Almirante americano “pronto para lançar ataque nuclear” contra a China

U.S. Pacific Fleet / Flickr

Scott H. Swift, almirante do Comando do Pacífico da frota dos Estados Unidos

O almirante do Comando do Pacífico norte-americano, Scott H. Swift, declarou esta quinta-feira que está disposto a lançar um ataque nuclear contra a China, se o presidente Donald Trump assim o ordenar.

Segundo o The New York Times, Scott H. Swift respondeu dessa forma a uma questão hipotética que lhe foi colocada durante uma conferência sobre segurança realizada na Universidade Nacional Australiana após o fim dos exercícios militares conjuntos que forças navais norte-americanas e australianas realizaram no sul do Pacífico nas últimas semanas.

A resposta seria: sim“, respondeu Swift quando questionado por um participante na conferência sobre se lançaria um ataque nuclear contra a China, caso o presidente norte-americano, Donald Trump, lho ordenasse.

“Todos os membros das Forças Armadas juraram defender a constituição do nosso país contra todos os inimigos, estrangeiros e internos, e obedecer aos seus superiores e ao presidente dos Estados Unidos, na sua qualidade de Comandante em Chefe”, justificou o almirante.

“Este é o princípio basilar da nossa democracia: o controlo civil sobre os militares. E sempre que um militar se afasta desta perspectiva fundamental, temos um problema”, explicou Scott H. Swift.

“O almirante não estava a endereçar a premissa essencial da questão, estava a realçar o princípio da autoridade civil sobre os militares”, explicou mais tarde o porta-voz da Frota do Pacífico, capitão Charlie Brown. “A premissa da questão é ridícula”, concluiu.

O almirante Scott Harbison Swift, nascido em 1957, serve actualmente na Marinha dos Estados Unidos, sendo o comandante da Frota Naval norte-americana no Pacífico desde maio de 2015.

À luz da Constituição dos Estados Unidos, a recusa do almirante Swift em desobedecer a Donald Trump é correcta: o presidente norte-americano tem autoridade exclusiva para ordenar uma acção militar que poderia provocar a morte de milhões de pessoas em menos de uma hora.

Dado o temperamento impulsivo do actual titular do cargo, quais seriam as salvaguardas – se existirem – para impedir uma decisão impetuosa sua com consequências catastróficas?

Não há travões ou contrapesos na autoridade do presidente para lançar um ataque nuclear”, explicou à BBC Mark Fitzpatrick, especialista em não proliferação de armas nucleares do Instituto Internacional para Estudos Estratégicos, em Washington. “No final, a autoridade individual para lançar um ataque é do presidente”.

Mas, explica o especialista, a ideia de um presidente intempestivo a tomar individualmente uma enorme decisão, como essa seria, não é realista. “Entre o momento em que o presidente autoriza (na realidade, ordena) um ataque e o instante em que ele é realmente executado, há muitas pessoas envolvidas”.

Se o presidente desse a ordem, o secretário de Defesa seria obrigado a cumpri-la. Mas, em teoria, poderia recusar-se a obedecer se tivesse razões para duvidar da sanidade do presidente – o que poderia ser considerado um motim. O presidente poderia então destituir o secretário de Defesa e encarregar o vice-secretário de Defesa de cumprir a ordem.

Segundo a Constituição dos Estados Unidos, o vice-presidente poderia também, em teoria, declarar o presidente psicologicamente incapaz de tomar a decisão, e bastaria para tal que tivesse o apoio da maioria do gabinete de governo norte-americano.

Assim, para que um presidente “louco” pudesse mesmo lançar o Mundo numa hecatombe nuclear, teria que estar rodeado de um bom grupo de pessoas igualmente loucas – o que, diga-se de passagem, já pareceu menos provável.

Armando Batista AJB, ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. O almirante norte-americano, Scott H. Swift, deve ser mais louco que o seu presidente e um frustrado com a vida. Não haverá no mundo um manicómio que possa internar os dois?.

  2. É lógico que um militar, seja de que nível for, é obrigado a obedecer ao seu presidente. O contrário seria anarquia total. Nos Estados Unidos, uma decisão dessas, passaria ,antes, por um grupo de pessoas que dariam, ou não, o seu aval. Na Rússia e outros países, em que o presidente é, todo poderoso e não ouve ninguémporque a sua constituição não obriga, isso é que é perigoso. Não sejam ignorantes tendenciosos….

    • É lógico que um militar obedeça cegamente a quem de cima lhe der ordens, mesmo que venham de um louco ilógico. Do outro lado, que façam a mesma coisa, e a humanidade acaba num instante, e em beleza.

RESPONDER

Coleção de joias da era Viking é encontrada na Ilha de Man. É "excecionalmente rara"

Uma coleção de joias da era Viking foi encontrada na Ilha de Man, entre Inglaterra e a Irlanda, em novembro de 2020 e foi agora classificada como tesouro. Os especialistas acreditam que os artefactos, descobertos …

“As brasileiras são mercadoria". Professor da UP suspenso por comentários machistas e xenófobos nas aulas

Após uma denúncia que reuniu assinaturas de mais de uma centena de alunas, o professor auxiliar Pedro Cosme da Costa Vieira foi suspenso pelo período máximo de 90 dias, da Faculdade de Economia da Universidade …

Houve buzinão na Luz (mas sem "carinho"). Jesus culpa covid-19 pela crise do Benfica

Algumas dezenas de adeptos protestaram junto ao Estádio da Luz com um buzinão, entre gritos de "Rua Vieira" devido aos maus resultados do Benfica. Antes disso, Jorge Jesus tinha apelado a um "buzinão de carinho" …

Marcelo remete diretamente para o Governo limites ao ruído nos prédios

O chefe de Estado incluiu o detalhe "decreto-lei do Governo", no novo decreto para a renovação do estado de emergência, para permitir que o Executivo limite o ruído nos prédios. No último decreto que executou o …

Clubes ingleses decidiram: não há público, acabou a época

Decisão não afeta a Premier League mas antecipa o final de quatro divisões do futebol inglês. Na época passada os campeonatos também não chegaram ao fim. Muitos dos campeonatos não-profissionais (em várias modalidades) estão parados, não …

Cães podem ter consciência corporal tal como os humanos

Os cães podem não ser capazes de se reconhecer em frente a um espelho, mas isso não significa que não tenham um certo nível de autoconsciência. De acordo com o site Science Alert, um novo estudo …

Moratórias de crédito à habitação terminam a 31 em Março. Famílias terão de procurar opções

Todas as moratória públicas para o crédito à habitação terminam a 30 de Setembro, mas a dos bancos expira já no próximo mês. Uma das soluções para quem não consegue cumprir os pagamentos é a …

Finanças: Mais dinheiro para a TAP só com novo acordo com Bruxelas

O Ministério das Finanças refere que, enquanto não houver a luz verde de Bruxelas ao plano de reestruturação, não há mais apoio público à companhia aérea.  A TAP só garante a liquidez até final de março, …

Primeiros fundos chegam até junho. Costa pede “consenso” no Plano de Recuperação

O ministro do Planeamento, Nelson de Souza, anunciou esta quarta-feira no Parlamento, que os novos subsídios europeus do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para 2021-2026 chegarão até ao mês de junho. De acordo com o …

Descobertos "ingredientes para a vida" em rochas com 3,5 mil milhões de anos

Investigadores descobriram moléculas orgânicas em formações rochosas super antigas na Austrália, revelando o que dizem ser a primeira evidência detalhada dos primeiros ingredientes químicos que poderiam ter sustentado as formas de vida microbianas primitivas da …