6 meses depois de tomar posse, Trump ataca procurador-geral que nomeou

No dia em que completa seis meses de Administração Trump, o presidente dos EUA está envolvido em mais uma polémica, desta vez por criticar James Comey.

Numa entrevista ao New York Times, Donald Trump, que completa hoje seis meses de presidência dos EUA, teceu duras críticas ao procurador-geral, Jeff Sessions.

Donald Trump confessa que, se fosse hoje, não escolheria o antigo senador do Alabama para o cargo equivalente a ministro da Justiça. Além disso, o presidente dos Estados Unidos disse ainda que fez um favor ao país ao despedir James Comey do cargo de diretor do FBI, segundo o Diário de Notícias.

Em relação a Sessions, o que está em causa é a decisão do procurador de se afastar da investigação às interferências da Rússia nas eleições presidenciais norte-americanas de Novembro do ano passado.

Sessions afastou-se do caso depois de ter vindo a público que, durante a audição para o cargo no Congresso, não deu conta de uma reunião que manteve com o embaixador russo.

“Aceitou o cargo e logo a seguir pediu escusa. Nunca deveria ter pedido escusa. E, se ia fazê-lo, deveria ter-me dito antes de aceitar o cargo e eu então teria escolhido outra pessoa”, disse Trump aos três jornalistas que se sentaram com ele durante 50 minutos na Sala Oval. Trump acrescentou ainda que a atitude de Jeff Sessions foi muito “injusta”.

gageskidmore / Flickr

O procurador-geral dos EUA Jeff Sessions

O procurador-geral desvalorizou as críticas de Trump e disse que adora o que faz: “Adoramos o nosso trabalho e adoramos o nosso departamento. A minha intenção é continuar enquanto for apropriado”.

Jeff Sessions foi o primeiro senador a apoiar oficialmente a candidatura de Donald Trump à presidência dos EUA.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Pandemia fez com que quase metade dos portugueses poupe menos

Quase metade dos portugueses (48%) afirma poupar menos devido ao impacto da pandemia, embora mais de um terço assuma que a crise sanitária está a ter um efeito positivo nos seus gastos, segundo um estudo …

"Ministra da Insensibilidade Social". CDS pede a demissão de Ana Mendes Godinho

O CDS criticou este sábado a reação da ministra a Solidariedade Social à morte de 18 idosos num lar em Reguengos de Monsaraz e considerou que Ana Mendes Godinho desvaloriza o impacto da pandemia nos …

Esgotos de dois milhões de portugueses monitorizados para prever segunda vaga de covid-19

Os esgotos de dois milhões de portugueses estão a ser monitorizados para detetar a eventual presença do vírus da covid-19 e prever uma nova vaga. O Jornal de Notícias avança este sábado que a análise está …

Covid-19. Mais 198 infetados e 3 mortes em Portugal

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 198 casos de infeção por covid-19 e três óbitos, de acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico Direção-Geral da Saúde (DGS) desde …

Média já divulgaram publicidade institucional (mas Estado ainda não lhes pagou)

O Sindicato dos Jornalistas lamentou esta sexta-feira que o Governo não tenha disponibilizado os 15 milhões de euros relativos à compra antecipada de publicidade institucional, vincando que o executivo está em dívida com as empresas …

Autoridades admitem que extrema-direita vá vigiar manifestações antifascistas de domingo

A Frente Unitária Antifascista anunciou que vai organizar no próximo domingo duas manifestações - uma Lisboa (Praça Luís de Camões) e outra no Porto (Avenida dos Aliados). O mote é a luta contra o fascismo. Estas manifestações …

Marcelo não entende por que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido (e leu os relatórios de Reguengos)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, em declarações transmitidas pela RTP3, que não entende porque é que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido. Em declarações transmitidas pela RTP3 a partir de …

Estado só recuperou 21% dos créditos tóxicos do BPN

O Estado apenas recuperou 21% dos créditos tóxicos do Banco Português de Negócios, que derivaram da nacionalização da instituição bancária em 2008. Até final de 2019, o Estado só conseguiu recuperar 21% da carteira de créditos …

Novas matrículas "só" vão durar 45 anos (por causa das palavras obscenas)

O novo formato de matrículas entrou em vigor a 2 de março. As novas matrículas vão durar menos tempo do que poderiam porque não serão usadas combinações “que possam formar palavras ou siglas que se …

Novo lay-off conta apenas com 1% das adesões do simplificado

O sucedâneo do lay-off simplificado conta apenas com 1.268 adesões nas primeiras duas semanas. Este valor é apenas 1% do número de empresas que acederam ao primeiro apoio. Nas primeiras duas semanas desde a sua implementação, …