Há mais de 50 milhões de casas vazias na China

A China tem mais de 50 milhões de casas vazias, segundo um estudo a nível nacional prestes a ser publicado, num dos efeitos mais visíveis do desperdício gerado por uma década de crescimento assente na construção.

De acordo com um estudo prestes a ser publicado, cerca de 22% do imobiliário urbano na China continua desocupado. “Não há outro país no mundo com uma taxa de desocupação tão alta”, diz Gan Li, professor na Universidade de Economia e Finanças de Chengdu, sudoeste da China, e responsável pelo estudo, citado pela Bloomberg.

Gan considera que um cenário de “pesadelo” pode ocorrer caso o mercado imobiliário comece a apresentar debilidades, o que levaria os proprietários a lançarem-se numa corrida de vendas, levando a uma queda abrupta dos preços. “A China seria atingida por uma inundação de casas a entrarem no mercado”, descreve.

Milhares de investigadores participaram do estudo, designado China Household Finance Survey, e que abrange um total de 363 condados, distribuídos por todo o país.

A taxa de desocupação é praticamente a mesma apurada na edição anterior do estudo, em 2013, de 22,4%, segundo Gan. Na altura, o investigador estimou 49 milhões de casas vazias em todo o país. “Hoje, definitivamente há mais de 50 milhões“, diz.

Casas de férias ou habitações vazias de trabalhadores migrados em outras cidades contribuem para o fenómeno, mas são sobretudo as compras para investimento que mantêm a taxa de ocupação alta. Trata-se de um dos efeitos mais visíveis do desperdício gerado por um modelo de crescimento económico assente na construção.

“Desde a crise financeira global, em 2008, o crescimento da economia chinesa tem assentado no investimento alimentado por dívida”, explica Dinny McMahon, autor do livro China Great Wall of Debt (“A Grande Muralha de Dívida da China”), estimando que o país criou, nos últimos dez anos, “63% do novo dinheiro a nível global”.

No espaço de uma década, enquanto as economias desenvolvidas estagnaram, a China construiu a maior rede ferroviária de alta velocidade do mundo, mais de oitenta aeroportos ou dezenas de cidades de raiz, alargando a classe média chinesa em centenas de milhões de pessoas.

No entanto, segundo a agência suíça Bank for International Settlements (BIS), durante o mesmo período, a dívida chinesa quase duplicou, para 257% do Produto Interno Bruto (PIB). Um relatório publicado esta semana pela agência de avaliação de risco Standard & Poor’s (S&P) indica que o preço do imobiliário na China atingiu o seu valor máximo e pode cair até cinco por cento, em 2019.

A agência adverte que as cidades pequenas são “muito mais vulneráveis” a uma possível desaceleração, que poderá fazer com que passem “rapidamente” de “motores de crescimento” a “travões ao crescimento”.

Para os promotores imobiliários chineses, os grandes riscos são a “liquidez e refinanciamento”, lê-se no relatório, que aponta para um “panorama de financiamento mais desfavorável em anos”.

As empresas, que precisam de refinanciar dívidas próximas de vencer, procurarão vender o produto o mais rápido possível, reduzindo os preços se necessário, visando obter liquidez, descreve.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Os bebés riem-se como os chimpanzés

Um estudo recente concluiu que as gargalhadas dos bebés não são semelhantes às dos humanos adultos, mas sim às dos chimpanzés. Há poucas coisas no mundo capazes de fascinar um adulto como o riso de um …

"Furacão" de matéria escura vai colidir com a Terra

Se os cálculos de uma equipa de astrónomos estiverem corretos, o Sistema Solar estará, em breve, no meio de um evento turbulento: um "furacão" de matéria escura, a soprar numa velocidade de 500 quilómetros por …

Irlanda investiga avistamento de OVNIs ao largo da costa

Após relatos de luzes e avistamento de OVNIs na costa sudoeste do país, a Autoridade da Aviação da Irlanda (IAA) deu início a uma investigação oficial. Eram quase 7 horas da manhã da passada sexta-feira quando …

Os "drones tubarão" que comem lixo das águas estão a chegar ao Dubai

Os WasteSharks, produzidos pela empresa tecnológica holandesa RanMarine, chegam este mês ao Dubai. Operam já em 2 países e estão aptos a recolher lixo, testar a qualidade da água e filtrá-la. Concebidos em 2016 e inspirados …

Açores desliga as luzes à noite para salvar espécie ameaçada

O arquipélago dos Açores tem uma medida em vigor para preservar uma espécie de aves ameaçada. Esta medida reflete-se também na redução da conta da eletricidade. As cagarras são uma uma espécie ameaçada, que vivem no …

Templo Satânico exige 133 milhões à Netflix por plágio de estátua

O Templo Satânico, localizado em Massachusetts, nos EUA, abriu um processo contra a Netflix por plagiar uma estátua na série "O Mundo Sombrio de Sabrina". A indemnização ultrapassa os 133 milhões de euros. O grupo denunciou …

Telemóveis ao volante dão 115 multas por dia

O número de multas nas estradas por usar o telemóvel durante a condução disparou este ano, quando comparado com o ano passado. Só até setembro, foram passadas 115 multas por dia, em média, pela PSP …

Bolsonaro pagou à Google (236 euros) para divulgar conteúdos

A Google informou esta segunda-feira o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que o Partido Social Liberal, do recém-eleito presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, pagou cerca de 236 euros pela disseminação de conteúdos na Internet. A Google foi …

Empresas portuguesas não estão preocupadas com possibilidade de corrupção

Mais de metade das empresas que participaram no primeiro inquérito nacional sobre a responsabilidade social empresarial não divulga nem adota planos de prevenção da corrupção. Segundo as conclusões do Inquérito Nacional sobre Conduta Empresarial Responsável e …

Os Pirenéus estão com "febre" e vão perder metade da neve até 2050

Um recente relatório revela que o aumento da temperatura vai reduzir drasticamente a neve na cordilheira que forma uma fronteira natural entre França e Espanha. O aumento da temperatura média nos Pirenéus em 1,2 graus centígrados …