Vice da Comissão Europeia defende subsídios a fundo perdido para Portugal (mas não será dinheiro grátis)

Valdis Dombrovskis

Valdis Dombrovskis, vice-presidente da Comissão Europeia responsável pelo Euro

O vice-presidente executivo da Comissão Europeia (CE), Valdis Dombrovksis, defende subsídios a fundo perdido para os países mais afectados pela pandemia de covid-19, incluindo Portugal no pacote, no âmbito do novo Fundo de Recuperação europeu que foi alinhavado por França e Alemanha.

Este Fundo de Recuperação de 500 mil milhões de euros vai ser discutido na CE na próxima quarta-feira e Valdis Dombrovksis salienta, em declarações ao Expresso, que Portugal deve ser um dos beneficiários desta ajuda a fundo perdido.

“Essa é a intenção, porque vemos que, no caso de Portugal, a dívida pública está a subir substancialmente. Este ano deverá ultrapassar os 131% do PIB“, salienta o “vice” da CE.

Apesar de os moldes da ajuda através do Fundo ainda não terem sido alinhavados, Dombrovksis nota que o instrumento de apoio “terá uma forte componente de subsídios”, de modo a que não pese demasiado na dívida dos países auxiliados. Este é um ponto muito relevante para os países do Sul, não só para Portugal, mas também para Espanha e Itália que foram muito severamente afectadas pela pandemia.

Porém, estes subsídios não serão atribuídos sem a imposição de condições.

“Não será dinheiro grátis”, realça o Expresso, com base nas declarações de Dombrovksis e na proposta que foi redigida por França e Alemanha. O modelo de ajuda previsto nota que “os Estados-Membros se comprometam a seguir boas políticas económicas e uma agenda ambiciosa de reformas“.

A Chanceler Angela Merkel deu um grande passo com a aprovação deste Fundo, aceitando a mutualização da dívida por todos os Estados-membro, acabando por aceitar uma versão dos tão falados “coronabonds”.

A proposta franco-alemã prevê que todos os contribuintes europeus vão suportar o pagamento desta dívida de 500 mil milhões de euros, o que significa que a Alemanha vai suportar uma boa fatia da mesma, com 27% do pagamento, como nota o Expresso.

“Solidariedade é receber na medida do impacto do novo coronavírus e reembolsar o dinheiro em função das capacidades económicas”, já tinha dito o ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire, sobre o Fundo de Recuperação.

Todavia, a “bondade” de Merkel não é sem condições. A Chanceler quer que a CE faça uma “vigilância apertada das contas públicas nacionais”, de modo a garantir que o dinheiro do apoio está a ser aplicado onde deve, em linha com as metas estratégicas da União Europeia.

Haverá “uma ligação entre o financiamento europeu e a implementação das recomendações específicas por país”, nota Dombrovksis.

Contudo, há ainda um longo caminho a trilhar até definir os moldes deste Fundo de Recuperação Europeu. Até porque os Países Baixos, a Áustria, a Suécia e a Dinamarca já se manifestaram contra o plano de Merkel e de Macron.

Estes quatro países insistem na ideia de fomentar empréstimos “temporários”, em “condições favoráveis”, com a imposição de reformas estruturais aos países ajudados – uma Austeridade Versão Dois.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. “Este ano deverá ultrapassar os 131% do PIB“

    Até porque a dívida cresce (e tem crescido sempre em valor absoluto nos anos do atual desgoverno) e o PIB irá cair esta ano como resultado da pandemia. Logo, penso que irá para valores superiores a 131% do PIB.

RESPONDER

Rara cobra de duas cabeças e dois cérebros independentes encontrada na Florida

Uma rara cobra com duas cabeças e dois cérebros independentes foi resgatada no estado norte-americano da Florida por uma equipa de especialistas do organização Florida Fish and Wildlife Conservation Commission. Na rede social Facebook, a organização, …

Benfica 2-0 Belenenses SAD | Darwinismo rende arranque histórico

O Benfica cumpriu e venceu o Belenenses SAD por 2-0, no Estádio da Luz, na partida que encerrou a quinta jornada da Liga NOS. Foi o quinto triunfo benfiquista no campeonato em cinco partidas, o …

Uma tarefa doméstica está a poluir sorrateiramente o ambiente

O que vestimos e como lavamos as nossas roupas influencia o número de microfibras sintéticas que libertamos no meio ambiente. Há uma tarefa doméstica a poluir sorrateiramente o ambiente. Um novo artigo científico, publicado na PLOS …

A companhia aérea que faliu devido à covid-19 está de volta

A pandemia de covid-19 foi traiçoeira para muitas empresas. A Flybe, uma das primeiras vítimas, está agora a ressuscitar - e pode voltar a rasgar os céus já no próximo ano. A economia mundial foi muito …

Dormir bem antes de tomar a vacina da gripe pode ajudar a aumentar a sua eficácia

Segundo os especialistas, uma boa noite de sono pode mesmo ajudar a aumentar a eficácia da vacina da gripe, que neste ano ganha particular relevância em plena pandemia de covid-19. De acordo com Matthew Walker, autor …

Há um petroleiro abandonado há mais de uma década nas Caraíbas (e é uma "bomba-relógio")

Um navio de armazenamento de petróleo venezuelano está ancorado no Golfo de Paria, um trecho de mar fechado entre a Venezuela e a ilha de Trinidad, há mais de uma década. Antes de os Estados Unidos …

Portugal deve bater recorde de doentes em cuidados intensivos ainda esta semana

Portugal deverá ultrapassar, esta quarta-feira, o recorde de doentes em unidades de cuidados intensivos, alertou a ministra da Saúde, Marta Temido, em conferência de imprensa sobre a capacidade do Serviço Nacional de Saúde para combater …

A Budapest Eye foi restaurante por um dia (e com estrela Michelin)

Um restaurante com estrela Michelin em Budapeste, na Hungria, ofereceu aos clientes uma experiência gastronómica na famosa roda gigante Budapest Eye. Atraiçoado pela queda de faturação após o desaparecimento de turistas estrangeiros, o restaurante Costes, premiado …

Antigo ministro da Saúde Leal da Costa admite novo estado de emergência

O antigo ministro da Saúde Fernando Leal da Costa defendeu hoje que em algum momento deve ser decretado de novo o estado de emergência, para que o Governo possa tomar medidas na luta contra a …

Marcelo promulga uso obrigatório de máscara na rua por 70 dias

O Presidente da República promulgou esta segunda-feira o decreto da Assembleia da República que determina o uso obrigatório de máscara na rua, por um período de 70 dias, sempre que não seja possível cumprir o …