No Afeganistão, ainda há mulheres condenadas por não serem virgens

ricardo_mangual / Flickr

No Afeganistão, há uma lei de saúde pública que proíbe o teste de virgindade. No entanto, as mulheres continuam a ser obrigadas a fazê-lo. Consoante o resultado, as mulheres podem ser presas e até mortas.

Esta quarta-feira, o Observador conta a história de Bahara (nome fictício). Há sete meses, esta mulher, de apenas 18 anos, foi presa por falhar num teste de virgindade.

A afegã conheceu um homem com quem falou ao telefone e trocou algumas mensagens, tendo até fugido de casa para ir ter com ele, iludida com a ideia de que tinha encontrado um namorado. Mas não: o conto de fadas de Bahara acabou em violação.

Bahara denunciou o caso à polícia, mas, em vez de receber apoio, foi submetida a um teste de virgindade, uma prática proibida no Afeganistão desde 2016, de acordo com o britânico The Guardian. “Fiz o teste num quarto cheio de pessoas – médicos, enfermeiras, e até visitantes curiosos e outros pacientes que queriam observar mais de perto o meu corpo nu.”

Uma médica usou os dedos para fazer o teste, com o intuito e confirmar se o hímen da jovem estava intacto. No entanto, como estava com o período menstrual, Bahara foi submetida novamente a este tormento físico e emocional. “Estava com o período e eles não conseguiram precisar os resultados”, contou.

A história termina com a detenção de Bahara por algo que, no país, é considerado um “crime moral”: a perda da virgindade antes do casamento.

Atualmente, a jovem está detida na prisão de Mazar-i-Sharif, na província de Balkh. Mas este não é um caso isolado. São muitas as mulheres que foram presas em situações semelhantes. Além disso, o facto de a proibição dos testes de virgindade não estar a ser respeitada, faz com que muitas jovens tenham um destino igual ao de Bahara, num futuro mais próximo do que imaginamos.

Muitas vezes, estas “criminosas morais” são presas e condenadas à morte. O The Guardian acrescenta que a maioria destas situações costumam ter na sua origem situações de violência doméstica, violência sexual e sexo forçado.

Apesar de ter sido proibido há dois anos, o teste de virgindade continua a ser um medo muito presente na vida das mulheres afegãs. Aliás, a proibição não impediu a polícia de parar de deter mulheres e raparigas mais novas para o fazerem.

Atualmente, há campanhas que pedem a aprovação de uma lei de saúde pública que proíba os testes de virgindade em hospitais e clínicas, de modo a que esta proibição traga, finalmente, mudanças significativas.

Mas leis não são tudo. Mesmo que as mulheres consigam sair da prisão, o estigma do seu “crime moral” vai permanecer bem patente na sociedade. “Não tenho a certeza de que vá conseguir juntar-me novamente à sociedade e voltar a ter uma vida normal. A minha estada aqui destruiu a reputação da minha família e tenho muito medo de que o meu pai me mate, assim que saia daqui”, desabafou a jovem.

O teste viola os direitos humanos

“A examinação do hímen não tem apenas um impacto psicológico negativo nas raparigas e nas mulheres; é um teste perigoso e que, nalguns casos, causa dor física, danos no hímen, infeções e sangramento”, alerta a organização.

Mohammad Ashraf Bakhteyari, diretor da Organização de Ciência Forense do Afeganistão, uma organização não-governamental, afirma que o teste não só viola os direitos humanos como o facto de as mulheres sangrarem não é, por si só, um sinal da existência ou ausência do hímen.

No entanto, esta não é uma informação que muita gente tenha conhecimento no Afeganistão, uma vez que muito poucos estudantes recebem educação sexual. Por este motivo, Zahra Sepehr, diretor da organização Desenvolvimento e Apoio das Mulheres e Crianças Afegãs, defende uma mudança no programa escolar.

