Vídeo mostra a Terra no futuro (e é aterrador)

Ninguém pode dizer com certeza o que é que o futuro nos vai trazer, mas um vídeo recentemente publicado no YouTube resume todas as previsões apoiadas pela ciência e mostra como será, provavelmente, a Terra nos próximos mil milhões de anos.

É muito improvável que alguém esteja por perto para ver a maioria destas mudanças acontecer, mas, mesmo assim, o vídeo é surpreendente e mostra um mundo onde um super-continente reina supremo, onde o Monte Everest já não é a mais alta montanha do planeta e onde o sol é muito mais quente.

Uma das previsões mais interessantes é a ideia de que, daqui a dois milhões de anos, os seres humanos, habitando em diferentes planetas, terão evoluído para espécies completamente diferentes que talvez nem sequer se conheçam umas às outras. Por outras palavras, vamos transformar-nos em extraterrestres.

Pode soar um pouco exagerado, mas quando se pensa quanto a Terra mudou, desde que os antepassados humanos evoluíram pela primeira vez em África, não é assim tão maluco quanto isso.

Durante a vida da nossa espécie, já vimos a ponte terrestre de Bering que ligava a Ásia à América do Norte desaparecer e os humanos andarem na Lua.

Assim, ficam de seguida os momentos mais marcantes do que ainda está por vir…

Ano 10.000

Esqueça o bug do milénio! No ano 10.000, os nossos aparelhos informáticos serão confrontados com o bug muito real dos 10.000 anos. Neste momento, todos os nossos softwares entram no ano com quatro casas decimais, assim, quando atingirmos o ano 10 mil, a tecnologia não será capaz de codificar datas.

Se as tendências actuais da globalização continuarem, todos os traços genéticos humanos, como a pele e a cor do cabelo, serão distribuídos uniformemente em todo o mundo. Deixará de haver variação humana associada à região.

Ano 50.000

Toda a linguagem moderna deixará de ser reconhecível no ano 20.000, e por volta de 50.000, o planeta também começará a ficar diferente – as Cataratas do Niagara, por exemplo, terão uma erosão total num lago gigante.

A Terra também entrará noutro período glacial, independentemente das actuais tendências do aquecimento global.

Ano 100.000

Todas as estrelas e constelações visíveis da Terra serão completamente diferentes. Se chegarmos a Marte, podemos ter o planeta transformado numa “segunda Terra”.

Ano 500.000

Provavelmente, a Terra será atingida por um asteróide de 1 km de diâmetro, a menos que, de alguma forma, o consigamos evitar de forma artificial.

Ano 1 milhão

A Terra deverá experimentar até ao ano 1 milhão uma erupção super-vulcânica grande o suficiente para espalhar 3.200 km3 de cinzas para a atmosfera – semelhante à super-erupção de Toba que quase eliminou a humanidade há cerca de 75 mil anos.

A nossa estrela vizinha – Betelgeuseexplodirá numa supernova que será totalmente visível da Terra, mesmo durante o dia.

Ano 2 milhões

Se os humanos tiverem colonizado vários planetas, nesta altura, é provável que tenham evoluído para várias espécies diferentes, adaptadas ao seu próprio habitat. E podem não estar cientes das outras espécies humanas.

O Grand Canyon terá corroído num vale ainda maior.

Ano 50 milhões

África entrará em colisão com a Eurásia e fechará o Mar Mediterrâneo, gerando uma nova cordilheira de montanhas que poderá produzir uma montanha mais alta do que o Monte Everest.

Ano 250 milhões

Todos os continentes da Terra se terão fundido novamente, num super-continente.

Anos 500 a 600 milhões

Uma explosão mortal de raios gama ocorrerá dentro de 6.500 anos-luz da Terra, provocando uma extinção em massa.

A luminosidade crescente do Sol irá parar os movimentos das placas tectónicas e os níveis de Co2 na atmosfera cairão dramaticamente. A fotossíntese C3 já não será possível e 99% da vida vegetal actual na Terra morrerá.

Ano 800 milhões

Os níveis de dióxido de carbono continuarão a cair até ao ponto em que a fotossíntese C4 deixará de ser possível. O oxigénio e o ozono desaparecerão da superfície da Terra, impossibilitando qualquer tipo de vida complexa.

