Ajuda humanitária a Moçambique está a ser desviada. Governo reforça fiscalização

Josh Estey / EPA

As autoridades moçambicanas admitem que os bens enviados para ajudar as vítimas do ciclone Idai estão a ser desviados. O Governo vai reforçar a fiscalização e promete uma punição exemplar.

Face a relatos de roubo de alimentos e de desvios de donativos para as vítimas do Idai, autoridades moçambicanas prometem fiscalização apertada e punição exemplar. As queixas chegaram diretamente ao gabinete do Presidente da República, Filipe Nyusi, que esteve na Beira a semana passada, a zona mais afetada pelo ciclone.

“As reclamações vão continuar sempre enquanto não conseguirmos otimizar aquilo que estamos a fazer. Como podem imaginar, este é um processo absolutamente complexo… temos estado a desdobrar em tudo que é possível para assegurar que estes mecanismos funcionem e que os produtos cheguem aquelas pessoas que precisam”, informou, em conferência de imprensa, a diretora-geral do Instituto Nacional de Gestão das Calamidades de Moçambique.

“Neste processo naturalmente algumas coisas que não estão ao nosso alcance podem acontecer. O que temos estado a apelar a sociedade é que nos ajudem a monitorizar, ajudem-nos a controlar, ajudem-nos a vigiar e deem-nos informação concreta sobre se há elementos de prova que digam que as pessoas estão a roubar, que é para nós agirmos”, continuou Augusta Maita.

No mesmo dia, e sobre o mesmo assunto, falou o secretário-geral da Frelimo. “Aqueles que meterem mão naquilo que as organizações e pessoas de bem estão a doar para mitigar o sofrimento da população serão levados a tribunal e punidos exemplarmente“, declarou Roque Silva, citado pelo Diário de Notícias.

O responsável apelou ainda à sociedade moçambicana e à comunidade internacional para intensificarem as ajudas às vitimas do desastre, sublinhando ter ficado muito triste com as imagens de destruição que o assolaram após o ciclone Idai.

Em Lisboa, na terça-feira à noite, mais de quatro dezenas de artistas juntaram-se num concerto solidário no Capitólio. O evento foi organizado pela cantora moçambicana Selma Uamusse e contou com transmissão na RTP. O Presidente da República português e o embaixador moçambicano em Lisboa também marcaram presença.

Segundo o DN, ao longo de todo o dia, através de uma linha telefónica de valor acrescentado, foram reunidos mais de 300 mil euros em donativos. A linha vai permanecer ativa até dia 5 de abril.

Os donativos serão entregues a oito organizações no terreno e todas elas tivera de assinar uma carta de compromisso público na qual garantem uma gestão transparente e eficaz de todo o dinheiro que receberam. Além disso, comprometem-se ainda a realizar uma auditoria e um relatório final a esclarecer onde foi gasto todo o dinheiro.

Na segunda-feira, foi criada uma comissão independente que, nos próximos três meses, vai liderar o processo de distribuição de mantimentos aos deslocados. Desta comissão fazem parte uma empresa de ramo logístico contratada na Beira e o Programa Alimentar Mundial (PAM), que trabalha em coordenação com o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC).

Além disso, na quarta-feira, o Parlamento moçambicano aprovou a criação de um grupo de trabalho, formado por deputados, para avaliar a transparência da assistência às vítimas do ciclone Idai. O grupo será formado por deputados da Comissão dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e de Legalidade e pela Comissão dos Assuntos Sociais, do Género, Tecnologias e Comunicação Social.

Na Beira estão também peritos para aferir o nível de destruição daquela que é a segunda maior cidade de Moçambique. Com o trabalho de peritagem pretende-se criar um banco de dados sobre as destruições provocadas pelo ciclone com vista a planificar os investimentos nas áreas prioritárias.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. E esperavam o quê ? Que fosse diferente do que acontece noutros lados ou mesmo em Pedrógão ?
    Por isso é que ajudo sim sempre no que puder mas pessoalmente e com garantia de estar a ser bem entregue.
    Num país africano e conhecendo a população “dos espertos” de Moçambique e Angola não esperava ler ou ouvir outra coisa.

