3 polícias franceses detidos em caso de colaborador que agrediu manifestante

Philippe Wojazer / EPA

O Presidente francês, Emmanuel Macron

Três polícias foram detidos, este sábado, por terem mostrado imagens de videovigilância ao colaborador do Presidente francês, filmado a agredir um manifestante durante o desfile do 1º de Maio, informou a procuradoria de Paris.

Os três homens foram presos por “apropriação indevida de imagens de um sistema de videovigilância” e por “quebra de sigilo profissional“.

No âmbito deste caso, o ministro do Interior francês, Gérard Collomb, será interrogado na segunda-feira às 10h00 locais (09h00 de Lisboa) pela comissão da Assembleia Nacional dotada de poderes de investigação, anunciou o presidente desta comissão, Yael Braun-Piveta (do LREM, partido da maioria presidencial).

O ministro do Interior “condenou duramente” as ações destes três funcionários, suspensos na sexta-feira de manhã por precaução.

A polícia realizou hoje buscas na casa de Alexandre Benalla em Issy-les-Moulineaux, nos subúrbios do sudoeste de Paris. O colaborador do Presidente francês, responsável pela sua segurança durante a campanha presidencial de 2017 e agora nomeado “encarregado de missão” no Elysee, está sob custódia policial desde a manhã de sexta-feira.

De acordo com várias fontes relacionadas com o processo, os três oficiais superiores envolvidos, da Direção de Ordem Pública e Trânsito (DOPC) da Polícia de Paris, são o vice-chefe de gabinete, um comissário e o comandante responsável pelas relações entre a sede da polícia e o Eliseu.

Segundo a procuradoria, as imagens de videovigilância foram “mal comunicadas a terceiros na noite de 18 de julho”, precisamente na noite em que este caso foi revelado pelo jornal Le Monde.

Este processo envenenou por vários dias o Executivo francês, acusado pela oposição de ter sido informado muito rapidamente das ações de Benalla e de ter tentado abafar o caso.

Além disso, o caso também gerou polémica porque o funcionário de Macron só foi suspenso temporariamente, de 4 a 19 de maio, sem direito a vencimento.

Benalla, cuja demissão foi anunciada na manhã de sexta-feira, foi convidado como observador da polícia para supervisionar os desfiles do Dia do Trabalhador. O gabinete presidencial anunciou o seu despedimento, alegando que “surgiram dados novos” sobre o caso.

Um quinto homem, Vincent Crase, empregado do partido de Macron e reservista da polícia, também está sob custódia policial desde sexta-feira. Crase estava com Benalla a 1 de maio e é suspeito dos mesmos factos que o colaborador presidencial.

O chefe de gabinete do Presidente Emmanuel Macron, Patrick Strzoda, que estava na comitiva, foi ouvido na quinta-feira como testemunha.

Além da investigação preliminar da justiça, aberta na quinta-feira por iniciativa da Procuradoria de Paris, um inquérito administrativo foi lançado pela autoridade que investiga a polícia e um outro inquérito pela Assembleia Nacional.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Sismo de magnitude 5 atinge a cidade de Atenas

Um sismo de magnitude 5,1 na escala de Richter foi esta sexta-feira sentido em Atenas, informou o Centro Sismológico Euro-mediterrânico, existindo relatos de que muitas pessoas saíram a correr para as ruas da capital grega. O …

Jerónimo acusa PS de se encostar à direita para impor “malfeitorias” aos trabalhadores

O secretário-geral do PCP afirmou esta quinta-feira que o país continua a ter uma distribuição de rendimentos injusta apesar dos avanços dos últimos quatro anos e acusou o PS de voltar a encostar-se à direita …

Inspetores da PJ entregam pré-aviso de greve (e fazem ultimato a Costa)

A Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal dá uma semana ao Governo para alterar estatuto profissional dos polícias, caso contrário, não desmarca a greve. A Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal (ASFIC) da Polícia …

Ministro coloca Chefe das Forças Armadas em sentido e abre-lhe a porta da saída

O ministro da Defesa desdramatiza as declarações do Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) que falou numa situação "insustentável". João Gomes Cravinho fala em "infelicidade na linguagem" e diz que se o CEMGFA …

Tribunal de Contas deteta falta de controlo na gestão de donativos de Pedrógão Grande

A auditoria do Tribunal de Contas detetou graves falhas nas decisões de fundo gerido pelo Estado, destinado à reconstrução das casas em Pedrógão Grande. A auditoria do Tribunal de Contas ao Fundo Revita - criado pelo …

Vingança pode ter motivado o atentado ao estúdio de animação no Japão

O autor do atentado ao estúdio de animação em Quioto terá dado a entender às autoridades que agiu por vingança quando lançou o incêndio que levou à morte de 33 pessoas. Segundo as fontes da Jiji …

Presidente da TAP fala em "fake news" sobre os enjoos nos aviões A330neo

Apesar de ter admitido os relatos de enjoos, o presidente da TAP, Antonoaldo Neves, disse que ainda não foi comprovada a correlação com os cheiros estranhos detetados. O presidente executivo da TAP falou esta quinta-feira por …

Iniciativa Liberal defende taxa única de IRS e liberdade de escolha da escola

Esta é a primeira vez que o partido concorre a umas eleições legislativas e, em declarações à agência Lusa, o presidente do partido e cabeça-de-lista pelo círculo do Porto, Carlos Guimarães Pinto, destacou algumas das …

Depois do veto de Marcelo, PSD chumba lei do lóbi

O grupo parlamentar do PSD vai votar conta as propostas de alteração do CDS e PS à lei do lóbi, fazendo cair o diploma. A 7 de junho, data da aprovação da lei do lóbi no …

Bloco defende fim das propinas na próxima legislatura

O Bloco de Esquerda vai propor o fim das propinas durante a próxima legislatura, anunciou esta quinta-feira, em Coimbra, a coordenadora nacional do partido, Catarina Martins, que defendeu também o financiamento plurianual para as universidades. “O …