Advogado da família de Homeniuk pede condenação de inspetores do SEF por homicídio qualificado

Mário Cruz / Lusa

O advogado da família do cidadão ucraniano Ihor Homeniuk, que morreu nas instalações do SEF no aeroporto de Lisboa, insistiu, esta segunda-feira, na condenação dos três inspetores pelo crime de homicídio qualificado que consta da acusação.

Esta segunda-feira, o Ministério Público deixou cair a acusação de homicídio qualificado e pediu a condenação dos três inspetores do SEF por ofensas corporais graves, agravadas pelo resultado, cujas penas podem ir dos oito aos 16 anos de prisão.

José Gaspar Schwalbach mostrou a sua discordância relativamente à conversão de homicídio qualificado, crime de que os inspetores estavam inicialmente acusados, num crime de ofensa à integridade física qualificada, agravada pelo resultado, neste caso a morte.

O advogado da família de Homeniuk lembrou os pormenores mais chocantes relatados pelas testemunhas, nomeadamente que o trio de inspetores fechou a porta da sala onde estava o passageiro ucraniano e durante mais de 15 minutos o agrediram, deixando-o com as algemas atrás das costas e de barriga para baixo, “sem liberdade para respirar”, o que levou à morte da vítima “por sufocação” lenta.

Destacou ainda a “forma humilhante” como Ihor Homeniuk foi “agredido e deixado sozinho” algemado, sublinhando que um dos inspetores terá dito à saída da sala onde o ucraniano foi agredido que naquele dia “já não precisava de ir ao ginásio”.

Schwalbach defende que o relato de testemunhas sobre os gritos “agonizantes” proferidos pelo passageiro ucraniano e audíveis fora da sala e a especial “censurabilidade” pela forma como os inspetores atuaram diante de um passageiro algemado e imobilizado, são motivo para que os arguidos sejam condenados pelo crime de homicídio qualificado.

Advogado de defesa arguiu nulidade por recusa do tribunal em ouvir perita médico-legal

O advogado de um dos inspetores do SEF acusados da morte de Ihor Homeniuk, arguiu hoje uma nulidade no julgamento do caso do cidadão ucraniano após o juiz rejeitar a audição de uma consultora técnica forense.

A arguição de nulidade por Ricardo Sá Fernandes, advogado de defesa de Bruno Sousa, foi expressa após o presidente do coletivo de juízes ter comunicado às partes, antes do início das alegações finais, que tinha indeferido o pedido da defesa para ouvir a consultora técnica, alegando, entre outros pontos, que era “impossível realizar uma nova perícia médico-legal ao cadáver”.

O juiz justificou, na sua fundamentação, que a audição da perita seria “apenas esclarecimentos” e seria “dilatória” relativamente ao andamento do processo em fase de julgamento.

Ricardo Sá Fernandes não se conformou com a decisão do juiz Rui Coelho e disse querer arguir a nulidade da mesma, por considerar que se tratava de uma diligência “essencial para a descoberta da verdade dos factos”, face às dúvidas suscitadas pelo relatório médico-legal realizado ao corpo de Ihor Homeniuk no Instituto Nacional de Medica Legal (INMLCF), as quais, disse, “violaram normas” relativas à forma como se deve fazer uma autópsia.

Quer a procuradora Leonor Machado, quer o assistente da família de Ihor Homeniuk no processo, contrapuseram, a favor do juiz Rui Coelho, que não ocorreu qualquer nulidade com aquele despacho do tribunal.

ZAP ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. O que eu queria saber era se o cidadão tivesse morrido na Ucrânia, quem é que ia preso, e quanto dinheiro iria pagar a família ao Estado!! Desculpem, quanto é que a família ia receber. Como é em Portugal… andam todos ansiosos por meter as autoridades na cadeia…

RESPONDER

Coreia do Norte alega que a covid-19 poderia flutuar em balões vindos do Sul

A Coreia do Norte pediu aos seus cidadãos que não leiam panfletos de propaganda enviados através de balões do Sul, alegando que a covid-19 poderia entrar no país através das gotículas. De acordo com a agência …

Autoagendamento a partir dos 60 anos deve arrancar no final da próxima semana

O autoagendamento para a vacinação contra a covid-19 deverá passar a contemplar as pessoas a partir dos 60 anos, em vez dos atuais 65, já no final da próxima semana, adiantou hoje à Lusa fonte …

Emprego, formação e pobreza. Cimeira Social arranca com apelos a mudança para recuperar da crise

A Cimeira Social arrancou, nesta sexta-feira, no Porto, com a presença de 24 dos 27 chefes de Estado e de Governo da UE, num evento que pretende definir a agenda social da Europa para a …

Comandos. MP pede condenação de cinco arguidos a penas entre dois e 10 anos de prisão

O Ministério Público (MP) pediu hoje a condenação de cinco dos 19 arguidos no processo relativo à morte de dois recrutas dos Comandos, em 2016, a penas de prisão entre dois e 10 anos. Nas alegações …

Juventus quer Zidane para o lugar de Pirlo

O insucesso desportivo da Juventus esta temporada deve fazer com que Pirlo saia do clube. Zidane, que também estará de saída do Real Madrid, é o favorito da vecchia signora. Zinédine Zidane estará a pensar seriamente …

“Incompetência e arrogância”. Cabrita está (novamente) debaixo de fogo. Partidos pedem a sua demissão

Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, está mais uma vez no centro da polémica. Depois de ter avançado com uma requisição civil para que mais de 20 imigrantes fossem transportados para o Zmar, durante a …

Fernando José é o candidato do PS a Setúbal. Ana Catarina Mendes concorre à Assembleia Municipal

O deputado e vereador socialista Fernando José é o cabeça de lista do PS às próximas eleições autárquicas para a Câmara de Setúbal e Ana Catarina Mendes à Assembleia Municipal, revelou fonte oficial do Partido …

Portugal na zona de queda dos restos do foguetão chinês

O foguete de Longa Marcha chinês que foi lançado a 29 de abril, e agora está a preocupar o mundo. As previsões é que a reentrada na atmosfera se dê até ao próximo dia 9 …

CIP propõe "almofada" pública de 8.000 milhões para resolver moratórias

A Confederação Empresarial de Portugal (CIP) propôs ao Governo criar uma "almofada" de garantias públicas no valor de oito mil milhões de euros para dar poder às empresas e levar a banca a renegociar os …

Reino Unido. Variante indiana é “preocupante“ e já infetou idosos vacinados

No Reino Unido, já foram encontradas 48 cadeias de transmissão da variante indiana e sabe-se que há transmissão comunitária. A Public Health England classifica esta variante como “preocupante”. A direção geral de saúde de Inglaterra (PHE …