Algarve a caminho do melhor ano turístico de sempre (apesar do racionamento da água e da falta de trabalhadores)

1

O saldo do passado mês de julho foi positivo para o turismo no Algarve, tendo ultrapassado os números de 2019 – considerado o melhor de sempre no setor -, resultado que leva a Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos daquela região a acreditar que agosto também vai bater recordes.

“O turismo sendo a primeira atividade que sofre com qualquer crise é também a primeira atividade que sai da crise e ajuda o país a recuperar”, disse à Rádio Renascença Hélder Martins, presidente da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA).

A entidade já havia avançado que a taxa de ocupação por quarto em julho foi de 87,7%, 4,3 pontos percentuais acima do mesmo mês em 2019, antes da pandemia de covid-19.

“O mercado nacional é muito importante para o Algarve e isso demonstra-se em cada verão. O mercado americano tem um crescente muito importante. Os mercados inglês e alemão descem ligeiramente, mas essa descida não é problemática porque o mercado do Reino Unido ao longo de todo o ano tem sempre um grande desempenho no Algarve, seja com o golfe ou férias normais”, explicou o responsável.

Relativamente às vendas, aumentaram 17,2% face ao mesmo mês de 2019. Os turistas “estão a pagar mais, é verdade, mas desde que o destino lhes ofereça aquilo que eles desejam para este período creio que isso não se torna um problema. É uma realidade com a qual temos que viver”, apontou ainda.

“Em agosto não tenho dúvidas que, em condições normais, vamos ultrapassar também 2019. Não tivemos um grande início de ano e vamos ver como vai ser o final, mas vemos 2022 mais como um ano de transição e 2023 vamos fazer para que seja o melhor ano”, acrescentou Hélder Martins.

O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) tem a mesma opinião. Na sua mais recente análise sobre Portugal, estimou que no próximo ano o turismo irá crescer 4,8% face a 2019, impulsionando a recuperação económica em Portugal e ultrapassando os níveis pré-pandémicos em 2023.

Apesar das expetativas positivas em relação ao turismo, mais para Norte os trabalhadores se queixam.

“A qualidade do serviço está de rastos”, disse o presidente do sindicato dos trabalhadores do turismo desta região, Francisco Figueiredo, indicando que as empresas apostam, cada vez mais, em imigrantes sem formação, “especulando” nos preços aos clientes enquanto “recusam negociar salários dignos”.

Falta de trabalhadores e seca

Com o aumento de visitantes, crescem também as dificuldades ao nível dos recursos humanos. No fim de julho, o Turismo do Algarve avançou que iria recrutar cinco mil trabalhadores em Cabo Verde para cobrir as necessidades no setor.

Os grupos hoteleiros com presença em Cabo Verde já estarão a formar trabalhadores, enquanto em Portugal se preparam as “condições para alojar esse pessoal, abdicando de quartos na hotelaria”. Até lá, alguns hotéis e restaurantes optam por abrir apenas ao jantar por falta de pessoal a tempo inteiro.

Além da falta de trabalhadores, a seca também está a assombrar o turismo naquela região, com o Governo tendo já anunciado uma redução de consumos em empreendimentos turísticos no Algarve e obras em albufeiras em Trás-os-Montes.

Numa reunião entre a Agência Portuguesa do Ambiente e empreendimentos turísticos do Algarve “ficou decidido um racionamento e uma gestão dos limites do consumo de água que podem adotar. Isto quer dizer que há uma limitação da água por parte desse setor”, disse o ministro do Ambiente, Duarte Cordeiro.

Por sua vez, o presidente da AHETA garantiu que não vai haver racionamento de água. “Até hoje, nunca se pôs a questão de racionar, termo que, no meu português, significa cortar”, disse Hélder Martins, reagindo assim às declarações do ministro.

Para superar as dificuldades, a região tem apostado em formas criativas de atrair os turistas. Entre 09 e 12 de agosto, por exemplo, todos os visitantes que aterrarem no aeroporto internacional de Faro (Gago Coutinho) serão presenteados com laranjas, numa iniciativa que visa dar as “boas-vindas”.

“Os citrinos do Algarve são hoje um “cartão-de-visita” da região”, referia um comunicado sobre o lançamento da ação, coordenada pelo Turismo do Algarve e pela Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve​. No total será distribuída uma tonelada de laranjas.

  Taísa Pagno , ZAP //

1 Comment

  1. Racionamento de água no Algarve???
    Só se for na minha casa. É dar uma volta pelos aldeamentos e ver os jardins a serem regados como se não houvesse amanhã!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.