Ano mil milhões

A luminosidade do sol vai ser 10% mais forte do que hoje em dia. A temperatura da Terra aumentará para 47 graus centígrados, em média, o que transformará a atmosfera numa estufa que fará evaporar os nossos oceanos. Poderão existir bolsas de água líquida perto dos pólos e estes serão os últimos lugares da Terra capazes de conter vida.

É claro que já houve muitas surpresas em toda a história da Terra e, sem dúvida, há muitas surpresas ainda por vir. Isto é apenas uma amostra animadora, em alguns aspectos, e bastante assustadora, noutros, do que os próximos biliões de anos podem trazer.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Confesso que não conto viver assim tanto tempo e que estou ciente que a humanidade continuará a evoluir como o tem feito até hoje, a não ser que os humanos fiquem tão aterrorizados com (des)informações como esta e aconteça um suicídio colectivo. Quanto ao ao BUG do ano 10.000, ainda bem que informam pois estou a pensar comprar um computador novo e vou colocar essa questão ao vendedor, se não for imune, não compro. Hehehe… Vou deixar-me de brincadeiras e voltar às coisas realmente importantes. É só uma opinião.

    • Compre já um a pensar no bug do ano 100.000 , mas tem de permitir bastantes actualizações para não correr o risco de ficar ultrapassado 🙂

O Bosão de Higgs foi apanhado a fazer algo inesperado

Uma equipa de cientistas do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN) observou o Bosão de Higgs, a fazer algo inesperado: à medida que caía, esta parecia decompor-se numa combinação inesperada de partículas. De acordo com …

Feitos de estrelas. Os nossos ossos são compostos por estrelas que explodiram

Uma nova investigação concluiu que metade do cálcio do nosso Universo é oriundo de uma supernova rica em cálcio, que explodiu há milhões de anos. O novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista …

"Monarquia criminosa". Parlamento declara Catalunha republicana e não reconhece o rei

O Parlamento catalão aprovou esta sexta-feira uma resolução na qual declara que “a Catalunha é republicana e, portanto, não reconhece nem quer ter um rei”, rotulando a monarquia de “criminosa”. A resolução foi aprovada em sessão …

Novo método deteta metais tóxicos em alimentos e água em apenas algumas horas

Uma equipa de cientistas da Universidade de Joanesburgo, na África do Sul, desenvolveu um método sensível para detetar níveis perigosos de metais pesados em alguns alimentos e água. Os vestígios de metais como chumbo (Pb), arsénico …

Meghan Markle vence primeira batalha judicial contra jornal britânico

A Duquesa de Sussex conseguiu que o Tribunal Superior de Londres optasse por manter anónima a identidade das suas cinco amigas, como parte da ação legal que está a ser levada a cabo. O 39º aniversário …

Cientistas obrigados a rebatizar dezenas de genes humanos. A culpa é do Excel

Só no ano passado, os cientistas viram-se obrigados a mudar os nomes de 27 genes humanos por causa de um erro de leitura do Microsoft Excel. Tal como explica o portal The Verge, que avança …

"Vai continuar a queimar". Covid-19 é mais parecida com um fogo florestal do que com ondas e picos

Com o surgimento do novo coronavírus no mundo, vários especialistas previam que este iria surgir em ondas e picos. Agora a visão de futuro é outra e os especialistas dizem que a pandemia se compara …

Mudanças climáticas podem vir a causar mais mortes do que a covid-19, alerta Bill Gates

  As mudanças climáticas podem custar muito mais vidas nas próximas décadas do que a pandemia do novo coronavírus (covid-19). O alerta é do co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que, através de uma reflexão no seu …

Descoberta a primeira disrupção gigante nas nuvens de Vénus

Uma equipa internacional de cientistas, que incluiu um investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), descobriu a "primeira disrupção gigante" nas nuvens de Vénus que tem fustigado as zonas profundas da atmosfera …

TVI aposta em estúdio a Norte. Nuno Santos quer Informação mais ao estilo da SIC Notícias do que da CMTV

O diretor-geral da TVI, Nuno Santos, afirmou, em entrevista ao jornal Público, que a estação de Queluz de Baixo vai apostar num estúdio no Norte, revelando ainda que pretende mudar a Informação do canal mais …