“Se a educação sexual não é ensinada em contexto académico, as nossas crianças vão aprender sobre isso através de pornografia e outras fontes não fidedignas. Estas conversas irão tornar os alunos mais esclarecidos e atentos ao seu corpo e irão também desencorajar os rapazes a infligir maus tratos às mulheres ou a sentir desprezo por elas”, concluiu.

ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

    • Realmente, que comentário mais parvo e sem sentido, num assunto tão grave! Falamos de crianças, adolescentes, jovens mulheres… Desculpe, mas havia de ser uma filha ou familiar sua, a ver se gostava! Mais: não estou a dizer que o Ronaldo é culpado ou inocente… para isso, cá estarão os tribunais e a justiça.

  1. este é o tipo de mentalidade que os europeus estão a importar abrindo os braços aos mulçumanos…. a famosa “sharia” !!!!

RESPONDER

Cristiano Ronaldo acredita que João Félix vai triunfar em Espanha

Na segunda parte da entrevista à TVI, o internacional português abordou vários temas como João Félix na liga espanhola, a eventual saída de Bruno Fernandes do Sporting e até o seu eterno rival Lionel Messi. Cristiano …

Portugal renova frota de aviões. Acordo é de 827 milhões de euros

O primeiro-ministro, António Costa, assinou na terça-feira, em Évora, um contrato com a brasileira Embraer para a compra de cinco aviões KC-390. O negócio inclui a aquisição de um simulador de voo e a manutenção …

Apesar dos 6.500 euros oferecidos pelo Programa Regressar, só 71 emigrantes quiseram voltar

Um mês depois do seu início, o Programa Regressar, que prevê a atribuição até 6536,40 euros aos emigrantes que regressarem a Portugal, recebeu apenas 71 candidaturas. Os dados, avançados pelo jornal Público, são o mais recente …

Incêndio na ilha espanhola de Grã Canária controlado

O incêndio florestal que deflagrou no sábado na ilha espanhola de Grande Canária está controlado, depois de ter atingido cerca de 9.200 hectares e obrigado à retirada de mais de 10 mil pessoas, anunciaram as …

Coreia do Norte recusa diálogo com EUA até terminarem exercícios militares

Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte criticou igualmente a intenção de Washington de enviar caças F-35 para a região, e defendeu que tal pode, provavelmente, "desencadear uma nova guerra fria". A …

Jerónimo acusa PS, PSD e CDS de quererem rever leis eleitorais para falsificar resultados

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, acusou na noite de quarta-feira PS, PSD e CDS-PP de quererem rever as leis eleitorais para falsificar os resultados e fazer maiorias governativas com minoria de votos. Esta cíclica …

Campeão europeu foi oferecido ao Benfica. "Águias" rejeitaram

Daniel Sturridge, vencedor da Liga dos Campeões ao serviço do Liverpool, foi oferecido ao SL Benfica. As "águias" rejeitaram e, horas depois, o jogador assinou pelo Trabzonspor, da Turquia. Não é propriamente todos os dias que …

CGD poderá ter lucrado mais 157 milhões de euros acima do anunciado

No primeiro semestre deste ano, a Caixa Geral de Depósitos anunciou um lucro de 282,5 milhões de euros. Agora, as contas poderão ser revistas e calcula-se que haja um lucro adicional de 157 milhões. Face ao …

Encontrado em Marrocos o mais antigo estegossauro do mundo

Cientistas britânicos consideram que uma nova espécie de estegossauro - um dos dinossauros mais reconhecíveis, por causa dos ossos em forma de placa que se projetam da espinha e pelos espinhos nas suas caudas - …

Jovens do CDS contra lei que permite a alunos transgénero escolherem WC que querem usar. Governo já esclareceu

No final da semana passada, o Governo publicou o despacho da lei que pretende implementar a "identidade de género" nas escolas. O caso já tinha levantado alguma polémica quando deputados do PSD e CDS pediram uma …