Mais de 10 mil crimes de femicídio ficaram por resolver em 2017 no Brasil

Tânia Rêgo / Agência Brasil

No final do ano passado, 10.786 processos de femicídio – assassinatos de mulheres em função do género – aguardavam julgamento tribunais estaduais de Justiça do Brasil. Os dados foram publicados na quarta-feira pelo Conselho Nacional de Justiça.

“O volume de processos é maior que a capacidade da Justiça de julgar responsáveis pelos crimes. O ano de 2017 terminou com 10,7 mil processos de femicídio sem solução da Justiça”, destaca o relatório. O número é mais que o dobro do registado em 2016, que foi de 5.173.

De acordo com o DW, quase metade dos casos pendentes na Justiça em 2017 – 4.925 processos – correspondia a um único Tribunal de Justiça: o do Paraná. Este estado é também o que mais proferiu sentenças relacionadas a casos de femicídio no ano passado, somando um total de 2.872.

Em todo o Brasil, foram emitidas 4.829 sentenças em 2017, o que representa a conclusão de quase 3 mil processos a mais do que os solucionados em 2016, que foram 1.942.

Existem 7 estados – Alagoas, Amazonas, Amapá, Ceará, Paraíba, Roraima e Sergipe – que em todo o ano passado solucionaram menos que cinco casos de femicídio cada um. Os magistrados da Bahia e do Piauí, por sua vez, não solucionaram qualquer queixa.

Relativamente aos novos casos, o número mais que duplicou entre 2017 e 2016. “Enquanto a responsabilização criminal dos assassinos produziu 1.287 novos processos em 2016, o número saltou para 2.643 casos novos no ano seguinte”, aponta o estudo.

O CNJ advertiu, no entanto, que o número baixo número de casos de femicídio apresentados na Justiça – especialmente em 2016 – indica uma evidente subestimação das ocorrências. Segundo o Conselho Nacional, uma das dificuldades que os tribunais encontram é o registo correto do crime nos sistemas, uma vez o crime passou a ser considerado hediondo recentemente.

O relatório do CNJ, que reuniu dados de 27 tribunais estaduais do Brasil, expondo outros tipos de violência que atingem as mulheres. Só em 2017, transitaram na Justiça brasileira quase 1,5 milhão de processos relativos a violência doméstica e familiar.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Eu fico sem saber o que distingue um homicídio de um femicídio? Lê-se “assassinato de mulheres em função de género”. Quer dizer, quando o assassino diz agora vais morrer só por teres nascido mulher!.. É isso?

    Ou passámos a ter designações diferentes para quando se assassina um homem e uma mulher? É como a “cartolina de cidadã da Catarina Martins”? Então não quero direitos da criança! Quero direitos de menina e de menino! Ou homicídio é para os dois e femicídio é só especial de corrida pra mulher? Então espera… Também quero um especial de corrida para assassínios de homens. Pode ser machicídeo??..

    Matou, matou… Morreu, morreu. Chama-se homicídio! Fazer uma distinção só para quando é contra mulheres é sexismo, a menos que também haja uma só para homens. Mas depois também temos de ter uma para pessoas andróginas e para homossexuais femininos e masculinos.

    Femicídio, meu Deus…. Femicídio. Um nome especial para quando se matam mulheres. Mas será que elas estão mesmo convencidas de que são mais do que os homens? Custa assim tanto aceitar ser igual? É todos os dias uma estupidez nova, nesta era da parvoice onde perante problemas no mundo cada vez mais graves, não pára de aumentar o número de preocupações futeis com o que menos importa. Ora se as principais preocupações das mulheres são coisas como arranjar um estatuto privilegiado para o assassinato de mulheres, como é que depois querem ser respeitadas?

    Meu Deus… Ainda bem que a minha companheira não é assim. Graçádeus!.. Isshhh…

  2. É um nome dado a homicidio proprio de mulheres. Da mesma forma que lésbica é sinónimo de homossexual, só que para mulheres.

    Essa vodka caiu forte, não?

    • Oh Aba!!!
      Não se deve recomendar os seus próprios vícios…
      Faça um favor a si mesmo leia outra vês e de preferência em voz alta para entender o que está escrito…

  3. Chama-se femicidio porque é assassinato de mulheres, nao se pretende de maneira alguma dizer que é especial comparado com homicidio masculino, ou que merece prioridade e por isso tem outro nome.
    E homicidio significa “assassinato de homem”, ja agora. Os do site disseram femicidio para chamar a atencao ao problema que é a violencia contra a mulher (que tambem há contra o homem, claro)
    E vodka não é vicio, é bom gosto

RESPONDER

Depois do "selo Brexit", os correios da Áustria emitem o "selo corona" impresso em papel higiénico

O serviço postal da Áustria uniu dois pontos da pandemia do novo coronavírus ao criar um selo impresso em papel higiénico que, segundo os correios, as pessoas também podem, a qualquer momento, usar para ajudar …

A Moog celebra os 100 anos do Theremin com um novo instrumento: o Claravox Centennial

Este ano marca o 100º aniversário do Theremin - um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrónicos, controlado sem qualquer contacto físico pelo músico. Para celebrar vai ser lançado o Claravox Centennial. Foi em 1920 que Leon Theremin, …

Depósito inexplorado na Sibéria tem uma das maiores reservas de ouro do mundo

O maior produtor de ouro da Rússia, PJSC Polyus, anunciou esta semana que o seu depósito inexplorado em Sukhoi Log, na região siberiana de Irkutsk, possui uma das maiores reservas mundiais deste metal preciosos. De …

Os novos iPhones não trazem carregador. Apple poupa muito nos custos, mas não no ambiente

A Apple decidiu vender os seus novos iPhones sem carregador ou auscultadores, alegando que a alteração tem em conta o ambiente, uma vez que serão utilizados menos produtos na embalagem dos telemóveis, mas os especialistas …

Caça ao tesouro secular. Lendária ilha pode esconder Santo Graal, manuscritos de Shakespeare e jóias reais

Perto da Nova Escócia, no Canadá, há uma lendária ilha com misteriosos túneis e estranho artefactos. Há quem acredite que esconde o Santo Graal, os manuscritos de Shakespeare e um tesouro de um capitão. Porém, …

Aprender "baleiês" pode evitar choque de navios com o animal

Uma equipa de cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, tem uma nova ideia para salvar as baleias-azuis em migração das colisões com navios. Durante a época de migração das baleias-azuis, os animais enfrentam sérios …

Afinal, os carros elétricos não são a melhor resposta para combater as alterações climáticas

Os carros elétricos, surgem como alternativas mais sustentáveis aos veículos a gasolina ou gasóleo, podem não ser a melhor forma de combater as alterações climáticas no âmbito dos transportes, de acordo com um novo estudo. …

Seria Jesus um mágico? Há arte romana que parece sugerir que sim

Em alguma arte antiga, Jesus é retratado a fazer milagres com algo na mão que parece ser uma varinha. Investigadores sugerem que se trata de um cajado, que era usado como símbolo de poder. Segundo a …

Nem todos os clubes estão a afundar – alguns estão a prosperar durante a pandemia

Nem todos os clubes estão a sofrer às mãos desta pandemia de covid-19. Alguns deles têm conseguido bons resultados financeiros apesar da crise. A covid-19 provou ser um adversário devastador para o desporto profissional em todo …

Kibus: o aparelho que vai revolucionar a forma como os nossos cães se alimentam

Ter cães como melhores amigos pode ser muito benéfico, mas também traz a sua dose de trabalho e responsabilidades. Levar ao veterinário, dar banho, levar a passear, brincar, dar de comer... No fundo é como …