Vítor Pereira desabafa: “Não brinquem com o meu trabalho”

Rodrigo Coca / Ag. Corinthians

Vítor Pereira em treino do Corinthians

Corinthians ganhou, está na frente do campeonato, mas estaria a lutar pela permanência se não fossem os jovens da casa.

O Corinthians levou a melhor sobre o Goiás por 1-0 , num dos jogos da 13.ª jornada do Brasileirão.

A jogar em casa, o Corinthians marcou perto da meia hora graças a uma decisão do árbitro que originou muitas dúvidas.

Uma grande penalidade assinalada quando Caio Vinicius tocou na bola com o braço; mas o remate de Roger Guedes foi feito muito próximo do jogador do Goiás e a bola ressaltou do peito. Fábio Santos marcou.

O Corinthians ficou provisoriamente com os mesmos pontos do líder Palmeiras, embora a equipa de Abel Ferreira tenha menos um jogo realizado.

Vítor Pereira ganhou, está na frente, mas deixou desabafos depois do jogo. Em conferência de imprensa, o treinador português lamentou o número de lesões, falando do calendário muito preenchido para as equipas brasileiras (queixa recorrente no Brasil).

“Eu gostaria que não brincassem com meu trabalho. Vamos imaginar que essa equipa que toda a gente idealiza jogava todos os jogos”, sugeriu o técnico, deixando depois, em poucos segundos, sete exemplos de futebolistas do seu plantel que estiveram ou estão lesionados: “Não acredito que seja possível jogarem de três em três dias, não tem como”.

“Por isso, quem vem com essa conversa de encontrar uma equipa base, para jogar todos os jogos, está a brincar comigo, está a brincar com o meu trabalho, não está a ver o que está a acontecer”, continuou.

O Corinthians é um dos líderes do campeonato mas, de acordo com Vítor Pereira, se não fossem os jovens da formação a aparecerem – com qualidade – na equipa principal, estaria a lutar pela manutenção.

Assim, apesar de ter vencido novamente, o treinador não está satisfeito. E explicou porquê: “Como vou estar satisfeito hoje sendo que tenho que olhar para o próximo jogo e ver que quase não tenho jogadores? Temos que ser honestos porque depois os adeptos cobram”.

Vítor Pereira admitiu que, apesar da boa posição no Brasileirão, há rivais com plantel melhor, com jogadores com melhor nível técnico: “Eu olho para algumas equipas e vejo que as armas são diferentes, têm mais soluções do que nós. Eu tenho feito o que posso

“Vejam bem o plantel que nós tínhamos e vejam o que temos agora em termos de soluções. Não me venham com exigências”, repetiu.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.