  2. Não estava á espera de outra coisa. No continente Africano já uso e abuso deste tipo de situações. Admirado fiquei quando me apercebi que em Portugal também se passa o mesmo, em tudo que é instituições, Pedrogão enfim um sem numero de situações que o ser humano é capaz, que NÂO tem coração, não tem humanidade. Voltamos á pré-história em mt aspectos. O homem está mt PIOR …

  3. Os homens do regime precisam ser bem alimentados, por cá é o que sabemos imagine-se em África! É por isso que eu cada vez menos hei-de contribuir, já é difícil acreditar em alguém!

  4. “I daí”, qual é a novidade?
    Não conheço donativos que não sejam desviados parcial ou totalmente.
    Só escapam aqueles que são entregues em mão, e mesmo esses não sei se “alguém” não mete a “mão”.

  5. Há que estabelecer normas rígidas para quem recebe e faz seguir os donativos, para que chegue a bom porto e minimize os dias de sofrimento de crianças e adultos. Não aceito que pessoas fiquem com, desviem, vigarizem, sem qualquer respeito pelo ser humano

RESPONDER

Plutão pode esconder um oceano líquido debaixo de uma camada de gás

Uma das características mais marcantes de Plutão é o seu coração, também conhecido como Tombaugh Regio, uma grande região de cor clara de aproximadamente 1.590 quilómetros de diâmetro. O seu lobo esquerdo, o Sputnik Planitia, é …

Selfies estão a destruir muralha romana considerada Património Mundial da UNESCO

Uma parte da antiga Muralha de Adriano, no Reino Unido, está a colapsar por causa dos turistas que procuram o local para tirar selfies. O monumento, que em 1987 foi considerado Património Mundial da UNESCO, inspirou …

Carros vão mudar mais numa década do que aquilo que mudaram num século

Embora a aparência dos carros tenha mudado nos últimos cem anos, a maneira como os conduzimos pouco ou nada mudou. Contudo, acredita-se que na próxima década, além da forma como se movimentam ser diferente, também …

São Francisco lidera ranking das cidades onde se recebe melhor

O American Dream está claramente destacado no ranking das cidades onde se recebe melhor, mas há alguns "intrusos" no meio desta lista. Das dez cidades eleitas, há apenas quatro europeias. Apenas três continentes estão representados no …

Em 30 anos, Amazónia perdeu 953 mil hectares de áreas protegidas

Nos últimos 30 anos, a Amazónia perdeu 953 mil hectares em áreas pertencentes a unidades de conservação e terras indígenas que deveriam estar preservadas. A Amazónia brasileira perdeu 953 mil quilómetros em áreas que foram desflorestadas …

Mulheres e meninas norte-coreanas forçadas a prostituir-se e a casar-se na China

Mulheres e meninas norte-coreanas são coagidas, vendidas ou raptadas na China ou traficadas diretamente da Coreia do Norte, denuncia a Korea Future Initiative. As mulheres são forçadas a casar-se, violadas e sujeitas a outros tipos …

Trump corta financiamento para centros de investigação de saúde infantil

A administração de Trump está a terminar o financiamento para uma rede de centro de investigação focados em ameaças ambientais para crianças, colocando em risco vários estudos de longa data sobre os efeitos dos poluentes …

PJ detém ex-diretor da Santa Casa de Ponte de Sor

Um antigo diretor e contabilista de uma Santa Casa da Misericórdia do distrito de Portalegre foi esta quarta-feira detido pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeitas dos crimes de peculato e participação económica em negócio, foi …

Costa diz que só soube do memorando de Tancos no dia da demissão de Azeredo

O primeiro-ministro, António Costa, diz que só soube do memorando da Polícia Judiciária Militar (PJM) sobre o assalto a Tancos no dia em que o então ministro da Defesa, Azeredo Lopes, apresentou a sua demissão. A …

Jasper Cillessen muito perto da baliza do Benfica

O guarda-redes do Barcelona Jasper Cillessen está muito perto de reforçar a baliza do Benfica, escreve o jornal Record esta quarta-feira. De acordo com o desportivo, o negócio ronda os 20 milhões de euros. O Benfica …