A vida selvagem abunda na área proibida de Chernobyl

Universidade da Geórgia

Uma equipa de cientistas identificou 15 espécies na área proibida de Chernobyl, que assim ficou rotulada após o acidente nuclear de 1986, dando novas e mais fortes evidências de que a vida selvagem está a proliferar em abundância na área.

Recorrendo a câmaras que utilizavam vísceras de peixes como iscas, uma equipa de investigadores da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos, descobriu dez espécies de mamíferos e cinco espécies de aves.

“Estes animais foram fotografados durante a recolha de carcaças de peixes localizados na costa dos rios e canais da CEZ (Zona de Exclusão)”, disse James Beasley, professor de Ecologia e um dos autores do estudo.

“Tínhamos encontrado evidências de uma diversidade de vida selvagem na CEZ através da nossa investigação anterior, mas esta é a primeira vez que vemos águias de cauda branca, martas e lontras através das nossas câmaras”, explicou.

Beasley refere-se a outro estudo de 2015, no qual os cientistas forneceram a primeira evidência de que a vida selvagem – que incluía lobos cinzentos – existe em abundância nesta zona ecológica proibida que tem cerca de 1500 quilómetros quadrados que os humanos abandonaram após o acidente nuclear de 1986.

Os novos resultados, publicados na revista Food Webs, sugere que os recursos de nutrientes podem fluir para as paisagens e ficar disponíveis para animais selvagens terrestres e semi-aquáticos, como é o caso das lontras e martas.

Em comunicado, o autor principal do estudo, Peter Schlichting, explicou que a atividade de recolha de lixo pode conectar várias redes alimentares, mas os cientistas não sabem totalmente como é que isto acontece.

Para a nova investigação, entranhas de peixes foram coladas nas margens dos rio de Pripyat e em canais de irrigação próximos, imitando a atividade natural que ocorrem quando as correntes transportam carcaças de peixes mortos para a costa.

De acordo com os cientistas, 98% das vísceras foram consumidas durante uma semana por uma multidão de animais selvagens.

“Esta é uma taxa de recolha alta e, desde que todos os nossos foram consumidos por espécies terrestres ou semi-aquáticas, verifica-se que o movimento de recursos nutricionais entre os ecossistemas aquáticos e terrestres ocorre com mais frequência do que é frequentemente reconhecido”, explicou Beasley.

“Tendemos a pensar que os peixes e outros animais aquáticos permanecem no ecossistema aquático, o que mostra que, se uma proporção razoável de peixes mortos chega à costa, há um grupo inteiro de espécies terrestres e semi-aquáticas que transferem esses mesmos nutrientes aquáticospara a paisagem terrestre”, concluiu.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Seria interessante descobrir os efeitos da radioactividade nos animais. Será que esses efeitos são menos prejudiciais do que a presença do homem?

  2. Ainda tem dúvidas amigo Gonçalves??? Eu não. É só olhar a pegada humana neste último século. Destrói tudo por onde passa. Mas tenho esperança nos jovens de hoje de consciência mais ampla. E, no lugar que a Mulher vem, a pouco e pouco, re- conquistando.

Fazer despedimentos ou não renovar contratos são situações distintas, explica Siza Vieira

O ministro da Economia afirma que o acesso aos apoios financeiros do 'lay-off' simplificado está condicionado ao compromisso de não haver despedimentos, mas reconhece que despedimento e não renovação são situações distintas. O ministro da Economia …

Empresas denunciadas por abusos nos despedimentos e violações ao código de trabalho

A CGTP recebeu denúncias a 40 empresas em que são relatadas situações de abuso e aproveitamento laboral. Milhares de trabalhadores foram afetados em todo o país, garante a líder sindical. Isabel Camarinha, classificou como "muito negro" …

NOS Primavera Sound adiado para setembro

Devido ao estado de emergência em que o país se encontra, resultado do surto de COVID-19, a nona edição do NOS Primavera Sound foi adiada e vai acontecer de 3 a 5 setembro. “Perante este cenário …

Twitter apaga publicações de Bolsonaro que defendiam fim das medidas de contenção

O Twitter bloqueou dois vídeos publicados no perfil oficial de Jair Bolsonaro sobre a visita que fez no domingo a vários pontos de Brasília, contrariando as recomendações sanitárias da Organização Mundial de Saúde (OMS) para …

País vai entrar no "mês mais crítico" da pandemia (e medidas vão ser prolongadas)

O primeiro-ministro, António Costa, avisou esta segunda-feira que Portugal "vai entrar no mês mais crítico desta pandemia" da covid-19 e por isso é necessário que se prepare para esta fase. António Costa falava aos jornalistas na …

Bancos também dão moratória no crédito automóvel

Para além da moratória no crédito à habitação decretada pelo Governo, alguns bancos estão a alargar a moratória ao crédito de consumo, como por exemplo, à prestação do carro. Face à pandemia de covid-19, o Governo …

Justiça dos Estados Unidos investiga senadores por delitos financeiros

Vários senadores norte-americanos estão a ser investigados por terem vendido ações depois de terem recebido briefings sobre a pandemia de covid-19. De acordo com a CNN, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos começou a investigar …

MAI aconselha que se circule com comprovativo de deslocação

Este domingo, o Ministério da Administração Interna (MAI) aconselhou os automobilistas a circular com comprovativos de deslocação. Além de fazer um apelo aos automobilistas para que circulem apenas quando for absolutamente imperioso, o Ministério da Administração …

Casos de covid-19 sobem 7,5% em Portugal. Há 140 mortos

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde, há 6.408 casos de covid-19 em Portugal - mais 446 do que no domingo. Mortes sobem de 119 para 140 e o número de recuperados mantém-se …

Aulas à distância, provas de aferição e exames. O 3.º período ainda é incerto

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, assegurou, esta segunda-feira, que as notas dos 2.º período serão publicadas. Porém, a forma como o 3.º período vai decorrer ainda é incerta. Em entrevista à Renascença, Tiago Brandão …