Estado gastou mais 768 milhões de euros com bancos falidos em 2017

(dr) Museu do Dinheiro

Detalhe decorativo no Museu do Dinheiro do Banco de Portugal, antiga Igreja de S. Julião

O Estado gastou, em 2017, mais 768 milhões de euros com os bancos falidos. No Orçamento do Estado para este ano, está previsto que a despesa aumente para os mil milhões de euros.

De acordo com a Conta Geral do Estado (CGE) de 2017, divulgada esta segunda-feira pelas Finanças e analisada pelo Diário de Notícias, a despesa realizada em 2017 por causa dos restos de bancos privados que faliram desde 2008 ascendeu a 768,2 milhões de euros, mais dez milhões de euros face ao que estava previsto no Orçamento do Estado.

Segundo o mesmo jornal, a este valor acrescerá ainda 1,2 milhões de euros com operações herdadas do antigo BES, mas a CGE ainda não disponibiliza os valores efetivamente executados do lado da receita (cobranças) e da despesa (pagamentos).

No Orçamento do Estado de 2018, o valor previsto para estes veículos financeiros supera os mil milhões de euros, mais 32% ou 249 milhões de euros do que o executado no ano passado.

O ministro das Finanças tem a cargo 12 veículos financeiros: quatro ligados aos Banif (Oitante, Banif Imobiliária, Banif SA e WIL – Projetos Turísticos), cinco ao antigo BES (ES Tech Ventures, Praça do Marquês, Quinta dos Cónegos – Sociedade Imobiliária, Righthour, GNB Concessões) e mais três com os restos do BPN (Parparticipadas, Parups e Parvalorem).

De acordo com o DN, que cita a CGE de 2017, contabilisticamente, as 11 operações (a GNB Concessões só ficou ao abrigo do Estado este ano) até geram um excedente orçamental. As suas receitas superam as despesas.

Só que, como explica o diário, o problema é que, em muitos casos, boa parte da receita do veículo financeiro é um empréstimo público ou uma injeção de capital feita pelo próprio Estado português.

Os gastos previstos com estas sociedades servem para financiar recuperação de ativos, pagar juros e capital que vença, para apoiar a venda de imóveis, pagar contencioso e litigância em tribunais, entre outros problemas, explica o jornal.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. se tivessem fechado o banco e pago as indeminizaçoes aos funcionarios, aposto que tinha ficado mais barato.
    os amigos roubam e os outros pagam as dividas

Encontradas fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico

Investigadores encontraram fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico. As evidências sugerem que lavar as nossas roupas está a contribuir para esta contaminação. Há muito tempo que o Ártico provou ser um barómetro da saúde …

Campus universitários nos Estados Unidos podem tornar-se super-propagadores da covid-19

Os campus universitários podem tornar-se super-propagadores do novo coronavírus, que causa a covid-19, para toda a sua área de abrangência, concluiu uma nova investigação levada a cabo nos Estados Unidos. Analisando os 30 campus universitários …

A "máscara mais inteligente do mundo" é recarregável, tem microfone e dá luz

A Razer afirma ter criado a máscara mais inteligente do mundo. O Projeto Hazel é um design com um revestimento externo feito de plástico reciclado à prova de água e é transparente para permitir a …

Novo tratamento permite que pessoas com lesões na espinal medula voltem a mexer mãos e braços

Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington conseguiu ajudar seis participantes com lesões traumáticas da espinal medual a recuperar alguma mobilidade de mãos e braços. Muitas das pessoas que sofrem lesões traumáticas da espinal medula …

Ventiladores comprados à China custaram 1,3 milhões. Autarquias algarvias vão pedir devolução do dinheiro

Os 30 ventiladores comprados à China seriam usados nos hospitais do Algarve, mas os equipamentos não funcionam. Os autarcas vão agora exigir devolução do dinheiro. De acordo com a edição do jornal Público deste domingo, o …

EUA um passo atrás da China. Pequim leva avanço na Guerra Comercial (e as suas exportações estão em alta)

No ano em que a pandemia se expandiu em todo o mundo, muitos países viram-se em mãos com graves problemas financeiros e económicos. No caso da China, a situação foi mais positiva e o país …

Alexei Navalny detido no regresso à Rússia

O líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi detido este domingo no aeroporto em Moscovo quando regressava à Rússia. Os serviços prisionais russos (FSIN) detiveram o opositor russo Alexei Navalny, este domingo, à chegada a Moscovo, acusando-o …

Prazo para trocas ou devoluções suspenso durante confinamento

O prazo para efetuar trocas ou devoluções de bens ficará suspenso durante o atual confinamento e as garantias que terminem neste período ou nos 10 dias seguintes serão prorrogadas por 30 dias, segundo diploma publicado …

Desde 2001 que polícias negros alertam para racismo de agentes do Capitólio

Com a invasão do Capitólio, investiga-se o alegado racismo existente na Polícia do Capitólio. Desde 2001 que agentes negros denunciam casos de discriminação racial no departamento. Desde 2001, centenas de agentes policiais negros processaram o departamento …

Um megatsunami devastou uma vila na Gronelândia. Três anos depois, há quem não possa voltar a casa

Em junho de 2017, Nuugaatsiaq, na Gronelândia, foi devastada por um megatsunami, cujas ondas foram desencadeadas por um enorme deslizamento de quase 30 quilómetros através do fiorde. Embora as ondas se tivessem dissipado quando chegaram a …