Mais de 10 mil crimes de femicídio ficaram por resolver em 2017 no Brasil

Tânia Rêgo / Agência Brasil

No final do ano passado, 10.786 processos de femicídio – assassinatos de mulheres em função do género – aguardavam julgamento tribunais estaduais de Justiça do Brasil. Os dados foram publicados na quarta-feira pelo Conselho Nacional de Justiça.

“O volume de processos é maior que a capacidade da Justiça de julgar responsáveis pelos crimes. O ano de 2017 terminou com 10,7 mil processos de femicídio sem solução da Justiça”, destaca o relatório. O número é mais que o dobro do registado em 2016, que foi de 5.173.

De acordo com o DW, quase metade dos casos pendentes na Justiça em 2017 – 4.925 processos – correspondia a um único Tribunal de Justiça: o do Paraná. Este estado é também o que mais proferiu sentenças relacionadas a casos de femicídio no ano passado, somando um total de 2.872.

Em todo o Brasil, foram emitidas 4.829 sentenças em 2017, o que representa a conclusão de quase 3 mil processos a mais do que os solucionados em 2016, que foram 1.942.

Existem 7 estados – Alagoas, Amazonas, Amapá, Ceará, Paraíba, Roraima e Sergipe – que em todo o ano passado solucionaram menos que cinco casos de femicídio cada um. Os magistrados da Bahia e do Piauí, por sua vez, não solucionaram qualquer queixa.

Relativamente aos novos casos, o número mais que duplicou entre 2017 e 2016. “Enquanto a responsabilização criminal dos assassinos produziu 1.287 novos processos em 2016, o número saltou para 2.643 casos novos no ano seguinte”, aponta o estudo.

O CNJ advertiu, no entanto, que o número baixo número de casos de femicídio apresentados na Justiça – especialmente em 2016 – indica uma evidente subestimação das ocorrências. Segundo o Conselho Nacional, uma das dificuldades que os tribunais encontram é o registo correto do crime nos sistemas, uma vez o crime passou a ser considerado hediondo recentemente.

O relatório do CNJ, que reuniu dados de 27 tribunais estaduais do Brasil, expondo outros tipos de violência que atingem as mulheres. Só em 2017, transitaram na Justiça brasileira quase 1,5 milhão de processos relativos a violência doméstica e familiar.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Eu fico sem saber o que distingue um homicídio de um femicídio? Lê-se “assassinato de mulheres em função de género”. Quer dizer, quando o assassino diz agora vais morrer só por teres nascido mulher!.. É isso?

    Ou passámos a ter designações diferentes para quando se assassina um homem e uma mulher? É como a “cartolina de cidadã da Catarina Martins”? Então não quero direitos da criança! Quero direitos de menina e de menino! Ou homicídio é para os dois e femicídio é só especial de corrida pra mulher? Então espera… Também quero um especial de corrida para assassínios de homens. Pode ser machicídeo??..

    Matou, matou… Morreu, morreu. Chama-se homicídio! Fazer uma distinção só para quando é contra mulheres é sexismo, a menos que também haja uma só para homens. Mas depois também temos de ter uma para pessoas andróginas e para homossexuais femininos e masculinos.

    Femicídio, meu Deus…. Femicídio. Um nome especial para quando se matam mulheres. Mas será que elas estão mesmo convencidas de que são mais do que os homens? Custa assim tanto aceitar ser igual? É todos os dias uma estupidez nova, nesta era da parvoice onde perante problemas no mundo cada vez mais graves, não pára de aumentar o número de preocupações futeis com o que menos importa. Ora se as principais preocupações das mulheres são coisas como arranjar um estatuto privilegiado para o assassinato de mulheres, como é que depois querem ser respeitadas?

    Meu Deus… Ainda bem que a minha companheira não é assim. Graçádeus!.. Isshhh…

  2. É um nome dado a homicidio proprio de mulheres. Da mesma forma que lésbica é sinónimo de homossexual, só que para mulheres.

    Essa vodka caiu forte, não?

    • Oh Aba!!!
      Não se deve recomendar os seus próprios vícios…
      Faça um favor a si mesmo leia outra vês e de preferência em voz alta para entender o que está escrito…

  3. Chama-se femicidio porque é assassinato de mulheres, nao se pretende de maneira alguma dizer que é especial comparado com homicidio masculino, ou que merece prioridade e por isso tem outro nome.
    E homicidio significa “assassinato de homem”, ja agora. Os do site disseram femicidio para chamar a atencao ao problema que é a violencia contra a mulher (que tambem há contra o homem, claro)
    E vodka não é vicio, é bom gosto

RESPONDER

Quando chegaram à Europa pela primeira vez, as batatas eram "hereges"

Os espanhóis foram os primeiros europeus a encontrar batatas na América do Sul nos anos 1530. Porém, quando foram trazidas para o Velho Continente, não foram bem recebidas por todos. Depois de terem sido encontradas pelos …

Ano vai ser "inevitavelmente" de contestação social, avisa CGTP

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, disse esta sexta-feira que este ano vai ser “inevitavelmente” de contestação social se o Governo e as empresas continuarem a insistir num modelo de baixos salários. O líder da intersindical …

Maior ameaça ao crescimento português vem de Espanha

Diz o ditado popular que de Espanha nem bom vento, nem bom casamento. Mas, na verdade, o crescimento económico do país vizinho tem contribuído para puxar pela economia portuguesa. Agora, quando se prevê um abrandamento …

Cabo Verde esteve sem Internet durante 24 horas

O arquipélago de Cabo Verde voltou a ter acesso à Internet na tarde desta sexta-feira, cerca de 24 horas depois de uma instabilidade provocada por falhas no fornecedor internacional do serviço. O país tinha ficado sem …

Ventura em operação de charme no Porto depois de um atraso muito criticado no Parlamento

O deputado André Ventura, eleito pelo Chega, tem agendada para este sábado uma verdadeira operação de charme no Porto, com encontros com o presidente da Associação Comercial do Porto e com apoiantes do partido. Iniciativas …

Assistente social acusada de maltratar 14 crianças em centro de acolhimento

O Ministério Público (MP) acusa uma mulher de 46 anos, que era assistente social e diretora técnica de um centro de acolhimento na Maia, no distrito do Porto, de maltratar 14 crianças nesta instituição. De …

Marcelo não vê razão de preocupação com empresas portuguesas de Isabel dos Santos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse esta sexta-feira ter sinais de que não há razão para preocupação nos setores económicos e empresas portuguesas nas quais a Isabel dos Santos está a vender …

Mina de lítio em Montalegre. "Impactes negativos minimizáveis” e 370 empregos

O Estudo de Impacte Ambiental (EIA) da concessão de exploração de lítio, em Montalegre, conclui que o projeto possui “impactes negativos” que, no entanto, “não são significativos”, “são minimizáveis” e de “abrangência local”. O EIA do …

Cristas faz o mea culpa e abandona o congresso. Corrida à sucessão faz-se a cinco

O 28.º congresso nacional do CDS arrancou este no Parque de Feiras e Exposições de Aveiro com o discurso da líder demissionária Assunção Cristas, que fez uma espécie de mea culpa e agradeceu aos centristas …

Sérgio Conceição sai do FC Porto no fim da época

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, deixará o comando dos dragões no final da temporada. A derrota em casa com o Braga terá ditado a saída do técnico azul e branco. O técnico do FC …