Acidente em França: prisão para dono e condutor da carrinha

O tribunal de Moulins, em França, condenou a quatro e três anos de prisão, respetivamente, o proprietário e o condutor de uma carrinha acidentada em março de 2016, na qual morreram 12 emigrantes portugueses.

Tanto o proprietário como o dono da carrinha envolvida num acidente em França que matou 12 portugueses foram condenados “em medidas de pena diferentes”.

Esta era uma pretensão do advogado dos herdeiros de sete das vítimas, “porque sempre entendemos que Arménio tinha uma culpa mais grave do que o Ricardo”. Assim, Ricardo, condutor da carrinha, foi condenado a uma pena de três anos de prisão efetiva com efeitos imediatos, enquanto que Arménio, proprietário, foi condenado a quatro anos de prisão efetiva, também com efeitos imediatos.

O proprietário tem ainda como sanção acessória “a proibição do exercício de atividade de transportador a título definitivo”, disse o advogado Filipe Santos Marques à Lusa, salientando “que é difícil a fiscalização, porque sempre exerceu esta atividade de forma informal”.

O acidente de viação em que morreram 12 portugueses ocorreu a 24 de março de 2016 e o julgamento começou esta quarta-feira, em Moulins, França.

O advogado considerou o acórdão “bem preparado”. “Analisou muito bem a situação. O problema principal é a medida da pena ser baixa, mas, efetivamente, nestes casos a pena é sempre baixa. São situações muito complicadas de gerir, porque para as famílias a prisão perpétua era o ideal, mas não é viável”, sublinhou.

Filipe Santos Marques realçou que, como advogado de herdeiros de vítimas coube-lhe acompanhar o processo “e permitir o envio das provas para os processos acessórios que estão a decorrer em Portugal”, um em Lisboa e outro na Guarda, para fixação da indemnização.

Ricardo Martins Pinheiro, o motorista, hoje com 22 anos, era acusado de “homicídio involuntário”, “ferimentos involuntários agravados” e “violação manifestamente deliberada de uma obrigação de segurança ou de prudência”.

O jovem foi ainda julgado pela condução de “um veículo a motor ou um atrelado com pneus lisos ou danificados”, por “velocidade excessiva em função das circunstâncias” do acidente, por “ultrapassagem sem possibilidade de voltar rapidamente para a sua faixa” e por “ultrapassagem à esquerda da estrada perturbando o trânsito no sentido inverso”.

Já o tio, Arménio Pinto Martins, de 44 anos, proprietário do veículo, é acusado de “homicídio involuntário por violação manifestamente deliberada de uma obrigação de segurança ou de prudência”.

O proprietário foi também julgado pela “circulação de um veículo ou elemento de um veículo não conforme”, pela “circulação de um veículo ou atrelado de um veículo com pneus lisos e danificados”.

As 12 vítimas mortais, com idades entre os 7 e os 63 anos, viviam na Suíça e deslocavam-se a Portugal numa carrinha que embateu frontalmente com um veículo pesado na Estrada Nacional 79, na localidade de Moulins, centro de França, um troço da RCEA (Estrada Centro Europa e Atlântico), conhecida como “a estrada da morte”.

O relatório do “bureau d’enquête sur les accidents de transport terrestre” (serviço de investigação sobre os acidentes de transporte terrestre), publicado em março deste ano, indicava que “a causa direta do acidente é o comportamento inadequado e perigoso do condutor da carrinha”.

“O condutor, sem ter a visibilidade suficiente, iniciou uma ultrapassagem a uma velocidade excessiva, com um veículo num estado deplorável (travões e pneus gastos), em sobrecarga e com um atrelado num estado técnico deficiente”, lê-se no relatório.

O documento acrescentava que as 12 vítimas mortais “foram transportadas de forma ilegal e perigosa – bancos acrescentados ilegalmente com fixações, cintos de segurança deficientes ou inexistentes”.

