Afinal, tarifa bi-horária de luz pode estar a prejudicar milhares de famílias

Há um universo de 1,34 milhões de consumidores que permanecem no mercado regulado de electricidade e 60% deles têm tarifas bi-horárias e tri-horárias que podem estar a penalizar as suas contas mensais.

O alerta surge no jornal Público no Dia Mundial da Energia. O diário afiança que as modalidades bi-horárias e tri-horárias só compensam os consumidores “se uma parte muito significativa do consumo for feita nas horas de vazio“.

O jornal nota que 4,8 milhões de pessoas aderiram já ao mercado liberalizado, onde as empresas fornecedoras de luz determinam os preços livremente, mas há ainda, 1,34 milhões de consumidores no mercado regulado.

Destes, 60% têm tarifas bi-horárias (668 mil) e tri-horárias (107 mil), que “têm custos mais baratos em determinadas horas, o chamado período de vazio (como durante a noite ou ao fim-de-semana), e mais caros durante o resto do tempo, designado de fora do vazio”, conforme explica o Público.

Mas, dependendo do consumo de cada agregado, a chamada tarifa simples, onde se paga sempre o mesmo preço, independentemente do horário, pode acabar por ser mais barata.

Citando cálculos da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), o Público salienta que “o ponto de equilíbrio entre o que se paga a menos na hora de vazio do mercado regulado e a mais fora desse período é atingido quando o consumo no primeiro período fica acima de 36% do total“.

Quando o consumo nas horas de vazio ultrapassa aquela percentagem, a tarifa bi-horária compensa, mas se for menor, então a tarifa simples fica mais económica, explica o jornal.

“Há muitas famílias que não sabem qual a percentagem de consumo realizada aos valores mais baixos” e “também que há muitas que estão abaixo desse limiar e, como tal, estão a perder dinheiro na conta da electricidade sem o saberem“, conclui o jornal, aconselhando os consumidores a analisarem as suas facturas e a fazerem contas.

“Alerta Más Práticas” na energia

A ERSE aproveita o Dia Mundial da Energia para lançar um conjunto de avisos, através do seu site, para identificar práticas comerciais erradas e sugerir formas de os consumidores se protegerem desses comportamentos.

Apelidada de “Alerta más práticas”, a iniciativa está “especialmente orientada para um conjunto de consumidores que, por factores de idade ou de literacia, se encontram em maior condição de vulnerabilidade informativa”, explica a ERSE.

Num dos avisos, o regulador nota que, caso o consumidor seja abordado com o argumento de que “tem de mudar de fornecedor para não ficar sem electricidade”, não deve acreditar, salientando que só deve mudar “se quiser e quando estiver convenientemente informado do novo contrato”.

Num outro alerta, a ERSE recomenda que, caso alguém afirme que é da “empresa da electricidade” ou da “empresa do gás” e peça ao consumidor facturas ou elementos da identificação pessoal, este deve pedir “sempre” um elemento de identificação com fotografia. “Não exiba ou disponibilize informação sua se não tiver segurança sobre quem tem à sua frente”, avisa ainda.

Por fim, a ERSE aconselha os consumidores a nunca assinarem qualquer documento sem o lerem. “Exija sempre e guarde cópia do que assina. Se tiver dúvidas depois de ler, recuse assinar. Nas vendas à distância, se assinar e se arrepender, tem 14 dias para resolver o contrato”, aconselha o regulador.

A entidade explica ainda, que esta iniciativa visa “contribuir para que os consumidores de energia estejam mais bem preparados para abordar o mercado retalhista de electricidade e de gás natural”, uma vez que “a melhor actuação na defesa dos direitos dos consumidores é a prevenção”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Sim, mais um artigo para “incentivar” as pessoas a poupar, quando na verdade a intensão real é apenas que mudem para o mercado livre ao tentarem sair do bi-horário, que é totalmente a agenda das energéticas….enfim. Toda a gente sabe que se consumir pouco no vazio nao compensa.

