Aeroporto no Montijo pode levar à perda das principais áreas de alimentação das aves migratórias

ANA / VINCI Aeroportos

Projeto para novo Aeroporto no Montijo

Caso o Montijo venha mesmo a receber um novo aeroporto, poderá levar à perda de até 30% das principais áreas de alimentação das aves migratórias que passam o Inverno no estuário do Tejo.

A conclusão está num estudo liderado por um grupo de investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, já disponível na página online da Bird Conservation International.

Segundo o Público, os investigadores recorreram a um software que lhes permite selecionar áreas que consideram prioritárias para a alimentação das aves migratórias, dentro dos limites do estuário e cruzá-las com o que serão as rotas de aproximação e descolagem dos aviões que serviriam o futuro aeroporto.



Tendo em conta a análise dos dados que cruzaram, os especialistas perceberam que as perturbações provocadas pelo ruído do tráfego aéreo poderão levar ao abandono ou subuso de entre 21% e 30% das principais áreas de alimentação entre marés das aves migratórias que passam o Inverno no estuário do Tejo.

Sendo o estuário do Tejo “uma das áreas húmidas mais importantes para as aves da Rota do Atlântico Leste”, e estando vários locais desta rota “já dilapidados”, estes dados têm uma importância muito para lá das fronteiras nacionais.

De acordo com o estudo os “impactos negativos na população de aves no estuário do Tejo terão repercussões e irão prejudicar os esforços de conservação noutros locais”.

Anteriormente, foram apresentadas percentagens diferentes sobre o que é considerado o valor mínimo a partir do qual poderá haver uma forte reação das aves ao ruído, perturbando a sua normal utilização de algumas zonas e, eventualmente, levando ao seu abandono.

O referencial utilizado pelos cientistas é o estudo liderado por Mark D. Wright, em 2010, que estabelece que a partir de 65 decibéis (dB), a probabilidade de reação das aves é superior a 47% – o que significa, muitas vezes, que o bando levanta voo e abandona, ainda que temporariamente, o local de alimentação.

No entanto, o novo estudo estima que o abandono das áreas de alimentação pode acontecer com uma intensidade de ruído mais baixa, entre os 55 e os 65 dB, o que leva ao tal resultado de perda de 30% destas zonas.

Assim, a equipa de investigadores portugueses defende que “a frequência do distúrbio dificilmente irá permitir que as aves regressem à área que abandonaram”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

DGS diz que demora de conclusões sobre eventos-piloto não é por erro técnico

A Direção-Geral da Saúde (DGS) rejeitou, esta terça-feira, que tenha havido erro técnico no tratamento de dados dos eventos-piloto da Cultura, ocorridos em abril e maio, mas admitiu que o processo está demorado. Numa declaração enviada …

Governo quer fazer alterações na duração de cargos de dirigentes

As mudanças que estão a ser preparadas passam por reduzir a duração dos cargos em substituição e, por outro lado, pelo ajustamento do período das comissões do serviço em função da avaliação. Segundo o Jornal de …

Responsável pelas manifestações em Lisboa é coordenador no Gabinete de Apoio à Presidência da CML

O responsável pelas manifestações na cidade de Lisboa é coordenador técnico no Gabinete de Apoio à Presidência da Câmara liderada por Fernando Medina. De acordo com o semanário Expresso, António Santos tem sido, nos últimos …

Sporting e Braga jogam Supertaça em Aveiro no dia 31 de julho

A Supertaça Cândido Oliveira, que vai ser disputada entre Sporting e Sporting de Braga, vai ser disputada em Aveiro, a 31 de julho, anunciou a Federação Portuguesa de Futebol (FPF). "A decisão da Supertaça Cândido de …

Um quarto da população portuguesa já tem a vacinação completa

Em Portugal, 42% das pessoas já receberam a primeira dose de uma vacina contra a Covid-19 e 25% — cerca de um quarto da população — estão completamente vacinados. De acordo com o mais recente relatório …

Cardiologista do Tottenham admite ponto final na carreira de Eriksen

O cardiologista do Tottenham, Sanjay Sharma, admite um ponto final na carreira de Christian Eriksen, que caiu inanimado no jogo entre a Dinamarca e a Finlândia. O encontro entre Dinamarca e Finlândia, da primeira jornada do …

ARS Norte conta avançar com recuperação de consultas em atraso ainda este mês

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte conta avançar durante este mês com o programa especial de incentivos financeiros para recuperação de consultas presenciais nos cuidados de saúde primários (CSP), propondo-se recuperar metade da …

Cristiano Ronaldo no Euro 2020

"Rei do Euro". Ronaldo fez história na Hungria (e ainda vai durar "mais uns 3 aninhos")

Cristiano Ronaldo marcou dois dos golos de Portugal na vitória frente à Hungria por 3-0, na estreia da Selecção no Euro 2020, e tornou-se no melhor marcador de sempre dos Campeonatos Europeus de futebol. Aos …

"Insultos são a arma dos fracos". Ministro defende lei das minas e lança farpas a Catarina Martins

Matos Fernandes defende acerrimamente o novo decreto lei da exploração mineira e lança farpas a Catarina Martins, que o criticou: "Insultos são a arma dos fracos". No domingo, o Bloco de Esquerda anunciou que ia pedir …

Crónica ZAP - Linha de Fundo por Teófilo Fernando

Linha de Fundo: Ronaldo e agitadores derrubaram a muralha

Rajada final garantiu vitória lusa na estreia. Ronaldo a bisar e a quebrar três recordes. Todos os jogos da primeira jornada. Visto da Linha de Fundo. A paciência tem limites Hungria 0 – 3 Portugal (Raphaël …