Vila Nova de Foz Côa vende xisto com mais de 500 milhões de anos para todo o mundo

As pedras de xisto “únicas no mundo”, que têm mais de 500 milhões de anos e que existem ao longo do rio Côa, são exportadas para vários países do mundo, numa indústria que movimenta milhões de euros.

Segundo explicou à Lusa o geólogo Mauro Búrcio, “trata-se de uma rocha sedimentar formada por camadas há 500 milhões de anos, naquilo que era o fundo de um oceano. São pedras que ao serem talhadas, dão sempre um ângulo de 90 graus. Ou seja, em forma de paralelepípedo, o que lhe confere um carácter e rugosidade únicos”.

As pedras de xisto com características únicas, extraídas de pedreiras que se formaram no período Ordovícico (na era Paleozoica), foram inicialmente usadas na produção de esteios para o alinhamento das vinhas do Douro e são agora elementos de decoração de diversos prédios ou moradias, espalhados pelos quatro cantos do mundo.

No século XIX foi descoberto aquele xisto “único em todo mundo” e “só explorado junto ao rio Côa”, numa extensão de cerca de dois quilómetros quadrados, contou o geólogo.

“Trata-se de uma sedimentação marinha, muito rugosa. A rocha, à medida que sofrendo deformações, apenas visíveis neste sítio, torna possível extrair peças que podem ir de um aos seis metros de comprimento, sem praticamente apresentarem defeitos” adiantou o técnico.

Com o auxílio de marreta e cinzel, os trabalhadores rasgam a rocha de xisto nos “planos de estratificação e xistosidade”. Assim, de forma aparentemente fácil conseguem esteios para as vinhas de resistência e comprimentos “admiráveis”.

As pedreiras de xisto, localizadas a cerca de quatro quilómetros de Foz Côa, no distrito da Guarda, nas proximidades do Parque Arqueológico do Vale do Côa, estão em actividade pelo menos desde 1850, numa altura em que havia uma forte actividade vinícola no Douro Superior.

“Já desde o tempo da Ferreirinha [Antónia Adelaide Ferreira], que destas pedreiras se retirou muito xisto para fazer os esteios para as vinhas. Era esta a principal actividade por aqui. Uma crise na produção de vinho no Douro levou à criação de novas oportunidade de trabalho e o xisto ganhou outra importância no mercado há cerca de 50 anos “, indicou Manuel Monteiro, um trabalhador das pedreiras de Foz Côa há mais de duas décadas.

Contudo, a evolução tecnológica fez com que o número de pedreiras fosse cada vez menos, assistindo-se a uma redução de trabalhadores até 1990.

Actualmente há três empresas de média dimensão a laborar no concelho do Douro Superior, sendo o grupo Solicel aquele que, actualmente com cerca de 70 operários, mais postos de trabalho criou.

Esta empresa, que aposta em rochas criativas para fachadas de imóveis e em mobiliário urbano, exporta para diversos continentes e tem uma facturação anual que ronda os 3,6 milhões de euros, que representam um crescimento de 40% face a 2016.

“Somos o maior empregador privado do concelho de Foz Côa, bem como um dos maiores exportadores dos territórios do Vale do Côa”, disse à Lusa Pedro Duarte, administrador do grupo Solicel.

Os mercados tradicionais do xisto de Foz Côa são Alemanha e França, havendo ideias de expansão para a Coreia do Sul, México, Estados Unidos, Bélgica ou Noruega.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Meio pombo, meio drone. O PigeonBot mostra como é que os pássaros voam

O PigeonBot procura explorar a morfologia das asas de um pombo e mostrar como é que eles voam. Um melhor entendimento disto pode ter aplicações na aeronáutica. Há muitos anos que o dom dos animais de …

Incêndios na Austrália permitiram descobrir canal mais antigo do que as Pirâmides do Egipto

Depois de a vegetação ter sido devastada pelos incêndios em Victoria, na Austrália, investigadores descobriram que este sistema de canais é significativamente maior do que se pensava. Desde setembro do ano passado que a Austrália enfrenta uma …

Sírios estão a vender os seus bens pessoais para que os filhos possam comer

O coordenador do projeto Médicos Sem Fronteiras na Síria diz que muitas famílias estão a ser forçadas a vender os seus bens pessoais para que os filhos possam comer. Bombardeamentos aéreos na Síria são uma constante. …

Casa Branca prepara medidas para travar "turismo de parto"

A Casa Branca prepara-se para endurecer as medidas que permitem a emissão de vistos para mulheres estrangeiras que vão aos Estados Unidos dar à luz para que os seus filhos recebem automaticamente cidadania norte-americana. A …

Eletrões e quarks podem experimentar consciência, defende professor

O filósofo Philip Goff defende, num livro que publicou recentemente, uma teoria milenar que sustenta que todas as formas de matéria - incluindo os eletrões e até os quarks - podem experimentar consciência. Tal como observa …

Lego lança réplica da Estação Espacial Internacional

A Lego anunciou um novo conjunto para todos os entusiastas de exploração espacial. A Estação Espacial Internacional está a muitos quilómetros de distância da Terra mas, agora, quem quiser pode ter uma reprodução nas sua …

HBO anuncia sátira de animação sobre família real britânica

A plataforma de streaming HBO encomendou uma série de comédia do género de "Family Guy" em versão realeza, inspirada nos membros mais famosos da família real britânica.  De acordo com a AFP, a série vai chamar-se …

Salário mínimo sobe para 950 euros em Espanha

O Governo de Espanha anunciou, esta quarta-feira, um aumento do salário mínimo nacional para 950 euros. A ministra do Trabalho e da Economia Social, Yolanda Díaz, anunciou, esta quarta-feira, a subida do salário mínimo para os …

O Relógio do Juízo Final avança 20 segundos. Faltam 100 para o Apocalipse

O Boletim de Cientistas Atómicos anunciou, esta quinta-feira, que o Relógio do Julízo Final está mais próximo do apocalipse. Especialistas avançaram o relógio 20 segundos para alertar líderes e cidadãos de todo o mundo que …

Juiz que pediu escusa por ser benfiquista continua com o caso dos emails

O presidente do Tribunal da Relação do Porto decidiu julgar improcedente o pedido de escusa do juiz. Em causa estava o facto de ser adepto do Benfica. Segundo o jornal Público, o juiz desembargador Eduardo Pires, …