Em 2023, reformados terão o maior aumento nas pensões desde 2008

10

Se as pensões forem atua­lizadas de acordo com as normas legais, conforme assegurou o secretário de Estado da Segurança Social, a grande maioria dos pensionista verá a sua pensão aumentar de forma expressiva em 2023.

De acordo com o Expresso, será o maior aumento em pelo menos 15 anos e compensará o poder de compra perdido este ano.

Partindo das estimativas do Governo de que este ano Portugal cresce 4,9% e que a variação média anual do Índice de Preços no Consumidor rondará 3,7%, em 2023, a maioria dos reformados terá, pelo menos, um aumento de 4,7% na sua pensão.

O semanário adianta que este aumento pode significar mais 13 euros por mês para quem está no escalão mais baixo da pensão mínima; mais 25 euros mensais para pensões em torno dos 550 euros; ou mais 40 euros por mês para reformas de 950 euros.

Para quem tem pensões entre duas e seis vezes o Indexante de Apoios Sociais (IAS), os aumentos rondarão os 4,3%, sendo da ordem dos 3,7% para pensões que ultrapassem cerca de 2660 euros.

Quem tiver reformas para lá de 12 vezes o IAS (sensivelmente acima dos 5300 euros) ficará com a pensão congelada

Estas atualizações representam valores recorde desde, pelo menos, 2008, altura em que a fórmula de cálculo da sua atualização entrou em vigor.

O Expresso salvaguarda, no entanto, que estas contas são meramente indicativas, uma vez que as variáveis finais que compõem a fórmula de cálculo só estarão apuradas mais para o final do ano.

  ZAP //

10 Comments

  1. Com esses aumentos de reforma e à velocidade que os preços aumentam diariamente, tal conclusão só poderá sair dalgum matemático pós-25 de abril!

  2. Mais do mesmo….continua ser quem recebe menos (-+300)passa a receber mais 13€ e os ue recebem 2 .500 levam mais 49€ que bem

    • É mesmo bem, porquanto quem aufere 2500 euros de reforma estudou e trabalhou para isso não andou a descontar pelo salário mínimo ou nunca trabalhou e, além disso, há 10 anos atrás, 2500 valem hoje realmente 1500 dado que desde há mais de 10 anos que nunca viram um cêntimo de aumento, não que fique feliz por a sua reforma ser pequena mas ao longo dos últimos anos sempre foram recebendo 5, 10, 20 euros/ano. O que é preciso é saber escolher políticos que saibam o que andam a fazer e não desta estirpe que passam a vida a roubar-nos.

  3. Continuamos cada vez mais na mesma para pior
    Senão vejamos que a imcompencia de uns é a
    desgraça de outros quando um reformado ganha como por exemplo 300€ e tem um aumento de 13 e um que ganha 2000€ e tem um aumento de 40€ algum está errado o pobre tem de morrer há fome
    Mas o governo tem milhões para ajudar a Ucrânia nada tenho contre os Ucranianos mas tenho cabeça para pensar como se pode resolver o problema da fome em Portugal

  4. E uma vergonha falar em aumentar reformas e não falar em quem trabalha e ganha ordenados miseráveis e ainda tem a despesa de se deslocar para o trabalho etc

    • Este é um governo de mínimos, como de mínimos e desgraça foi o governo de Sócrates que deixou o país hipotecado. Caminhamos nesta tristeza portuguesa. Já somos quase os últimos da Europa e muito povo ainda não se apercebeu.

  5. Ao contrário do que foi dito durante a campanha, a redução entre os mais pobres e os mais abastados não passa de uma promessa falsa.
    Com estes aumentos os mais pobres vão ter 13€ enquanto os mais abastados daqueles que vão ser contemplados com este aumento, com 40€, o que vai aumentar o desnível.
    Se recebem 40€ de aumento, então o que seria mais razoável é que dessem 50€ aos médios e 60€ aos que têm m a pensão mais baixa.
    Mas neste país não vivem só pensionistas.
    Vivem também desempregados de longa duração que devido há idade não conseguem emprego e outros já são considerados velhos para o mercado trabalho e novos para a reforma.
    Estes recebem de RSI a vergonha de 189€, não tendo sequer direito aos subsídios de férias e de Natal, conforme os reformados têm.
    Este ano as reformas vão ser pela 3 vez aumentadas enquanto quem recebe o RSI nem 1 cêntimo tiveram de aumento.
    Não será que quem recebe esse RSI que esteja nas condições atrás referidas e cujo tenham trabalhado e descontado, não possam ter esse subsídio no valor por exemplo dos 250€ e terem também os subsídios de férias e de Natal?
    Parece-me que não porque tem-se de guardar o dinheiro para os refugiados e para os políticos.
    Podemos doer que estas pessoas são tratadas como carne para canhão.

  6. 0 certo seria os que recebem menos de pensão terem um aumento maior e não o contrario mas como sempre o pobre cada vez mais pobre nos ordenados é o mesmo os ordenados pequenos levam sempre um aumento mais pequeno à ordenados de funcionários com 30 anos de trabalho que ganham uns euros a mais do ordenado mínimo isto é certo? Claro que não mas é a porcaria de governo que temos independentemente de quem for para lá será sempre o mesmo

  7. Fico perplexo com a estimativa do governo de 3,7% de inflação para o ano corrente, quando o pão já leva um aumento de 50% e quando vamos ás compras olhamos os preços, até ficamos assustados. Se as estatísticas forem reais, a inflação media pelo avanço que leva, ultrapassará os vinte por cento.O aumento de salários e pensões foram quase residuais,há Realmente uma perda substancial do puder de compra em 2022 que nunca vai ser recuperado e ninguém pense que a inflação vai baixar nestes próximos anos.Para combater a mesma haverá juros a subir, contenção de salários e pensões para que exista menos puder de compra. Vem aí dias muito difíceis.Se o governo não olhar para as pensões mais baixas, há pensionistas que terão de voltar ao tempo do pau e do saco.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.