O documento concluiu, também, que “a viagem foi organizada pelo tio do condutor” que “organizava regularmente este tipo de transporte entre a Suíça e Portugal” e que “o transportador não tinha nenhuma existência legal nem respondia às obrigações definidas para as empresas de transporte”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. “Assim, Ricardo, proprietário da carrinha…”
    “Ricardo Martins Pinheiro, o motorista…”
    Mau!…
    Afinal o Ricardo era o condutor ou o dono?!
    .
    O principal culpado foi o dono, depois o condutor e depois os passageiros!!
    Não se deve excluir a culpa dos passageiros que também são responsáveis por aceitar viajar naquelas condições quando sabiam que, na pior das hipóteses, a carrinha poderia levar 9 pessoas (e todos com cinto, obviamente)!!

RESPONDER

Afinal comer um ovo por dia é mau outra vez

Afinal, comer um ovo por dia não é assim tão bom para a saúde como estudos recentes sugeriam. O maior consumo de ovos e colesterol pode aumentar o risco de doenças cardíacas e de morte …

Na Colômbia, há um "arco-íris líquido" que é descrito como a 8ª maravilha do mundo

Escondido nos confins da Serra da Macarena, na Colômbia, está o rio Caño Cristales. De dezembro a maio, o curso de água é como outro qualquer, apesar de estar rodeado de um dos ecossistemas mais …

Com uma nova interface neural, a telepatia já é possível

Uma equipa internacional de cientistas deu um passo adiante no desenvolvimento de interfaces neuronais para propor uma interface que envolve a transferência de informação entre as pessoas diretamente. As interfaces cérebro-computador podem melhorar as habilidades individuais …

Bombeiros profissionais ameaçam deixar de prestar serviço voluntário nas corporações

Os bombeiros voluntários das associações humanitárias admitem deixar de prestar serviço voluntário nas corporações, caso a Liga dos Bombeiros Portugueses continue por concluir o acordo coletivo de trabalho, que está em negociação há mais de …

Baleia encontrada morta nas Filipinas com 40 quilos de plástico no estômago

Uma baleia foi encontrada morta na sexta-feira, na costa sudeste das Filipinas, com 40 quilos de plástico no estômago, informou a imprensa local. O cetáceo, uma baleia-bicuda-de-cuvier, apareceu na sexta-feira à beira-mar no município de Mabini, …

Macron convoca reforços após novos confrontos de coletes amarelos

A nova manifestação de "coletes amarelos", no sábado, registou distúrbios violentos na capital francesa. Como resposta, o presidente francês Emmanuel Macron convocou um reforço das forças de segurança. O dia de sábado marcou mais um protesto …

Pedidos de nacionalidade portuguesa aumentaram 50% em dois anos

Nos últimos dois anos, o número de pedidos de nacionalidade portuguesa aumentou cerca de 50%, avança o jornal Público esta segunda-feira. Se em 2016 foram 117.629 os cidadãos estrangeiros que pediram a nacionalidade portuguesa, em 2018 …

Não há democracia na Coreia do Norte? "É uma opinião", diz Jerónimo

Jerónimo de Sousa evitou classificar o regime de Kim Jong-un em termos "de ser ou não ser" uma democracia. A Coreia do Norte é ou não uma democracia? "É uma opinião", respondeu Jerónimo de Sousa. Numa …

Afinal, o esparguete à bolonhesa não existe

Quando se trata de refeições italianas clássicas, a maioria das pessoas pensa em pratos simples como uma pizza Margherita, lasanha e esparguete à bolonhesa. Contudo, segundo Virginio Merola, presidente de Bolonha, em Itália, o esparguete à bolonhesa …

Javalis tomaram o lugar dos coelhos. "Muitos animais estão doentes"

Para já, não há perigo de saúde pública, mas os javalis carregam doenças que podem passar a outros animais. Se antes se matavam mil coelhos, abatem-se agora 10 javalis. Jacinto Amaro, presidente da Fencaça - Federação …