Vai ser possível voltar a casar logo após o divórcio

Cipaz CiCCiO / Flickr

O texto aprovado, esta quinta-feira, na Assembleia da República, foi aprovado por todos os partidos, com exceção do CDS-PP.

Segundo o jornal Público, todos os partidos, com excepção do CDS-PP, votaram a favor do texto que vai permitir que os portugueses possam casar-se quando quiserem, mesmo imediatamente a seguir a um divórcio.

A alteração ao Código Civil foi aprovada na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias e será votada em plenário no dia 19. A nova regra entra em vigor no primeiro dia do mês seguinte a ser publicado em Diário da República.

Antes, a lei previa que, após o divórcio, os homens só podiam casar 180 dias depois. Já o prazo para as mulheres era de 300 dias, podendo ser reduzido para 180 mediante a apresentação de um atestado médico que comprovasse que não estavam grávidas.

O novo texto, escreve o jornal, substitui as propostas originais do Bloco de Esquerda, do PAN e do PS, apresentadas há mais de dois anos, que propunham inicialmente que o prazo fosse reduzido para 180 dias (o BE, para que fosse igual ao dos homens) ou 30 dias (no caso do PS), ou acabar de todo com o prazo (proposta mais radical do PAN).

Os restantes partidos (PCP, PSD e CDS) sempre mostraram muitas reservas, sobretudo no que diz respeito à presunção de paternidade, prevista no Código Civil, que tem como objetivo afastar dúvidas sobre o pai dos filhos nascidos após o divórcio. Para conseguir chegar a acordo com o PCP e o PSD, os três partidos tiveram que eliminar todas as referências a esta questão.

O argumento usado pelo Bloco, PS e PAN foi o de que atualmente qualquer dúvida sobre a paternidade de uma criança pode ser resolvida através de testes de ADN. Mas, de acordo com o diário, os comunistas argumentaram que a lei deve acautelar a questão da presunção de paternidade sem ser necessário exigir provas à mulher. A solução foi não alterar os artigos do Código Civil que abordam o regime da presunção de paternidade e apenas eliminar o prazo.

“Estamos muito satisfeitos com a eliminação do prazo internupcial. Tratava-se de uma desigualdade de duvidosa constitucionalidade, como aliás salientaram a Procuradoria-Geral da República e professor Guilherme de Oliveira. Portugal chegou finalmente, também neste capítulo, ao século XXI”, disse ao Expresso Sandra Cunha, deputada bloquista e autora do projeto-lei.

Estávamos 38 anos atrasados em relação a Espanha e 14 relativamente a França. Não fazia qualquer sentido manter um prazo internupcial que permitia aos homens voltarem a casar-se imediatamente a seguir a um divórcio mas obrigavam a mulher a esperar 300 dias para o fazer. Uma regra baseada numa visão paternalista e patriarcal das mulheres, que lançava uma constante suspeição sobre elas e que lhes limitava a liberdade e a autodeterminação. É uma conquista importantíssima na luta pela igualdade de direitos e de tratamento entre mulheres e homens”, acrescenta.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Netflix retira imagens de suicídio de "13 Reasons Why"

A Netflix modificou o episódio da série "13 Reasons Why" onde apareciam imagens do suicídio da protagonista Hannah Baker (Katherine Langford), passando agora essa parte da ação a ocorrer de forma totalmente oculta para os …

Belinda Sharpe é a primeira árbitra do râguebi australiano em 111 anos

Belinda Sharpe vai tornar-se na primeira árbitra de campo na história de 111 anos da liga profissional de râguebi na Austrália, quando dirigir um jogo do campeonato agendado para quinta-feira. A Liga Nacional de Râguebi (NRL) …

Os chimpanzés não têm noção de justiça e aceitam desigualdades

Os chimpanzés carecem da noção de justiça e aceitam a desigualdade na repartição de comida ou materiais, segundo a investigadora Nereida Bueno. A cientista, da Universidade Pontificia de Camillas, que participou num estudo publicado esta semana …

Descartar drogas pelo esgoto pode criar "meta-caimões" nos Estados Unidos

O Departamento da Polícia de Loretto, no estado norte-americano do Tennessee, alertou este sábado para os perigos associados à eliminação de narcóticos através das canalizações das casas de banho. Numa publicação na página oficial de Facebook, …

Descoberta nova via terapêutica para tratar o Alzheimer

Um grupo de cientistas descobriu uma nova via terapêutica para tratamento do Alzheimer, que segundo os investigadores cria “alguma esperança” para travar o desenvolvimento da doença em estágios mais iniciais. O projeto, cujas conclusões foram publicadas …

Exército de carraças está a dizimar vacas (e pode chegar aos humanos)

Uma espécie invasiva de carraças já dizimou um quinto da população de vacas na Carolina do Norte. Os cientistas temem que o próximo alvo podem ser os humanos. A espécie de carraça Haemaphysalis longicornis tem feito …

Ucrânia aprova castração química para pedófilos

Na Ucrânia, será administrada uma injeção que reduz o libido aos pedófilos. A legislação vai aplicar-se a homens com idades entre os 18 e os 65 anos que forem considerados culpados de violação ou abuso …

Em vez de desaparecer, ilhas do Pacífico poderão mudar de forma

Países insulares como Tuvalu, Toquelau e Kiribati passam o nível do mar em poucos metros. Estes são Estados considerados vulneráveis ao aquecimento climático do planeta e as populações acreditam que podem desaparecer com a subida …

Morreu o pugilista Pernell Whitaker. O campeão olímpico foi vítima de atropelamento

O pugilista norte-americano Pernell Whitaker morreu atropelado este domingo em Virginia Beach, aos 55 anos. O atleta foi atingido mortalmente quando atravessava a estrada num cruzamento, durante a noite. Num comunicado enviado ao Guardian, o Departamento …

Eis a primeira aterragem autónoma de um avião tripulado

Uma equipa de cientistas alemã criou um sistema que permite à aeronave aterrar autonomamente em qualquer pista, sem nenhum tipo de apoio humano. Enquanto a indústria automóvel tem andado léguas no que toca a inovação em …