Mais cinco minutos? Adiar o despertador não é uma boa ideia

Mais cinco minutos na cama ou acordar mal toque o despertador? Apesar de esse cochilo parecer inofensivo, a verdade é que adiar o despertador não é uma boa ideia.

Se faz parte da equipa dos mais preguiçosos, que insiste em ficar mais cinco minutos na cama antes de se levantar para viver um novo dia, saiba que não está a fazer a escolha mais acertada – pelo menos para o seu cérebro.

A maioria das pessoas já usou o botão “adiar despertador” pelo menos uma vez na vida, convencidas de que mais alguns minutos debaixo dos cobertores as fariam organizar os pensamentos e acordar para a realidade. Mas não é bem assim.

Num artigo no The Conversation, Steven Bender, um especialista em dor facial, começou por explicar que, apesar de em muitas pessoas este adiar do despertador significar uma ação isolada que acontece muito esporadicamente, para alguns tornou-se num hábito que pode mesmo significar um problema significativo do sono.

O sono deficiente tem sido associado a vários distúrbios de saúde, entre os quais a pressão alta, problemas de memória ou até mesmo problemas no controlo do peso. Bender descobriu que muitos dos seus pacientes que sofrem de dor crónica sofrem também de vários distúrbios do sono.

Apesar de não existirem estudos científicos que analisem em pormenor a questão do botão “adiar despertador”, o especialista alerta que prolongar forçadamente o sono depois de termos acordado com o primeiro alarme não é saudável. O relógio natural do nosso corpo regula as funções através dos conhecidos ritmos circadianos – mudanças físicas, mentais e comportamentais que seguem um ciclo diário.

A maior parte dos adultos precisa de sete horas e meia a oito horas de sono por noite. Este intervalo permite gastar o tempo necessário e adequado a cada estágio do sono, conhecidos como non-rapid eye movement sleep (sono NREM) e rapid eye movement sleep (sono REM).

Segundo Steven Bender, a primeira parte das nossas noites é dedicada ao sono NREM, um sono mais profundo, e a última parte consiste principalmente no sono REM. A manutenção desta estrutura bem definida é importante para um sono reparador. Se este processo for perturbado, tendemos a despertar ainda cansados.

São vários os fatores que podem perturbar os ciclos do sono, desde o uso de dispositivos eletrónicos, álcool e até problemas respiratórios. O uso destes botões que adiam o nosso despertador matinal não é uma mais-valia na medida em que atrasar o nosso despertar não nos dá um sono reparador.

Pelo contrário: adiar o despertador pode mesmo confundir o nosso cérebro ao iniciar o processo de segregar neuroquímicos que causam a ocorrência do sono. Se quer mesmo acordar bem disposto, o melhor é definir um horário específico e levantar-se de imediato da cama.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Naaaaaaaa, isso é treta!
    Eu prefiro continuar a ir acordando, do que me levantar logo!
    Hoje dizem uma coisa amanha já dizem que afinal há evidencias de que quem adia o levantar afinal tem benefícios ao nível do coiso e tal e mais do não sei o quê.

RESPONDER

Coreia do Norte não está interessada em mais cimeiras com os EUA

A Coreia do Norte advertiu, esta segunda-feira, que "não está interessada" em mais cimeiras com os Estados Unidos, se Washington persistir na recusa em fazer concessões. A Coreia do Norte deu a Washington até ao final …

Refugiado detido que escreveu um livro pelo Whatsapp conquista a liberdade

O jornalista e escritor curdo-iraniano Behrouz Boochani, que estava detido há seis anos num centro de imigrantes na Austrália, conquistou a liberdade. Boochani escreveu, através de mensagens da rede social Whatsapp, o livro “No Friend But …

Pinto Luz não se resigna a disputar "campeonato dos pequeninos"

O candidato à liderança social-democrata afirmou, esta segunda-feira, não se resignar a um partido que disputa o "campeonato dos pequeninos" ou é "uma segunda escolha do PS", pedindo a "quem não gosta deste PSD" que …

Militares portugueses já salvaram mais de 14 mil migrantes no Mediterrâneo

Marinha, Polícia Marítima e Unidade de Controlo de Costa da GNR, ao serviço da agência Frontex, no sul de Espanha e de Itália, já resgataram 14.151 migrantes no Mediterrâneo desde 2014. As equipas militares portuguesas, a …

Estudantes de Medicina dizem adeus ao "terrível" Harrison

Mais de 2.700 recém-licenciados de Medicina realizaram, esta segunda-feira, a Prova Nacional de Acesso (PNA), que substitui o "terrível" Harrison. Esta segunda-feira, mais de 2.700 candidatos responderam pela primeira vez a 150 questões da Prova Nacional …

Vítimas de legionella de Vila Franca de Xira reclamam 2,6 milhões ao Estado

A Associação de Apoio às Vítimas do Surto de Legionella de Vila Franca de Xira reclama uma indemnização de 2,6 milhões de euros por falhas e omissões de entidades públicas em relação às vítimas que ficaram …

Pelo menos três mortos em tiroteio em supermercado no Oklahoma

Pelo menos três pessoas morreram, esta segunda-feira, num tiroteio num supermercado da cadeia Walmart em Duncan, cidade do Estado norte-americano Oklahoma. O responsável da polícia de Duncan, Danny Ford, citado pela televisão local TNN-ABC, indicou que …

Benfica tem 125 jogadores com contrato profissional. Sporting tem 123 e o FC Porto só 80

O Benfica tem assinado contratos profissionais com cada vez mais jogadores, ao longo dos últimos anos. Actualmente, o clube da Luz tem contrato com 125 atletas. O Sporting está lá perto, com vínculos profissionais com …

Rússia está a negociar a troca de espiões ao estilo do que acontecia na Guerra Fria

A Rússia, a Noruega e a Lituânia realizaram recentemente uma troca de espiões, garantindo o retorno de vários agentes capturados aos seus países de origem. De acordo com chefe da contrainteligência lituana, citado pelo Moscow Times, …

"Totalmente depauperado". Bruno de Carvalho pede dispensa das sessões de julgamento

O ex-presidente do Sporting, que disse ser comentador desportivo, pediu dispensa das sessões, alegando não ter meio de transporte e estar completamente "depauperado". Arrancou, esta segunda-feira, no Tribunal de Monsanto, em Lisboa, o julgamento de 44 …