/

Abanca terá pagado entre 230 e 260 milhões pelo EuroBic. Isabel dos Santos pode encaixar mais de 100 milhões

3

Manuel Araújo / Lusa

O valor oferecido pelo banco espanhol Abanca por 95% do Eurobic oscila entre 230 e 260 milhões de euros, avança esta quinta-feira o Jornal Económico.

De acordo uma fonte do setor financeiro, a oferta do Abanca sobre o EuroBic foi feita ao múltiplo de 0,45 vezes o price to book value. Segundo o Jornal Económico, o valor dos capitais próprios do EuroBic em setembro de 2019, era de 557,67 milhões de euros, sendo que 45% disso resulta em 251 milhões de euros.

Como o Abanca só pagou 95%, o valor da oferta totaliza 238,4 milhões. Porém, como o valor da situação líquida no fim do ano deve ter subido para 600 milhões de euros, 45% desse valor soma 270 milhões de euros. Neste caso, 95% do valor oferecido soma 256,5 milhões. Este valor terá de ser confirmado depois da due-dilligence que o banco irá fazer e que deverá demorar no máximo 40 dias.

Este cálculo do Jornal Económico considera o capital próprio, recorrendo ao método de avaliação comum no mercado de capitais, o price to book vakue – o valor atribuído pelos investidores em função dos capitais próprios. O rácio aplicado na oferta do Abanca considera o rácio a que está a transacionar o único banco português a negociar na bolsa de Lisboa, o BCP, de 0,45 vezes.

Com base nesse intervalo, os 42,5% de Isabel dos Santos no EuroBic podem render à empresária um encaixe entre os 101,32 milhões e os 109 milhões. Ainda não se sabe para onde irá este encaixe, uma vez que as contas da empresária em Portugal estão arrestadas.

Em Angola, além de contas bancárias, os bens da empresária também foram alvo de arresto. Em Portugal, não estão arrestados bens de Isabel dos Santos, nomeadamente as participações que detém em empresas.

O Abanca fechou oficialmente esta segunda-feira o acordo para a compra de 95% das ações do banco EuroBic, após a empresária angolana Isabel dos Santos ter colocado a sua posição no banco português à venda, na sequência do caso Luanda Leaks. Não foram revelados valores.

O banco espanhol já tinha admitido o interesse na entidade liderada pelo ex-ministro das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos. Os espanhóis queriam controlar pelo menos 75% do capital. Agora, com o anúncio da compra de 95% do capital do banco, confirma-se que os outros acionistas da instituição, em especial Fernando Teles, parceiro de Isabel dos Santos que controlava 37,5%, também terão vendido as suas posições.

  ZAP //

3 Comments

  1. E assim permitem que essa ladra borrega venda o património comprado com dinheiro roubado aos angolanos, sem que seja alvo de arresto.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE