os chineses"

O embaixador norte-americano em Lisboa defende que Portugal tem de escolher entre os “amigos e aliados” EUA e o “parceiro económico” China, alertando que escolher a China em questões como o 5G pode ter consequências …

MP acusa inspetores do SEF de homicídio de ucraniano no aeroporto

O Ministério Público vai acusar os três inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras que estão em prisão domiciliária, indiciados pelo homicídio do ucraniano Ihor Homenyuk no aeroporto de Lisboa. Bruno Sousa, Duarte Laja e Luís …

Encontrado dente de leite com 48.000 anos que pertenceu a "um dos últimos" neandertais de Itália

Uma equipa de cientistas da Universidade de Bolonha e Ferrara, em Itália, encontrou um dente de leite na região do Veneto, que acreditam ter pertencido a um dos últimos neandertais a habitar no país. Análises …

Rhys Williams fez parceria com van Dijk. Há um ano jogava numa liga amadora

Rhys Williams estreou-se a titular pela equipa principal do Liverpool e logo ao lado de Virgil van Dijk. Ainda na época passada, o jovem central estava numa equipa do sexto escalão inglês. Esta quinta-feira, o Liverpool …

OMS admite que número de mortos pode duplicar no próximo ano

A Organização Mundial da Saúde afirmou hoje que não se pode esperar pelo aparecimento de uma vacina para conter a pandemia da covid-19, admitindo que o número de mortos poderá duplicar durante o próximo ano …