  2. Que historia mais tendenciosa…
    O facto é que para usufruir dos benefícios to bi-horário e tri-horário é preciso mudar comportamentos. Por exemplo, convém fazer maquinas de roupa, de secar, e da loiça a noite, durante as horas vazias. Depois, depende sempre do género de uso que tem com a casa: se há pessoas em casa durante o dia todo, especialmente com aquecimentos ligados durante o inverno, dificilmente compensa. Por outro lado, se os habitantes trabalham o dia todo fora de casa e saem de manha cedo, e chegam ao fim da tarde, o mais provável é que compense.

    Mas agora, assumir que vai tudo ficar mais barato só porque se mudou para o bi- ou tr-horário e uma parvoíce. Os utentes são adultos que são capazes de analisar os impactos de uma opção dessas, sem escolher cegamente. Esses sim ficar prejudicados, mas apenas por culpa própria.

  3. A electricidade é exageradamente cara no nosso pais, toda a gente sabe disso e a venda da parte do Estado pelo governo do Coelho e do Irrevogável aos chineses contribuiu ainda mais para inflacionar os preços, além da receita (sim, a EDP era lucrativa) que o Estado perdeu e que era de largos milhões.
    Mas voltando ao assunto, eu tenho bi-horário e cerca de 39,7 % da minha energia é consumida no vazio. Como já alguém aqui referiu; para esse tipo de tarifas é preciso apreender a maneira certa de as usar.

Grupos secretos do Facebook prometem falsas curas para cancro e autismo

Uma investigação do Business Insider expôs casos de contas e grupos secretos no Facebook que passam publicitam "medicamentos" e "tratamentos" alternativos que custam milhares de dólares mas que, na verdade, não passam de fraudes. Segundo noticiou …

Ministério repudia agressões nas escolas e fala em casos "residuais"

O Ministério da Educação garante que as situações de violência grave nas escolas são “residuais” e que existe uma tendência de diminuição de casos, repudiando todas as agressões que considera "inaceitáveis seja quem for o …

Surto de anthrax pode ter matado mais de 100 elefantes no Botswana

Um surto de anthrax pode estar na origem da morte de mais de 100 elefantes no Botswana ao longo dos dois últimos meses. Fontes do Governo do Botswana adiantaram, citadas pela Reuters, que "as investigações preliminares …

Nove migrantes encontrados vivos em novo camião no Reino Unido

A polícia britânica encontrou um segundo camião onde viajavam nove migrantes, todos eles vivos. Ainda hoje foi encontrado um camião com 39 pessoas mortas. Horas depois de ter sido encontrado um camião com 39 pessoas mortas, …

Brexit. Primeiro-ministro da Irlanda apoia adiamento até 31 de janeiro

O primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar, defendeu esta quarta-feira uma prorrogação da data do 'Brexit' até 31 de janeiro, num telefonema com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, que já recomendou aos 27 que …

Matosinhos é a primeira cidade 5G em Portugal

A NOS cobriu totalmente Matosinhos com 5G, em parceria com a Huawei, tornando-a na primeira cidade de quinta geração móvel em Portugal, anunciou, esta quarta-feira, a operadora de telecomunicações. De acordo com a operadora, "a rede …

O Super Mundial de Clubes vem aí e o Barcelona pode ficar de fora

O Barcelona poderá ficar fora da próxima grande competição da FIFA: o Super Mundial de Clubes. Para inverter esta situação, os catalães terão de ganhar uma das próximas duas edições da Champions. O Conselho da FIFA …

Falência da Thomas Cook leva ao encerramento de empresas no Algarve

De acordo com a TSF, há empresas que não vão conseguir resistir ao colapso do grupo britânico Thomas Cook, que anunciou falência há cerca de um mês. Um mês depois de ter sido anunciada a falência …

Ex-ministro da Saúde questiona regulador no caso do bebé sem rosto em Setúbal

Adalberto Campos Fernandes diz que o caso do bebé com malformações graves dá motivos para questionar a utilidade da Entidade Reguladora da Saúde. Ordem dos Médicos está a agir "adequadamente". O antigo ministro da Saúde Adalberto …

Nuno Artur Silva vendeu participação nas Produções Fictícias ao sobrinho

Nuno Artur Silva, futuro secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media vendeu a sua participação na produtora de conteúdos Produções Fictícias. Desta forma, o indigitado secretário de Estado já não tem participações em empresas …