/

Vereador da CML apanhado em escutas que denunciam atos de corrupção desde o tempo de Salgado

5

(dr) CML

O vereador do Urbanismo da Câmara Municipal de Lisboa, Ricardo Veludo

Ricardo Veludo, atual vereador do Urbanismo da Câmara Municipal de Lisboa, foi apanhado pela Polícia Judiciária (PJ) em escutas telefónicas, no âmbito de uma investigação que está a ser feita ao projeto da Operação Integrada de Entrecampos, que abrange os terrenos da antiga feira popular.

De acordo com o Correio da Manhã, que teve acesso às escutas, o responsável prometeu dar prioridade aos processos que envolvem um grande promotor imobiliário, a Rockbuilding – Soluções Imobiliárias SA.

As escutas, escreve o mesmo jornal, mostram uma rede cumplicidades, que ao que tudo indica já surgiram na altura em que Manuel Salgado ainda era vereador do Urbanismo na capital.

Segundo o diário, o CEO da Rockbuilding, Almeida Guerra, tinha contactos privilegiados nos departamentos de Manuel Salgado, que aparentemente se mantiveram mesmo depois da sua saída, alargando-se até ao mandato de Veludo.

Com receio de perder a influência que tinha dentro da autarquia, depois da saída de Salgado, Almeida Guerra quis “seduzir” o novo vereador, começando por convidá-lo para o almoço de Natal da Rockbuilding.

Posteriormente, o atual vereador do Urbanismo acabou por ser apanhado em escutas da polícia, nas quais promete dar prioridade, a partir de janeiro de 2020, aos processos em que Almeida Guerra estivesse envolvido, adianta o jornal.

O CM indica ainda que numa das muitas conversas telefónicas, ouvidas pela PJ, pode ouvir-se o CEO da Rockbuilding a dizer “já ganhei!”, sublinhando que o almoço terá sido determinante para essa conquista.

As escutas também comprometem António Furtado, o ainda diretor municipal de Gestão Patrimonial da Câmara de Lisboa, também vogal do Conselho de Administração da SRU, a Sociedade de Reabilitação Urbana.

Como noticia o CM, Furtado mostra ser igualmente permissivo aos pedidos de Almeida Guerra, continuando a perpetuar a teia de cumplicidades dentro da autarquia.

  ZAP //

 

 

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

 

 

 

 

5 Comments

  1. Mais um prego no caixão do Medina. Sorte dele e do PS, os portugueses não gostarem de velórios e serem um bocado mansos.
    Num país avançado, Medina já era. Por cá, é a desculpa do costume: “é o sistema; é assim que funciona…

  2. Mais um lixo descoberto debaixo do tapete. Não é novidade, não causa espanto, habituámo-nos a aceitá-lo como normal. Mas não o devia ser! E isto é a regra em (quase) todas as autarquias. Só nos resta aceitar pacificamente, que, como habitualmente, esta vinda à superfície deste lixo, não terá quaisquer seguimentos ou consequências.

  3. O Presidente Medina tem feito um serviço Fantástico pelo Município, o facto de haver umas ovelhas negras e ranhosas na CML, não é responsabilidade do Presidente, ele apenas terá de apurar os factos e agir em conformidade, como acredito que fará e tem feito em relação a problemas anteriores. Estar a tirar aproveitamentos políticos destas notícias é perfeitamente miserável.
    Haverá alguém com dúvidas acerca do trabalho feito pelo Medina?
    Se sim, dê uma volta por Lisboa e constate e use a memória para se lembrar como era antes.

  4. Mais investigações disparatadas e sem qualquer fundamento. Os jornais viraram novelas!
    A brincarem aos polícias e ladroes em vez de se focarem no verdadeiro interesse público!
    Estamos entregues a mediocridade!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.