A Greenpeace está a atirar pedras gigantes para o Mar do Norte. Eis a razão

Na semana passada, a Greenpeace atirou pedras gigantes ao mar ao redor do Reino Unido. Esta ação faz parte do objetivo da organização de acabar com os barcos de pesca de arrasto no fundo do mar em Áreas Marinhas Protegidas.

O fundo do mar de Dogger Bank é um dos habitats mais importantes do Mar do Norte e sustenta o ecossistema do Mar do Norte ao fornecer um lar para a vida marinha, incluindo galeotas, caranguejos e peixes, fontes vitais de alimento para focas e aves marinhas.

De acordo com o Interesting Engineering, investigadores da Greenpeace do Reino Unido descobriram no verão de 2020 que arrastões de fundo em Dogger Bank frequentemente operam ilegalmente, desligando os seus sistemas de posicionamento AIS, uma violação da lei internacional e do Reino Unido que põe em risco a segurança de outros marinheiros.



O arrasto é um método usado na pesca que envolve arrastar uma enorme rede pesada pelo fundo do mar para capturar peixes e outras criaturas marinhas. Isso permite capturar em grandes quantidades de uma só vez, juntamente com muitas outras espécies não visadas, como tartarugas e corais.

Em comunicado, a Greenpeace do Reino Unido disse ter sido forçada a continuar a construir a sua barreira subaquática de rochas para evitar a pesca de arrasto destrutiva em quase 80 quilómetros quadrados da Área Especial de Conservação de Dogger Bank após o governo britânico não se ter comprometido a proteger adequadamente a área.

Assim, os ativistas da Greenpeace estão a atirar pedras enormes no mar para que essas redes sejam impedidas de continuar a pesca.

Segundo a organização não governamental (ONG), algumas das pedras que foram posicionadas por ativistas da Greenpeace a bordo do Esperanza foram assinadas por celebridades como Stephen Fry e Hugh Fearnley-Whittingstall.

A tripulação da Greenpeace explicou no Twitter que o método de soltar as pedras é seguro para o pessoal a bordo e outros marinheiros na área, bem como notificam imediatamente as autoridades marítimas de localização de cada pedregulho.

A Greenpeace denunciou ainda que, numa carta, datada de 25 de setembro de 2020, o governo do Reino Unido “não assumiu nenhum compromisso tangível” para proteger adequadamente o Dogger Bank e solicitou formalmente que a Greenpeace “não fizesse mais depósitos” de rochas.

Porém, segundo a ONG, isso permitiria que a pesca de arrasto destrutiva continuasse em Dogger Bank.

Em declarações à emissora britânica BBC, Rebecca Newsom, Chefe de Política da Greenpeace U.K. explicou que das “chamadas” 76 Áreas Marinhas Protegidas do país, o Governo está a pensar proteger totalmente apenas duas delas da pesca de arrasto.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Quando um governo se abstém dos seus deveres de proteção da natureza talvez seja esta uma boa forma de salvar o pouco que ainda resta!

RESPONDER

Ensinar crianças a dizer palavrões? Uma cientista acha que é boa ideia

A auto-intitulada "cientista dos palavrões" acredita que ensinar as crianças a usá-los de forma eficiente ajuda os mais novos a perceber como este palavreado afecta outras pessoas. Já se sabia que dizer palavrões é um sinal …

Fósseis misteriosos podem ser uma das provas mais antigas de vida animal na Terra

Elizabeth Turner, cientista numa universidade do Canadá, poderá ter encontrado a prova mais antiga de vida animal na Terra. Uma cientista encontrou possíveis sinais de vida animal multicelular em restos de recifes microbianos de há 890 …

E se o mundo entrasse em colapso? Cientistas descobrem qual o país onde há maior probabilidade de sobreviver

Caso a civilização entre em colapso - uma possível consequência das alterações climáticas - os cientistas já descobriram qual o lugar do mundo onde há maior probabilidade de sobreviver: é na Nova Zelândia. Numa pesquisa, dois …

"Dança quem está na roda", responde Marcelo sobre ausência de Bolsonaro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse este sábado que "dança quem está na roda" quando questionado pelos jornalistas sobre a ausência do homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro, da cerimónia de reinauguração do Museu …

Todos os anos, esta cidade italiana entrega sal ao Papa em mãos

O Sal de Cervia, também conhecido como "sal do Papa", é-lhe entregue todos os anos em mãos. A tradição sofreu algumas interrupções até ter sido recuperada pelo Bispo Mario Marini, que serviu no Pontificado de …

A colisão secreta entre navios soviéticos e britânicos podia ter tido um desfecho drástico

Colisão aconteceu durante um dos períodos mais quentes da Guerra Fria e foi camuflado pela marinha britânica, que tratou de fazer regressar a sua embarcação à base de Devonport durante a noite para evitar dar …

Esta garrafa de tequila demorou seis anos para ser desenvolvida (e contém ouro)

A Clase Azul Spirits é uma empresa que comercializa tequila e está a preparar uma edição limitada para homenagear o legado artesanal do México - de onde a bebida é originária. A 2 de agosto, a …

Covid-19. Milhares de franceses protestam contra passe sanitário

Milhares de pessoas concentraram-se este sábado em Paris para protestar contra o passe sanitário — certificado de vacinação contra a covid-19 que passa a ser obrigatório para entrar em vários locais —, tendo a polícia …

"Toque de Midas" científico. Químicos transformam água purificada em metal dourado

Esta nova descoberta ajuda a entender o estado de transição da água e pode vir a ser importante no estudo de planetas como Neptuno ou Urano. Numa experiência alucinante, cientistas conseguiram transformar água purificada num metal …

Dispositivo movido a energia solar vai transformar água salgada em potável no Quénia

Transformar água do mar em água potável é um processo muito caro e poluente, mas o Climate Fund Manager e a Solar Water Solutions querem mudar isso. A nova solução revolucionária tem uma pegada de …