25 municípios perdem metade da água em roturas e infiltrações

IUCNweb / Flickr

Roturas, infiltrações e consumos não cobrados levam a que as empresas municipais de gestão de água tenham perdas comerciais da ordem dos 30%, na média do país. Mas há casos em que o valor chega aos 70% de água perdida.

Estes dados são divulgados pelo jornal Público que traça um retrato muito desigual do país, com os exemplos de Aguiar da Beira, que “perde mais de 70% da água que entrou na sua rede e que estava pronta para consumo público”, e o de Boticas, que “regista apenas 2% de perdas“.

Mas, no todo do país, é evidente o desperdício, com “mais de metade da água” a perder-se em roturas e infiltrações em 25 municípios, e com outros 29 municípios a revelarem perdas “entre 40 e 50%”, conforme atesta o Público. Somente 15 municípios “conseguem ter perdas inferiores a 10%”, sublinha o jornal.

Estes números constam do último relatório anual dos serviços de águas e resíduos de 2016, reportando-se a dados de 2015, que está disponível na base de dados da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR).

De notar que neste documento faltam dados relativos a “mais de 20 municípios” que não os facultaram, pelo que o cenário real pode ainda ser pior do que aquele que é aqui traçado.

“Entidades gestoras não têm dinheiro”

Este desperdício de água flagrante é tanto mais preocupante num ano de especial seca. Um problema que se resolveria com a “capacitação técnica” das empresas gestoras e com o fim dos consumos gratuitos, salienta o presidente da ERSAR, Orlando Borges, no Público.

“Há entidades que não cobram água e outras têm preços simbólicos. Grande parte das entidades em baixa não recupera os custos. Como é que podem recuperar?”, questiona Orlando Borges. “As entidades gestoras não têm dinheiro” para resolver os problemas de roturas e infiltrações, conclui.

Orlando Borges atesta que “66,6 mil quilómetros de rede (dos mais de 100 mil) têm mais de 10 anos”. “Os indicadores internacionais aconselham que a cada cinco anos se faça reabilitação, no mínimo a 1% da rede ao ano. Estamos a fazer metade do mínimo que devíamos”, conclui.

O Público atesta que os municípios perderam, em 2016, 164 milhões de m3 de água devido a roturas e infiltrações, fornecendo mais 77 milhões de m3 sem o devido pagamento.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Conheço um hospital do Estado no centro do país que tem o contador avariado e que por cada 100m3 de água consumida , só debita 10m3.
    O mais caricato é que os serviços do Ministério da Saúde , consideram esse hospital o mais eficiente do país, sem perceberem nem questionarem o porquê dessa tão grande “eficiência”
    A água que não é facturada e consumida, claro que vai para as “perdas” dessa entidade gestora.
    É o chamado público a enganar o próximo

  2. Já aqui tinha falado sobre os desperdícios por fugas mas não tinha a noção da grandeza destes. 70% de água perdida por ineficiência dos serviços municipalizados é algo impensável. Também acredito que é muito mais fácil aumentar o preço da água, nos casos em que esta é escassa como a seca que atravessamos, do que reparar as fugas da rede de distribuição. Se há municípios que limitam as perdas a valores inferiores a 10%, o que acho ainda muito, todos os municípios deveriam ser obrigados a cumprir essas metas. Assim evitaríamos que o governo pensasse em aumentar o preço da água por não haver argumentos de ser um recurso escasso. Um serviço com uma média global de 50% de perdas de água não tem argumentos para pedir o racionamento ou contenção por parte dos utentes. Se as perdas globais se mantivessem abaixo dos 10% eu acredito que esta seca nem se faria sentir ao nível da falta de água para abastecimento da população. E o que estão a fazer a “Águas de Portugal”, as entidades reguladoras, os observatórios e outros que tais, apenas a consumir os recursos financeiros do país? E os governantes, o que têm a dizer a este desgoverno? Já sei, dizem que vão aumentar o preço da água para fomentar a poupança dos cidadãos… Há quem chame a isso uma “cleptogovernação”, seja lá o que isso quer dizer.
    É apenas a minha opinião e desilusão no estado da nação…

  3. Ando há mais de 7 anos a tentar sensibilizar o meu município para o facto de que, no relatório de contas anual, só aparece como receita de venda de àgua metade do que aparece como despesa de compra de àgua. Ou seja, paga-se às Àguas de Portugal 400k por ano e recebe-se no serviço de àguas e saneamento 200k.

