/

“Ao meu vizinho, shiu!”. Entre críticas, Abel volta a levar o Palmeiras à final da Libertadores

Abel Ferreira, que tem sido muito criticado no Brasil, repetiu o feito da época passada e levou o Palmeiras à final da Taça Libertadores.

O Palmeiras, orientado pelo português Abel Ferreira, qualificou-se pela segunda vez consecutiva para a final da Taça Libertadores, ao empatar 1-1 no reduto do Atlético Mineiro, terça-feira, na segunda mão das meias-finais.

Depois do empate a zero em casa, os detentores do troféu passaram graças ao golo apontado fora, de Dudu, aos 68 minutos, após o dos locais, da autoria do internacional chileno Eduardo Vargas, que marcou aos 52.

No final do encontro, Abel Ferreira gritou em direção a uma das câmaras e explicou este episódio na conferência de imprensa.

“Apontei para a câmara, mas não foi para nenhum jogador do Atlético Mineiro ou o seu treinador. Tenho um vizinho que mora no meu prédio que é um chato. Foi diretamente para o meu vizinho, para ele estar calado, porque quem manda na minha casa sou eu. Quem trabalha dentro do CT sou eu e os meus jogadores. Defendo os meus jogadores porque são meus, nas vitórias e derrotas. Ao meu vizinho, shiu!”, atirou o treinador português, fazendo o gesto de mandar calar.

Abel tem sido alvo de críticas vindas de vários flancos, nomeadamente até dos próprios adeptos. Ainda na semana passada, o Palmeiras perdeu na deslocação ao terreno do Corinthians, por 2-1.

A ‘Mancha Verde’, a claque do clube, deixou uma longa mensagem nas redes sociais, criticando não só os jogadores, mas também a direção e o treinador português.

A claque disse que Abel Ferreira é arrogante e precisa de aprender: “Com a sua prepotência europeia, precisa de entender que Portugal para o Brasil no futebol é como o Brasil para Portugal na economia. Não dá para comparar e, antes de ensinar futebol, precisa aprender”.

“Perdeu a equipa e o balneário há muito tempo. Convoca de forma errada na maioria dos jogos, troca de forma errada em todos os jogos. A equipa não tem sequer um padrão. A nossa contagem decrescente está a acabar”, acrescentou a claque.

 

Na final, marcada para 27 de novembro, no Estádio Centenário, em Montevideu, no Uruguai, o Palmeiras, que venceu o Santos na final de 2020 (disputada já em 2021 devido à pandemia da covid-19), defrontará os compatriotas do Flamengo, campeões em 2019 com Jorge Jesus, ou os equatorianos do Barcelona.

Na última temporada, o Palmeiras conquistou a Taça Libertadores, após derrotar o Santos na final. Um golo marcado aos 90+9′ decidiu o jogo a favor do conjunto treinador por Abel Ferreira.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE