Vive-se “tragédia humana inimaginável” em lares e instituições na Europa

Quase metade das mortes por covid-19 na Europa foram pessoas que estavam em instituições como lares de idosos, afirmou esta quinta-feira o diretor regional da Organização Mundial de Saúde, que considerou estar-se a viver uma “tragédia humana inimaginável” neste setor.

Numa conferência de imprensa virtual a partir da sede regional europeia da OMS, Hans Kluge salientou que “a maneira como muitas instituições prestam os seus cuidados dá ao vírus caminhos para se propagar”.

“O papel do setor público, responsável por não deixar ninguém para trás, não pode ser sobrestimado”, considerou, declarando que as instituições precisam de planos rigorosos para evitar o contágio e que os utentes de lares têm que ser “uma prioridade” na realização de testes para despistar qualquer caso suspeito.

Hans Kluge declarou que estimativas dos 53 países na esfera europeia da OMS indicam que “até metade das mortes por covid-19 eram residentes em instituições de cuidados continuados”. Quer seja pela idade avançada, doenças pré-existentes – cardiovasculares, diabetes ou insuficiência renal estão entre as mais preocupantes – ou pelas “dificuldades cognitivas” provocadas por demências, os residentes de lares estão entre as pessoas mais vulneráveis à pandemia, salientou o responsável da OMS.

A OMS defende que tem que haver mudanças “imediatas e urgentes” na maneira como os lares funcionam, garantindo um equilíbrio entre as necessidades dos residentes e das suas famílias e a proteção que precisam de ter em relação ao novo coronavírus.

Para isso, os trabalhadores têm que ter equipamentos de proteção adequados e as instituições devem garantir que há espaços separados para isolar casos suspeitos mesmo antes de estes surgirem.

Hans Kluge defendeu ainda que devem haver condições para qualquer residente doente ou suspeito ser transferido para um hospital e para o seu regresso seguro à instituição, assegurando-se de que é testado antes e que o resultado é negativo. Só assim será possível a “abertura gerível” dos lares às visitas de familiares, sem as quais os idosos estão privados do “apoio físico e mental” que o contacto com as famílias lhes garante.

A pandemia e os riscos acrescidos que representa para idosos e outras pessoas que vivem em instituições onde estão confinadas, como hospitais psiquiátricos, são uma oportunidade para criar sistemas de cuidados continuados que dão “prioridade às pessoas”.

Para isso, é preciso “o compromisso dos níveis mais elevados do governo”, disse, considerando que o setor dos cuidados continuados “tem sido negligenciado desde há muito tempo”, que se traduz num “retrato profundamente preocupante” pela pandemia.

Quanto aos trabalhadores destas instituições, “heróis desconhecidos”, devem ter quer os equipamentos de proteção adequados quer uma remuneração que recompense o seu esforço, muitas vezes desempenhado sem horários e sem condições.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Gabriel afastado do plantel e pode ser reforço de Rui Vitória

Jorge Jesus não conta com Gabriel para a próxima temporada e já colocou o médio a treinar à parte do plantel, acompanhado por um preparador físico. O Benfica está a trabalhar com o representante do jogador …

Governo quer reduzir para três o número de testemunhas em processos civis

O Governo quer reduzir para três o número máximo de testemunhas por cada facto que se queira ver provado em tribunal no âmbito de um processo, visando aumentar a celeridade e estabelecer um critério de …

Myanmar. Junta militar anula resultados das eleições de 2020

Militares entendem que a votação não foi "livre e justa". Anúncio da anulação das eleições de 2020 não foi acompanhado de uma data para a realização de um novo ato eleitoral — tal como seria …

Contas públicas agravam-se face a 2020. Receita fiscal volta a crescer

Ministério de João Leão atribui incumprimento à terceira vaga da economia, que significou novas restrições à circulação e nos horários dos estabelecimentos. A receita fiscal e contributiva cresceu, um sinal animador para uma recuperação económica …

Ugarte está a caminho de Alvalade, mas Amorim quer mais três reforços

O Sporting já terá garantido a contratação de Manuel Ugarte, mas Rúben Amorim ainda quer trazer mais um avançado, um extremo e um defesa-central. Depois de várias rondas de negociações, o Sporting finalmente chegou a acordo …

Marcelo começou a receber partidos. "Recuperação socioeconómica" é preocupação comum

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, começou a receber os partidos políticos com assento parlamentar esta segunda-feira. À saída do encontro com Marcelo Rebelo de Sousa, João Cotrim de Figueiredo disse que levou até …

"Não consigo aceitar": português chora depois de perder nos Jogos Olímpicos

Anri Egutidze ficou claramente desiludido por ter perdido logo no seu primeiro combate no torneio masculino de judo: "Vim para ganhar, mesmo". Anri Egutidze chegou aos Jogos Olímpicos para lutar por uma medalha no judo, categoria …

Jogos Olímpicos: Lucas joga com máscara no rosto

Lucas Saatkamp, uma das figuras da seleção brasileira masculina de voleibol, utiliza máscara de proteção contra a COVID-19 durante os jogos em Tóquio. Quem assistiu ao grande jogo desta segunda-feira, o Brasil-Argentina, no torneio masculino de …

PS responde à letra: "O BE pode continuar a fazer a vista grossa aos avanços" no SNS

O PS rejeitou esta segunda-feira as críticas do BE sobre a fixação de profissionais no Serviço Nacional de Saúde, argumentando que o executivo tem sido "consistente" na valorização destes trabalhadores e apelando ao diálogo para …

Jogos Olímpicos: a "estrela" da casa já foi eliminada

Naomi Osaka não foi além dos oitavos-de-final do torneio feminino de ténis. Markéta Vondroušová foi a protagonista da surpresa. Era a líder do ténis mundial há pouco tempo, é a número 2 da tabela WTA e …