    • A isto poderia chamar-se “ludibriar” os orçamentos, aliás o que a maioria dos serviços do Estado pratica, para o bem e para o mal!!!!!!Todas as redes autárquicas deveriam ser revistas por técnicos competentes e o abastecimento às populações deveria ser cobrado (para que houvesse contensão de gastos) os municípios poderiam avaliar as carências dos utentes e inscrever verbas para auxilio de quem não pode pagar pelo menos os mínimos consumos………e a fiscalização periódica desmotivaria muitos dos que não olham a meios para enganar outros !!!!!!!

RESPONDER

Pavlopetri é uma impressionante cidade subaquática na Grécia (e é das mais antigas do mundo)

A cidade foi descoberta nos anos 60 e acredita-se que tenha mais de 5 mil anos de história. Com o seu planeamento urbano praticamente intacto, o local ainda exibe ruas, pátios, edifícios e até mesmo …

Dos partidos aos patrões, há expectativas quanto ao plano de desconfinamento

O primeiro esboço do plano de desconfinamento será apresentado na reunião do Infarmed, marcada para a próxima segunda-feira. A apresentação do roteiro para a reabertura do país acontece no dia 11 de março. Esta semana, o …

"Estamos em pé de guerra." OMS defende dispensa de patente para países poderem fazer cópias baratas de vacinas

Os laboratórios devem dispensar as patentes se tal for necessário para garantir que todas as pessoas são imunizadas contra o novo coronavírus, defendeu o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS). Num artigo publicado esta sexta-feira …

Apalpar fruta passou à história. Cientistas criam novo método para saber quando está madura

Uma equipa de investigadores desenvolveu um método para saber se uma fruta está madura sem a apalpar. Para já, os testes foram realizados em mangas, mas os cientistas esperam alargá-lo a outras frutas. Apalpar fruta para …

Governo espera reabrir turismo em maio

A secretária de Estado do Turismo revelou à BBC que Portugal espera poder abrir as fronteiras e o turismo no início de maio. Portugal espera poder abrir as fronteiras e o turismo no início de maio …

Final entre Benfica e Braga não será no Jamor, mas em Coimbra

A Taça de Portugal vai realizar-se no Estádio Cidade de Coimbra, que também recebe as finais da Taça de Portugal feminina e do Campeonato de Portugal.  O Estádio Cidade de Coimbra vai receber a final da …

Chocos passaram num teste cognitivo desenvolvido para crianças

No ano passado, os chocos já tinham passado no teste do marshmallow, mas agora uma equipa de cientistas decidiu fazer uma nova experiência. Segundo o site Science Alert, o teste do marshmallow consiste em colocar uma criança numa …

Estranhos terramotos revelam vulcões ocultos debaixo do deserto do Utah

Duas estranhas sequências de terramotos, em setembro de 2018 e abril de 2019, chamaram a atenção dos cientistas para o deserto de Black Rock, no estado norte-americano do Utah. As sequências de sismos, que incluíram os …

Chovem eletrões. Descoberto furacão de plasma espacial acima do Polo Norte

Uma equipa de cientistas, liderados pela Universidade Shandong, na China, identificou um furacão espacial acima do Polo Norte. Os investigadores usaram dados de satélite para identificar o furacão espacial acima do Polo Norte e revelaram que não …

Sporting 2-1 Santa Clara | Super-Coates volta a ser herói

Arrancado a ferros… à campeão? O Sporting esteve a poucos segundos de registar o terceiro empate em casa, perante um Santa Clara que não foi em nada inferior aos “leões” e até conseguiu ser superior em …